Buscar

A Comissão do Esporte promove mesa redonda nesta terça-feira (7) para debater a atual situação da Copa Verde de futebol profissional

03/11/2017 - 18h16

Esporte debate Copa Verde de Futebol

A Comissão do Esporte promove mesa redonda nesta terça-feira (7) para debater a atual situação da Copa Verde de futebol profissional, campeonato marcado por ações que estimulam a consciência ecológica.
Disputada por equipes das regiões Norte e Centro-Oeste e do estado do Espírito Santo, a competição é acompanhada de atividades com consciência ecológica, como a reciclagem de materiais, concursos de redação com temas ambientais, aulas de futebol para crianças em situação de vulnerabilidade e compensação das emissões de carbono.
Na edição deste ano, o campeonato evitou a emissão de 19 toneladas de carbono e gerou uma economia de 51,6 m³ de água por meio da coleta de resíduos sólidos. Além disso, 2,57 toneladas de garrafas pet foram destinadas à reciclagem e todo o carbono emitido pela competição (265 toneladas de CO2) foi compensado por meio do plantio de 1.450 mudas de árvores em Anapu (PA), entre outras ações. 
Lúcio Bernardo Jr./Câmara dos Deputados
Audiência pública sobre a retirada compulsória de bebês de mães em situação de vulnerabilidade social em Belo Horizonte- MG. Dep. Arnaldo Jordy (PPS - PA)
Jordy: Copa Verde tornou-se uma vitrine de ações voltadas para o meio ambiente
Para o deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA), um dos autores do requerimento para o debate, a competição ganhou significado especial desde que se tornou uma vitrine de ações voltadas para o meio ambiente e a sustentabilidade.
“Mesmo com todo apelo ambientalistas e mercadológicos, os clubes participantes da Copa Verde vão ratear entre si R$ 810 mil, o que corresponde a apenas 4,4% do que será dividido entre os participantes da Copa do Nordeste, por exemplo, R$ 18,520 milhões. Isso é um absurdo, uma disparidade que precisa ser revista pela CBF”, criticou.
Jordy quer garantir mais recursos para a competição, especialmente porque os custos da prática do futebol no Norte são os maiores do Brasil, segundo ele.
O deputado destacou ainda que os times paraenses Remo e Paysandu estão entre os dez maiores públicos e rendas dos últimos dez anos no país, mesmo não estando na série A do Campeonato Brasileiro.
“A Copa Verde valoriza o futebol da Amazônia, pois suas ações terão visibilidade até mesmo internacional, pois as ideias que são apresentadas através dela certamente serão copiadas por outros países”, defendeu.
Foram convidados para a audiência pública:
- o secretário geral da CBF, Walter Feldman; 
- o diretor de Competições da Confederação Brasileira de Futebol, Manoel Medeiros Flores Júnior; e 
- presidentes das federações estaduais e dos clubes dos estados participantes da Copa Verde.
O evento, que também foi pedido pelos deputados César Halum (PRB-TO) e Roberto Góes (PDT-PA), será às 14h30, no plenário 4 das comissões.
Haverá transmissão interativa pelo e-Democracia .
Da Redação - GM

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário