Professores de Programa de Alfabetização não receberam salários e ainda custearam até alimentação de alunos.


Professores alegam não ter recebido salários de programa de alfabetização no Maranhão

Cerca de 270 educadores que participaram do programa no município de Aldeias Altas, afirmam que ainda não receberam os últimos dois pagamentos.

Por G1 MA, São Luís
 
Aulas do projeto eram realizadas nas residências dos educadores. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Professores que deram aulas em um programa estadual de alfabetização “Sim, eu posso”, voltado para adultos e idosos no município de Aldeias Altas, a 392 km de São Luís, alegam que não receberam os salários mesmo após o encerramento do projeto. Cerca de 270 educadores participaram do projeto.

O programa foi encerrado no início do mês de junho e os professores afirmam que não receberam os dois últimos pagamentos no valor de R$ 600 cada. Os educadores alegam que já procuraram os órgãos responsáveis pela execução do projeto e que não receberam nenhuma posição sobre quando o dinheiro será repassado e temem ficar sem o salário.


“Eles ficam passando a culpa de um para o outro. Eles falam que não são eles, que é a FSADU (Fundação Sousândrade) e pedem que a gente entre em contato com a coordenadora geral. A FSADU diz que está esperando o repasse, depois diz que já foi feito o repasse e que é para a gente aguardar mais um pouco e nisso vai se passando o tempo e a gente já não sabe mais a quem recorrer”, afirma a professora Analiane dos Santos.

O programa é uma parceria do Governo do Maranhão com o Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST). Segundo a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) mais de duas mil pessoas foram alfabetizadas no município de Aldeias Altas.


Além disso, os professores alegam que tiveram custos extras com o programa já que as aulas eram realizadas em suas próprias casas. Cada professor recebia cerca de 15 alunos que tinham aulas de segunda a quinta, entre as 7h às 21h. Eles afirmam que não podiam deixar os alunos com fome e tiravam do próprio bolso o dinheiro para a compra do lanche. Por conta disso, eles pedem a quitação da pendência salarial.


“Está faltando um pouco de comprometimento e era os que eles tanto cobravam da gente. Que a gente tivesse comprometimento e da nossa parte você pode ter certeza que nós tivemos sim, só que da parte deles não está tendo compromisso. A gente está aqui só correndo atrás do que é da gente, o que é nosso”, disse uma professora.


Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) informou que o pagamento dos professores do programa “Sim, eu posso”, será realizado na próxima semana.

FONTE: https://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/professores-alegam-nao-ter-recebido-pagamentos-de-projeto-de-alfabetizacao-no-maranhao.ghtml


Nenhum comentário:

Postar um comentário