H2N3 no Brasil

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Secretaria Municipal da Saúde esclarece fake news: não existe H2N3 no Brasil

Áudio que vem circulando nas redes sociais e aplicativos de smartphones propaga informações falsas

Secretaria de Saúde de Marília informa, mediante nota de esclarecimento do Ministério da Saúde, que não existe uma “cepa H2N3” de vírus da influenza no Brasil. Essa é uma informação inverídica, que está circulando nas mídias sociais.

A Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde informa que mantém, junto aos órgãos competentes do Estado e do Governo Federal, vigilante quanto à circulação de vírus influenza no Brasil. 

O país possui uma rede de unidades sentinelas para vigilância de influenza, distribuídas em serviços de saúde em todas as unidades federadas. Com essa rede, é possível monitorar a circulação do vírus influenza por meio da capacitação de casos de síndrome gripal (SG) e síndrome respiratória aguda grave (SRAG).

Em Marília, esse monitoramento também ocorre por meio das notificações feitas pelas unidades de saúde diretamente à Vigilância Epidemiológica do município.

DIVULGUE A VACINAÇÃO

Começa neste dia 23 de abril a Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza 2018. A meta é imunizar pelo menos 90% da população dos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde. A população de Marília será recebida pelas equipes das 12 UBS (Unidades Básicas de Saúde) e das 38 USFs (Unidade Saúde da Família). A vacinação segue até o dia 1 de junho.

Devem ser imunizadas crianças com mais de seis meses e menos de cinco anos, pessoas que já completaram 60 anos; gestantes e mulheres que deram a luz há até 45 dias; profissionais da saúde e professores de todos os níveis de ensino, de redes públicas e privadas. Pessoas com doenças cronicas, por meio de comprovação da condição de saúde também devem ser vacinadas. 

TIPOS DE INFLUENZA 

A influenza, ou gripe, é uma infecção viral aguda do sistema respiratório, de elevada transmissibilidade e distribuição global. Uma pessoa pode contraí-la várias vezes ao longo da vida e, em geral, tem evolução autolimitada. 

Os vírus influenza são transmitidos facilmente por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem três tipos de vírus influenza: A. B e C. 

O tipo C causa infecções respiratórias brandais, não está relacionado com epidemias. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias, como foi o caso do H1N1.

Texto: Ministério da Saúde (adaptado)
Foto: Divulgação / Internet

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Saúde faz oficina para interpretes de Libras; meta é chegar à população com surdez

Teste rápido durante "ação extramuro"; trabalho itinerante poderá atingir novos públicos
Para tornar efetiva a universalidade, um dos princípios fundamentais do SUS (Sistema Único de Saúde) que determina que todos os cidadãos, sem qualquer tipo de discriminação, têm direito ao acesso às ações e serviços de saúde, Marília realiza um movimento de aproximação dos intérpretes de Libras (Linguagem Brasileira de Sinais) que atuam na cidade. Evento de capacitação, marcado para terça-feira (17), será realizado na Secretaria Municipal da Saúde.

O número é incerto, mas estima-se que no município centenas de pessoas são habilitadas no idioma, capazes de dialogar com milhares de surdos. Porém, esse diálogo nem sempre aborda as questões de saúde.

A percepção de profissionais da área, ativistas e estudiosos em comunicação para surdos apontam a inexistência, com poucas exceções, de uma abordagem sobre ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis) e Aids para essa parcela da população.

A falta de informação em seu próprio idioma, ou seja, em Libras, faz com que muitos não tenham acesso nem às informações básicas sobre riscos de transmissão, métodos de prevenção e acesso aos tratamentos pelo SUS.

A oficina foi preparara por sugestão e com o apoio de um grupo multiprofissional (atuante em áreas diversas), que visitou a Secretaria Municipal da Saúde. Após a capacitação, será realizado um evento mais amplo, tendo os surdos como público-alvo. 

A parceria institucional é com a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), que cederá auditório e participará do alerta à sociedade, para a inclusão. 

“Acolhemos esse projeto com muito carinho. Nesta terça já teremos a primeira etapa realizada. Nossa linha de cuidado (IST/Aids) está sendo a pioneira, mas cremos que outras também poderão ser beneficiadas com a aproximação dos interpretes”, disse a enfermeira Alessandra Pereira, coordenadora do Programa de Prevenção em Marília.

SERVIÇO – A capacitação será realizada na Secretaria Municipal da Saúde (Avenida Castro Alves, 61, em frente a Fatec), às 09h. Interessados em participar (tanto servidores, quanto intérpretes de outras instituições ou da comunidade), devem enviar um e-mail com nome completo e telefone para sae.marilia@marilia.sp.gov.br

Texto: Carlos Rodrigues
Foto: Arquivo

Nenhum comentário:

Postar um comentário