Buscar

Professora de Cascavel é afastadas após dar aula de educação sexual


Professora de Cascavel é afastadas após dar aula de educação sexual
As aulas foram ministradas para pré-adolescentes de 10 e 11 anos; a professora de Cascavel alega que tudo não passou de um mal-entendido

Autor: Redação RIC Mais

30/10/2018 19:20 3

Uma professora de Cascavel, no oeste do Paraná, foi afastada de suas funções nesta terça-feira (30) após publicar fotos em sua rede social onde aparece ministrando uma aula de educação sexual para pré-adolescentes com idades de 10 e 11 anos. A decisão partiu do próprio prefeito da cidade Leonaldo Paranhos. (Veja vídeo na íntegra abaixo)
Aula de educação sexual em escola de Cascavel

Nas imagens compartilhadas, é possível ver os meninos e meninas, do 5º ano do ensino fundamental, manipulando um pênis de borracha para entender como é usado um preservativo. Os alunos também tiveram contato com preservativos femininos e protótipos que imitavam o aparelho reprodutor das mulheres, com o intuito, de ensiná-los como funciona. O tema da aula era ‘Prevenção a doenças sexualmente transmissíveis”. 

A educadora esteve Secretaria Municipal de Educação (Semed) para um reunião e, no local, afirmou que não é a primeira vez que os alunos tiveram contato com os materiais que causaram polêmica. Para ela tudo não passou de um mal-entendido. “Eu não estou fazendo nada fora da legalidade, o projeto existe há mais de 20 anos. É um projeto premiado, estou com toda a documentação aqui. Ele já foi premiado a nível de Brasil, ficou entre os cinco melhores do Brasil. [...] Eu não sei qual é o problema de se discutir isso de uma forma democrática, com a nivel de conhecimento, estatísticas e dados”, disse Grasiela Ivana

Em Cascavel, professora causa polêmica com aula de educação sexual.  (Foto: Reprodução/RICTV)
Posição da prefeitura

Em nota, a Prefeitura Municipal informou que já foi aberto um processo administrativo para apurar a conduta da professora e da coordenação pedagógica da escola onde o fato foi registrado. Ainda conforme o documento a aula de reprodução humana ministrada estava em desacordo com orientação da Semed e professora de Cascavel já foi afastada.

Márcia Baldini, secretária de educação, afirmou que o assunto faz parte do currículo, porém a forma como foi abordado não seria condizente com a idade dos alunos e alunas. "Vamos apurar devidamente todos os fatos, apontar as responsabilidades, documentar tudo isso e enviar ao Ministério Público”, disse Baldini, completando que fará uma reunião com os pais “porque isso foi uma afronta às crianças e todas as providências e medidas cabíveis já estão sendo tomadas”.

O prefeito Leonaldo Paranhos, que não está na cidade, publicou um vídeo em sua rede social falando sobre o assunto e determinando o afastamento imediato da servidora pública. Na publicação, ele diz que as imagens são absurdas e que o material não pertence a Semed. “Eu determinei o afastamento imediato e a abertura de sindicância para ver também se tem mais gente envolvida. Se houve negligência da diretora da escola. Isso é absurdo. Um professor fazer isso com as crianças do nosso município. 

Em nota, a Polícia Civil informa que:

A Policia Civil de Cascavel, dentro de suas atribuições de policia judiciária, está acompanhando o caso da Professora da Rede Municipal, que desenvolveu aulas de educação sexual com crianças, cujo fato foi formalmente registrado pela Secretaria Municipal de Educação, em boletim de ocorrência na 15ª SDP, como notícia de fato à apurar, onde consta também que o caso está sendo acompanhado pelo Ministério Público e Conselho Tutelar.

Se tratando de caso complexo, de grande repercussão social, contém ingredientes educacionais e pedagógicos que precisam ser esclarecidos e avaliados por profissionais da área, o que estará sendo feito dentro de procedimentos administrativos junto à Prefeitura Municipal de Cascavel.

Depois desta ação administrativa municipal, concorrente com outras informações que cheguem ao conhecimento da Autoridade Policial, poderá ser apreciado o fato à luz da legislação penal, para conclusões se houve efetiva ocorrência de tipo criminal, ou se trata de situação inadequada ou infracional de ordem administrativa-pedagógica.

Assista ao vídeo publicado pelo prefeito Paranhos:

A publicação do prefeito teve quase dois mil compartilhamentos até o fim da tarde desta terça (30).


Nenhum comentário:

Postar um comentário