Foi "apreendido" aluno que matou professor coordenador Júlio Cézar Barros de Sousa

Resultado de imagem para aluno que matou professor em goias foi apreendido

foto do Professor coordenador Júlio César Barros de Sousa 


Está apreendido o adolescente de 17 anos acusado de assassinar o professor e coordenador Júlio César Barroso de Sousa, 41 anos, no interior do Colégio Estadual Céu Azul, em Valparaíso (GO). O crime aconteceu na tarde de terça-feira (30/4) e chocou profissionais da unidade, estudantes e familiares da vítima. O jovem estava foragido desde o homicídio e foi encontrado no início da tarde desta quarta-feira (1º/5), por agentes do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da Delegacia de Valparaíso.
 
De acordo com o delegado Rafael Abrão, o garoto foi detido no bairro Pedregal, na cidade goiana de Novo Gama. Ele está sendo encaminhado para o Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) do Céu Azul, para cumprimento do mandado de busca e apreensão.  

Ato pela segurança

Pela manhã desta quarta-feira (1º), alunos e servidores do Colégio Estadual Céu Azul se reuniram em frente à instituição para protestar contra a morte do coordenador e pedir por mais segurança nas escolas. Segundo uma das funcionárias que participou do ato, a violência na escola já era algo que preocupava os colegas e alunos. "Ele (Júlio César) pensava em deixar a unidade no fim desse semestre exatamente pela falta de segurança", conta a mulher, que não quis se identificar.


A vítima iniciou as atividades na unidade escolar em janeiro de 2019, mas também lecionava em outras instituições de ensino. Quem conhecia o docente o descreve como uma pessoa "muito gente boa". Júlio César deixou a esposa, além de dois filhos, de 6 e 4 anos. Ele era responsável por buscar as crianças em uma creche de Valparaíso. A família morava em Santa Maria.
 
O corpo de Júlio César será velado durante toda a noite desta quarta-feira (1º/4), na Capela Divino Espírito Santo, em Santa Maria, a partir das 19h. Às 6h30 de quinta-feira (2/4) uma cerimônia fúnebre será celebrada no mesmo local. O enterro será às 8h, no Cemitério de Brazlândia. 

O crime

Conforme apuração de agentes do GIH de Valparaíso, o adolescente se envolveu em uma discussão em sala de aula com uma professora, referente à questões disciplinares. Em meio a briga, o suspeito agrediu a profissional verbalmente, xingando-a. O coordenador e professor Júlio César viu a situação e interveio, explicando que teria de transferir o aluno de instituição. Neste momento, o menor infrator teria dito: "Posso até sair da escola, mas isso não fica assim." 
 
O garoto foi embora e retornou por volta das 15h para a escola. Vestindo a blusa da instituição, ele entrou pelo portão e seguiu até a sala dos professores. Lá, houve uma breve discussão com Júlio. O adolescente sacou o revólver e apontou para a vítima, que tentou correr, mas foi em vão. O primeiro disparo o atingiu nas costas. Com o professor caído no chão, o suspeito se aproximou e deu o tiro fatal, na cabeça dele. A situação deixou todos os presentes apavorados.
 
Ainda na noite de terça-feira (30), familiares de Júlio foram até a escola. No local, eles disseram ao Correio que querem justiça pelo crime brutal. Em nota, a Secretaria de Educação de Goiás (Seduc) também se pronunciou sobre o caso. No texto, a pasta afirma que "tem feito todos os esforços no sentido de contribuir para a cultura da paz." 

Comentários

  1. "APREENDIDO" nem pode dizer PRESO, não vai dar em nada porque a lei está para formar BANDIDOS.

    ResponderExcluir

Postar um comentário