Translate

Pesquise

21 de nov. de 2019

Estudantes universitários levam à comunidade carente da Grande São Paulo, qualificação, informação e esperança

Resultado de imagem para instituto cativarPrimeira e única instituição social presente nas adjacências do Bairro Cooperativa, região periférica de São Bernardo do Campo que tem entre os moradores famílias assentadas e que convivem em situação de risco social elevado, Instituto Cativar conta com um grande aliado no trabalho que desenvolve junto a adolescentes e jovens da comunidade. Um grupo de 120 estudantes da Faculdade de Tecnologia Termomecanica (FTT) que vem desenvolvendo várias ações voluntárias para auxiliar no acesso de pessoas da comunidade ao emprego ou recolocação no mercado de trabalho.
Essas ações fazem parte de um programa de extensão universitária chamado Arena Solidária que realizou, ao longo de 2019, 14 capacitações, dentre elas: elétrica básica, desenho técnico, Auto Cad, Inventor, informática (Word, Excel e Power Point), gestão financeira, boas práticas em relação à higienização de pessoal e de alimentos, além de compartilhar práticas realizadas na Faculdade em prol do encaminhamento para o mercado de trabalho.
Luciana Guimarães Borges, diretora acadêmica da FTT, explica que além destas formações, foram compartilhadas estratégias de marketing pessoal, informações e dicas sobre os programas menor e maior aprendiz, realizadas uma dinâmica para estimular o planejamento de carreira e uma consultoria para elaboração / revisão de currículos de moradores da região inscritos no Instituto Cativar. Além disso, um parceiro da FTT, na área de recursos humanos, levou aos presentes uma palestra sobre as exigências do mercado de trabalho atualmente.
Ainda segundo a diretora, as ações tiveram um tripé básico: informação, prática e empoderamento. "O impacto causado pela informação confiável sobre oportunidades, direitos e deveres, aliado à prática, com a oficina de currículos e as dinâmicas propostas, está relacionado a promoção da cidadania e, consequentemente, o empoderamento, proporcionando liberdade de escolha e aumentando as chances de direcionamento de seu destino", justifica Luciana.
Para Nádia Gibo, coordenadora do Instituto Cativar, o Arena Solidária chegou em um momento crucial para a instituição. "Nós desenvolvemos um Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, para uma comunidade proveniente de assentamentos, em uma região violenta, carente de atuação social e sem equipamentos culturais. Identificamos que por volta dos 14 anos, os jovens da região começam a perceber com maior clareza a precariedade em que estão inseridos e, por esta razão, nossos esforços são voltados para os adolescentes, com o intuito de prevenir situações de risco, como o ingresso na criminalidade", diz.
A responsável pelo Instituto Cativar revela, ainda, que a atuação dos alunos da FTT na comunidade têm sido um dos pontos altos do programa Arena Solidária. "Não há histórico de sucesso escolar na comunidade, então a convivência com os alunos da FTT oferece uma referência positiva para sua formação, causando um impacto extremamente positivo, permite enxergar uma expectativa de vida melhor".
Além das formações voltadas para o desenvolvimento profissional, um grupo de jovens da comunidade receberam um treinamento para desenvolverem projetos na biblioteca, recentemente inaugurada no Instituto Cativar, como saraus, clubes de leitura, construção de memória e cine pipoca. "Essas formações foram feitas de forma voluntária pelas nossas infoeducadoras, que levaram suas expertises nesse tipo de atividade para inspirar os jovens que irão tocar esses projetos no Instituto", revela Pablo Fabiano Carneiro, professor coordenador do Arena Solidária.
"Considerando a importância da biblioteca para a comunidade, os estudantes também estão desenvolvendo um livreiro com um sistema de roldanas, totalmente planejado e otimizado nos laboratórios da FTT. Além disso, também estão trabalhando em dois softwares, um para cadastro de usuários e outro para controle de empréstimos de livros", acrescenta o professor.
"A região é considerada área branca pelo poder público, pois não conta com nenhum equipamento cultural e a biblioteca que inauguramos recentemente vai servir a toda comunidade. Reunimos um grupo de jovens para participar das formações com as infoeducadoras, pois além de aprenderem um ofício, o protagonismo faz com que eles se apropriem do espaço", complementa Nádia.
Sustentabilidade financeira X ampliação
Outro projeto que está sendo executado pelos integrantes do Arena Solidária é implantação de duas fontes de geração de renda e capacitação que visam gerar recursos para dobrar número de atendimentos para a comunidadeuma estamparia e uma bolaria, que serão instaladas no próprio Instituto Cativar e terão como mão de obra e principais beneficiados, os assistidos.
"As artes da estamparia, serão produzidas pelos jovens nas oficinas de grafite que temos aqui, onde poderão mostrar seu trabalho com uma grife própria de camisetas e bonés. Com a implantação da bolaria, devemos criar uma oficina regular de cozinha, no mesmo molde da de grafite. Os recursos serão destinados à ampliação do atendimento e à compra de matérias-primas para continuar as produções tanto da bolaria quanto da estamparia. Dessa forma colocaremos ainda mais gente preparada no mercado, ao mesmo tempo que garantimos a continuidade do projeto", afirma Nádia.
Uma demanda urgente do Instituto é a ampliação dos serviços prestados, pois há fila de espera por uma vaga no Cativar"Após análise de possibilidades, os alunos identificaram um potencial comercial que pode ser explorado dentro da própria comunidade. Assim, elaboraram um plano de negócio juntamente com a instituição e organizaram uma vaquinha online para obter recursos para a implantação da Bolaria e da Estamparia", conclui o professor.
Os alunos integrantes do Arena Solidária realizarão, ainda este ano, uma oficina sobre contato e manejo dos equipamentos da nova cozinha, uma de geleia de morangos e estão organizando um mutirão para limpeza, pintura e adequação dos espaços e prestarão uma consultoria para a implantação dos negócios.
Sobre o Instituto Cativar
Criado em 2014, tem como missão contribuir para o desenvolvimento social, educacional e cultural de crianças, jovens e adultos para que possam atuar com autonomia na transformação de suas realidades. O objetivo principal é prevenir situações de risco e fortalecer a convivência familiar e comunitária, oferecer ações complementares à escola, com enfoque na educação integral, apoio psicossocial e sócio familiar, visando a valorização da escola, o sucesso em situações de ensino-aprendizagem e a criação de vínculos pessoais, familiares e comunitários e desenvolver atividades de intervenção urbana e ações sociais, fortalecendo o respeito, a solidariedade, a gentileza e a sustentabilidade. Atende cerca de 240 alunos por mês, com faixa etária entre 6 e 59 anos. No espaço, são realizadas aulas de dança, artesanato, inglês, espanhol, entre outras.
Sobre o Arena Solidária
Criado pela Faculdade de Tecnologia Termomecanica em 2016 como um programa de voluntariado para proporcionar aos alunos uma visão social e contribuir com o desenvolvimento de uma sociedade mais justa, o Arena Solidária tornou-se um dos projetos de extensão universitária, garantindo que o tempo dedicado ao projeto seja considerado como horas de estágio, devido ao engajamento dos alunos em buscar soluções para problemas reais, utilizando-se do conhecimento obtido no campus. A primeira edição, finalizada em 2018, foi agraciada com o Prêmio Nacional de Gestão Educacional (PNGE), na categoria de Responsabilidade Social, durante o GEduc - Congresso de Gestão Educacional, realizado em março de 2019. Atualmente conta com um Comitê de 120 alunos, dos cursos de Administração, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Computação e Engenharia de Controle e Automação.
Sobre a Faculdade de Tecnologia Termomecanica
Fundada em 2002, integra o Centro Educacional da Fundação Salvador Arena (CEFSA), instalado em mais de 130 mil metros quadrados. Conta com laboratórios, salas temáticas, rede de bibliotecas interativas, ginásios poliesportivos, conjunto aquático, campo de futebol, pista de atletismo, estação agroambiental e um teatro com capacidade para 600 pessoas. A Faculdade tem todos os seus cursos reconhecidos com nota máxima e está há 8 anos consecutivos no grupo de
excelência do Ministério da educação (MEC). Em 2018, a FTT recebeu R$ 19,3 milhões em investimentos e encerrou o ano com 958 alunos ante 788 no ano anterior. Metade dos alunos dos cursos de graduação da FTT vem de famílias com renda per capita mensal até 1,5 salário mínimo. Este ano, a FTT passou a oferecer dois cursos de pós-graduação lato-sensu em Gestão Educacional e Gestão de Projetos em Inovação e Sustentabilidade.

Mais informações para a imprensa:

Gabriela Pomarino | gabriela.pomarino@cdn.com.br | (11) 4359-6577

Marleide Rocha | marleide.rocha@cdn.com.br | (11) 4084-2790

Maria Eduarda Amaral | mariaeduarda.amaral@cdn.com.br| (11) 3643-2714

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ajude a manter o site