A reativação do TREM - Pradópolis/Colômbia e Bauru/Marília/Panorama

layer

A aprovação do Tribunal de Contas da União (TCU) representa mais uma importante etapa no processo de renovação antecipada da Malha Paulista. Agora, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) fará os ajustes solicitados pelo TCU, para que o contrato possa ser estendido até 2058.  

A assinatura do contrato com o Ministério da Infraestrutura viabilizará um aporte de cerca de R$ 7 bilhões em obras de redução de conflitos urbanos e expansão de capacidade, entre outros investimentos na ferrovia que corta o estado de São Paulo até o Porto de Santos.

Com isso, haverá  um aumento de 150% de capacidade de transporte na Malha Paulista – de 30 milhões de toneladas para 75 milhões de toneladas anuais. Esse ganho elevará a eficiência de escoamento do agronegócio brasileiro e a movimentação de produtos industriais pelo interior do País.

A reativação dos ramais de Pradópolis/Colômbia e Bauru/Marília/Panorama está condicionada à assinatura do contrato de renovação antecipada da Malha Paulista, que ainda depende da realização, por parte da ANTT, dos ajustes determinados pelo TCU.

layer

Comentários