CMC - MÍDIA

Obras da Sabesp garantem abastecimento à população e integram pacote de iniciativas na cidade de Santo André

Novas adutoras põem fim à falta de água a 700 mil pessoas em Santo André

Resultado de imagem para Sabesp adutora santo andre
A Sabesp entrega nesta sexta-feira (13) três adutoras para levar mais água à população de Santo André e assegurar o fim das interrupções no abastecimento que afetavam vários bairros. Com a inauguração das adutoras Erasmo Assunção, Vila Vitória/Miguel Ângelo e Parque Miami/Recreio da Borda do Campo, além da adutora Camilópolis, já em operação, a Companhia garante água a cerca de 700 mil pessoas.
“Foi muita obra, a cidade deve ter sofrido um pouco com o trânsito, mas foi algo necessário para garantir mais água para a população de Santo André, contribuindo para a qualidade de vida e do meio ambiente. Estamos aqui para prestar serviço e contribuir para que a cidade tenha, na parte de saneamento, uma assistência de qualidade”, afirmou diretor metropolitano da Sabesp, Paulo Massato.
As adutoras são tubulações de grande porte necessárias na distribuição de água. A construção das três adutoras agora entregues e da Camilópolis recebeu um investimento de R$ 22,4 milhões e fez parte dos primeiros pacotes de obras da Sabesp em Santo André, com empreendimentos iniciados em agosto. Somente a interligação da adutora Camilópolis ao Sistema Rio Claro, concluída na primeira semana de novembro, assegurou o abastecimento de cerca de 350 mil moradores, beneficiando praticamente metade do município.
“A conclusão dessas obras vai dar uma tranquilidade aos nossos munícipes, que terão um verão muito diferente do que foi ano passado, quando chegamos em uma época de pico das reclamações com até 30 mil famílias sem o fornecimento de água. A partir de hoje, estruturalmente, a cidade está completamente abastecida. Casos pontuais podem acontecer, mas no geral a cidade ganhou uma flexibilidade que vai permitir que o andreense tenha tranquilidade no fornecimento de água”, destacou o prefeito Paulo Serra.
Com as outras três adutoras que estão sendo entregues, a população que passa a ser beneficiada chega a aproximadamente 700 mil pessoas. A duplicação por 1,5 km da adutora que abastece o setor de Erasmo Assunção atende diretamente 160 mil pessoas dos bairros Parque Erasmo Assunção, Jardim Alzira Franco, Parque Capuava, Jardim Santo Alberto, Parque Novo Oratório, Jardim Ana Maria, Parque Oratório e Jardim Monte Líbano.
A adutora Vila Vitória/Miguel ngelo, por sua vez, reforça o abastecimento desses dois bairros e também de locais como Vila Nova Oratório, Jardim Junqueira, Jardim Teles de Menezes, Jardim Progresso e Geressai, entre outros. Já a adutora Parque Miami/Recreio Borda do Campo atende as duas regiões de Santo André, levando mais segurança hídrica aos moradores. Com a entrega dessas obras, a Sabesp honra seu compromisso de pôr fim às interrupções no fornecimento de água e ainda está executando a implantação de rede de distribuição em bairros que nem eram abastecidos regularmente, com moradores dependendo de caminhões-pipa para ter água.
“Santo André não tem mais mancha vermelha. Isso significa que não tem mais nenhuma situação de abastecimento de água complicado. Temos agora toda a estrutura, todas as adutoras. Foram 22 milhões de investimento em quatro meses de muito trabalho. O nosso compromisso de entregar todas essas obras até antes do Natal permitiu que o município esteja tranquilo em relação ao abastecimento de água”, explicou o superintendente da Unidade de Negócio Centro da Sabesp, Roberval Tavares de Souza.
Pacote de obras
Com o terceiro pacote de obras já anunciado, a Companhia continua também avançando na prestação de serviços à população. Estão previstas obras do Programa Água Legal e a implantação de redes de água no Parque Andreense e no Jardim Clube de Campo, além de interligação de redes de esgoto nos bairros Parque Marajoara, Cidade São Jorge e Parque das Nações, entre outros. O Água Legal é o programa da Sabesp premiado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e que leva estrutura de abastecimento a moradores de áreas irregulares, após obtenção das autorizações legais necessárias. Nesses locais, as pessoas são normalmente abastecidas de modo precário por tubulações improvisadas e sujeitas à contaminação.
A implantação da rede de água e das ligações será feita por meio de contratos de performance, pelo qual a empresa contratada é remunerada com base nos resultados obtidos e metas cumpridas. No caso de Santo André, o Água Legal vai atender cerca de 80 mil moradores dos núcleos Gregório de Matos, Cidade São Jorge, Capuava e Portelinha, entre outras áreas. Até dezembro de 2020, aproximadamente 20 mil imóveis passarão a receber água diretamente nas torneiras. O investimento será de R$ 15 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CMC, CIDADE DE MARÍLIA