Pesquisa conclui que Brasil têm professores em excesso.

                

Resultado de imagem para RICARDO PAES DE BARROS    O pesquisador e economista do instituto Ayrton Senna, também professor do Insper, Ricardo Paes de Barros apresentou um diagnóstico da educação brasileira, e chegou à uma conclusão, para muitos contraditória, de que o país tem um excedente significativo de professores e que essa demanda em excesso poderá levar ao desemprego desses profissionais nos próximos anos. 

 Segundo o pesquisador, a área da educação não conseguirá absorver a quantidade professores que se formaram nessa última década. Entre 2013 e 2017 ocorreu um aumento muito grande na formação de professores. Para Paes de Barros as políticas de inclusão e a escola democrática e inclusiva é um dos fatores que levaram a essa formação excessiva de profissionais da educação. A questão e o problema não é a escola ser democrática, e sim o fato, facilmente constatado,   que a  quantidade de alunos matriculados nos últimos anos vem caindo progressivamente.  

Na contramão desse aumento da mão de obra de professores temos a taxa de natalidade no Brasil que está em queda na maior parte dos estados. Esse é um fator determinante para que o pesquisador chegasse a essa conclusão um tanto contraditória quando deparamos com a falta de professores nas escolas públicas. O que tranquiliza um pouco é que há uma geração de professores que se aposentarão nos próximos anos, porém ainda assim não é o suficiente para que num futuro próximo a demanda de mão de obra  na área da educação encontre um equilíbrio entre a oferta e a procura por empregos. 

Comentários