https://www.google.com/appserve/mkt/optin/AD-FnEw6aolQdEQFzj58DL0CRIvBVnLloDmToDBY4md6SHn3YqacVCZlkrbKFHqDmXkeAoP-nva2uUDxHwcbcwnNWAY5tQ-fX20uXTYUutPsyIQTW-5p-yLxuz4?hl=en-US google.com, pub-0664806714269334, DIRECT, f08c47fec0942fa0

Tradutor

Pesquisar

ACOLHIMENTO DE IMIGRANTES

Operação Acolhida acompanha a chegada
de 133 imigrantes a Brasília
LOC: A venezuelana Anyely Del Valle Rivas, de 24 anos, desembarcou na capital federal nesta segunda-feira (06), vinda de Boa Vista (RR). Ela chegou com outros 130 imigrantes, assistidos pela Operação Acolhida do governo federal. Quem a recebeu no aeroporto foi o pai, Gustavo Rivas, que já vive em um município goiano, no entorno de Brasília. .

SONORA ANYELY RIVAS

LOC: Reencontrar a família foi o motivo que também trouxe Maryelis Rangel, de 33 anos, e o filho, Yerixon, de 12 anos, a Brasília. Aqui eles encontraram o irmão e a cunhada. Depois de perder o emprego em Boa Vista, ela espera por dias melhores na capital federal.

SONORA MARYELIS RANGEL

LOC: Para a secretária Nacional de Assistência Social, Mariana Neris, reforçar os laços dessas pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade por conta do grave problema humanitário no país vizinho é uma das principais funções da Operação Acolhida e do Sistema Único de Assistência Social. .

SONORA MARIANA NERIS

LOC: De acordo com a coordenadora do Subcomitê Federal de Interiorização do Governo Federal, Niuzarete Lima, a expectativa é encaminhar cerca de duas mil pessoas por mês para outras partes do país. Para isso, é necessário reforçar parcerias com governos locais e instituições privadas.

SONORA NIUZARETE LIMA

LOC: De 2018 - até novembro do ano passado-, mais de 25 mil pessoas foram interiorizadas para de 356 municípios em todo o país. A iniciativa, coordenada pela Casa Civil da Presidência da República com o apoio também do Ministério da Cidadania, tem como objetivo promover a inclusão socioeconômica dos venezuelanos que chegam ao Brasil pela fronteira com Roraima. Para participar das operações de interiorização, os refugiados ou migrantes venezuelanos precisam aceitar participar do processo. É feita uma triagem para saber quais municípios estão aptos a recebê-los, com oportunidades de emprego ou o apoio de amigos ou familiares que já tenham se estabelecido. O solicitante tem toda documentação verificada e, uma semana antes de ser transferido, passa por uma avaliação clínica, para verificar as condições de saúde, além de receber imunização completa.

Reportagem, Marina Fauth.

COMPARTILHAR