Pesquise

Melhora na qualidade de vida do idoso

Quando escolher uma instituição adequada para melhorar a qualidade de vida do idoso?

Questões culturais e sentimento de culpa ainda são tabus para muitas famílias

O crescimento da população idosa aliado à diminuição do tamanho das famílias trouxe uma questão ao mesmo tempo delicada e angustiante: o que fazer para não deixar o idoso sozinho, ocioso, sem a atenção necessária à sua saúde e com a qualidade de vida reduzida? A busca por uma solução mais adequada muitas vezes esbarra em aspectos culturais que pouco têm a ver com aquilo que a pessoa idosa possa estar precisando para estimular a parte física, cognitiva e social. Para muitos especialistas, a mudança para um espaço desenvolvido especialmente para quem é da terceira idade pode trazer benefícios incalculáveis.

- Culturalmente, ainda se tem a ideia de que o lugar do idoso é junto aos familiares. Mas qual a quantidade de tempo que passamos com eles na vida contemporânea? Desse tempo, qual a qualidade dele? Por isso, acreditamos que estar em um local onde ele possa ser estimulado, participando de atividades físicas, cognitivas, culturais e sociais seja fundamental na manutenção de sua saúde emocional e motora- explica a psicóloga Daniela Bernardes, do Residencial Club Leger.

Foi a falta de tempo para dar os cuidados que a mãe necessitava que levou Tatiana Cotrim a buscar um local adequado para recebê-la.

- Minha mãe passou a apresentar quadro de falta de memória, principalmente para coisas recentes. Meu pai cuidou dela até morrer. A gente não sabia da gravidade do caso e nos deparamos com uma situação em que ela necessitava de atenção especial e nós não tínhamos, nessa correia dos dias, como estar tão presentes quanto gostaríamos. Foi aí que começamos a procurar um local adequado para ela ter uma vida mais com sociabilidade, atendimento de saúde e desenvolvimento cognitivo - explicou Tatiana.

A procura não foi fácil. Ela e a irmã se depararam como muitas instituições mal cuidadas, com aspecto de hospitais em ruínas e idosos pelos cantos, completamente abandonados.

-Aquilo me deprimiu muito. Você via que aquelas pessoas tinham ido para aqueles lugares para morrer. E a minha mãe não está num estágio de vida em que precise apenas de cuidados básicos. Ela precisava ter uma vida normal, conversar com pessoas normais, fazer coisas normais.

Foi durante essa busca que elas encontraram o Residencial Clube Leger. O local, segundo Tatiana, oferece a segurança e qualidade no atendimento que ela tanto ansiava.

- Os aspectos que mais nos chamaram a atenção foram a limpeza, a qualificação dos funcionários e as atividades empregadas. Nós percebemos melhoras nela. Está mais esperta e ligeira. A rotina e os horários são bem respeitados no residencial, o que acabou acabou melhorando demais a vida dela. A alimentação também melhorou porque é mais balanceada.

Para a psicóloga Daniela Bernardes, esse exemplo demonstra uma necessidade de maior sensibilização dos próprios idosos, dos familiares e da sociedade como um todo quanto às novas formas de enxergar essa fase da vida, que requer diferentes estratégias de enfrentamento:

- Precisamos quebrar o paradigma do "abandono". Novas fases de vida demandam novos estímulos. E ir para um local de moradia mais apropriado, por vezes, é a melhor solução. Precisamos nos adaptar diante das novas necessidades que a vida nos impõe, apesar do choque inicial que qualquer mudança ocasiona.

Sobre o Residencial Club Leger

Localizado em um espaço de 110 mil metros quadrados vizinho à área de preservação do Parque Estadual do Jaraguá, a 20 quilômetro do Centro de São Paulo, o Residencial é cercado de área verde que permite aos residentes atividades como piqueniques com a família, trilhas e aulas de jardinagem.

Leger tem entre seus objetivos prioritários estimular o convívio social dos residentes com atividades diárias, como as sessões de musicoterapia, que influenciam nas funções cognitivas e motoras. O espaço disponibiliza de uma equipe multidisciplinar com geriatra, enfermeiros, terapeuta ocupacional, nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas e psiquiatras, que acompanham os residentes diariamente.

A elegância, o conforto e os espaços de socialização são marcas do empreendimento. A estrutura conta com salão para festas e eventos, adega, biblioteca, confecção de arranjos florais, restaurante, piscina, quadra de tênis, capela e fogão à lenha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cidade de Marília: notícias, cultura, educação, entretenimento e política