Parlamentares da Rede, do PT e do PSol apresentaram nesta quarta-feira (18) pedido de cassação do mandato do senador Flávio Bolsonaro

O senador Randolfe Rodrigues (centro) entregou a representação ao presidente do Conselho de Ética, senador Jayme Campos

O senador Randolfe Rodrigues (centro) entregou a representação ao presidente do Conselho de Ética, senador Jayme Campos

Fonte: Agência Senado


Parlamentares da Rede, do PT e do PSol apresentaram nesta quarta-feira (18) pedido de cassação do mandato do senador Flávio Bolsonaro (sem partido–RJ) por lavagem de dinheiro, corrupção e associação com milícia. A petição (PCE 1/2020) foi entregue ao presidente do Conselho de Ética do Senado, senador Jayme Campos (DEM-MT).
O presidente tem cinco dias úteis para decidir se aceita ou não o pedido. Ele também pode solicitar parecer à Advocacia Geral do Senado, segundo as regras previstas no Regimento Interno da Casa.

Jayme afirmou que agirá com lisura, transparência e sem açodamento.
— Vou cumprir literalmente o que determina a lei, a Constituição Federal e o Regimento Interno do Senado, oferecendo o direito da ampla defesa ao representado e recorrendo à Advocacia Geral da Casa, que é o órgão competente para subsidiar o andamento do processo — disse.
O líder da Minoria, senador Randolfe Rodrigues (Rede–AP) afirmou que os fatos são gravíssimos.
— Não fazemos uma representação de bom grado. Fazemos porque é imperiosa, porque os fatos são gravíssimos. Não podemos admitir. É incompatível com o exercício do mandato parlamentar os crimes aqui assinalados.
Procurada pela reportagem, a assessoria do senador Flávio Bolsonaro informou que ele já se manifestou contrário ao pedido em suas redes sociais.
Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Agência Senado

Comentários