Aplicativo de motos lança em São Paulo serviço de entregas voltado ao pequeno comércio


Além de motos, empresa também vai cadastrar bicicletas

Depois de um período de testes, a Picap lança o serviço de entregas (Pibox) em São Paulo. A ideia é atender a todo tipo de encomenda, desde que não ultrapasse o valor de R 500. Além de motos, a startup também receberá cadastramento de bicicletas.
Resultado de imagem para picap aplicativos- Temos muitos parceiros engajados que anseiam por mais esta oportunidade de renda extra. Identificamos também uma demanda local, principalmente voltada para pequenos negócios, de entregas pontuais - explica o CEO da startup, Diogo Travasso.
O objetivo da empresa é expandir o serviço de entregas às cidades onde já é oferecido o transporte voltado a passageiros pela Picap. Além de São Paulo, Rio de Janeiro e Fortaleza também terão acesso ao serviço. Recife já conta com este tipo de operação desde a semana passada. A empresa acredita que, até o final do ano, o serviço de entrega representará 20% do total de corridas realizadas via plataforma.
- Mas não é preciso se limitar a essas cidades, há muitas oportunidades em todo o Brasil - diz Travasso.
A empresa manterá o modelo adotado em relação ao transporte de passageiros, e não cobrará qualquer comissão, neste primeiro momento, dos motociclistas cadastrados. Ou seja, o motorista ficará com 100% do valor da corrida. O motociclista deverá tirar uma foto da mercadoria quando tiver acesso à encomenda e outra no momento da entrega. O objetivo é garantir a segurança do serviço.
Não poderão ser transportados produtos ilícitos, animais, armas de fogo ou munições, materiais perigosos, inflamáveis ou combustíveis, drogas e entorpecentes, explosivos, joias e quaisquer outros cujo transporte seja proibido pela legislação. As dimensões máximas das encomendas são 36cm de altura, 42cm de comprimento e 44cm de largura. O peso máximo comportado é de até 20kg.
A Picap iniciou o serviço de entregas, assim como no caso do transporte de passageiros, na Colômbia, em 2019. Este ano, além do Brasil, expandiu a operação do serviço também para o México.
- Os primeiros meses foram animadores. Em breve, serão incluídos outros países da América Latina - revela Travasso.

Comentários