13 de mar. de 2020

Não há casos de Coronavírus na cidade

Prefeitura informa que não há nenhum caso suspeito de Coronavírus na cidade
Vigilância Epidemiológica alerta as pessoas para continuarem a tomar os cuidados recomendados para evitar o contágio e a transmissão do vírus
Foto Noticia Principal GrandeA Prefeitura de Marília, por meio da Vigilância Epidemiológica de Marília, informa que até o atual momento não há nenhum caso suspeito de do covid19 (Coronavírus). Há aproximadamente sete dias houve a abertura equivocada de uma suspeita de Coronavírus por se tratar de contato direto com pessoa que esteve em local endêmico, sendo esta descartado laboratorialmente na última terça-feira, dia 10.
Alessandra Arrigoni Mosquini, supervisora da Vigilância Epidemiológica no município, alerta que a falta de casos suspeitos não é motivo para as pessoas deixarem de tomar os cuidados recomendados para evitar o contágio e a transmissão do vírus.
Segundo Alessandra, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o vírus está apresentando transmissão sustentável em diversos países e, aqueles que ainda não apresentaram casos, estão sendo alertado para que isso possa ocorrer.
“Alguns dados já estão bem definidos e algumas características desta transmissão são: cada pessoa contaminada transmite para mais dois. O coeficiente de mortalidade é maior em idosos, cerca de 3% e que 80 % dos casos terão forma brandas, como sintomas de uma gripe”, disse.
A supervisora da Vigilância Epidemiológica orienta também que não há necessidade de pânico. “As pessoas devem sim estar preparadas para a introdução deste vírus, mas não devemos lotar os nossos serviços de urgência devido ao pânico. O covid já demonstrou menor impacto do que a própria influenza. Por isso a antecipação da campanha de vacinação contra a gripe.”

• CASOS SUSPEITOS:
VIAJANTE: pessoa que apresente febre E pelo menos um dos sinais ou sintomas respiratórios (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, saturação de O2 < 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia) E com histórico de viagem para país com transmissão sustentada ou área com transmissão local nos últimos 14 dias.
CONTATO PRÓXIMO: Pessoa que apresente febre ou pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, saturação de O2 < 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia) E histórico de contato com caso suspeito ou confirmado para COVID-19, nos últimos 14 dias
• CASO PROVÁVEL DE DOENÇA PELO CORONAVÍRUS 2019 (COVID-19)
CONTATO DOMICILIAR: Pessoa que manteve contato domiciliar com caso confirmado por COVID-19 nos últimos 14 dias E que apresente febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, saturação de O2 < 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia). Nesta situação é importante observar a presença de outros sinais e sintomas como: fadiga, mialgia/artralgia, dor de cabeça,calafrios, manchas vermelhas pelo corpo, gânglios linfáticos aumentados, diarreia, náusea, vômito, desidratação e inapetência.


QUE É O CORONAVÍRUS

A doença provocada pelo novo Coronavírus é denominada oficialmente como COVID-19, sigla em inglês para “coronavírus disease 2019” (doença por coronavírus 2019, na tradução). Vírus que causa doença respiratória pelo agente coronavírus, com casos recentes registrados na China e em outros países.

SINTOMAS
Quadro pode variar de leve a moderado, semelhante a uma gripe.
• Febre (a partir de 37,8ºt)
• Sintomas respiratórios (Tosse, dificuldade para respirar)
• Outros sintomas (dor de cabeça, irritabilidade/confusão, cansaço, dores, corrimento e congestão nasal, dor de garganta e diarreia podem ocorrer )
Alguns casos podem ser mais graves, por exemplo, em pessoas que já possuem outras doenças (HAS, DM, doenças cronica, idade superior a 60 anos e etc) . Nessas situaçōes, pode ocorrer síndrome respiratória aguda grave e complicações. Em casos extremos, pode levar a óbito.

COMO OCORRE A TRANSMISSÃO
• Espirros,
• Tosse,
• Catarro,
• Gotículas de saliva,
• Contato direto com pessoas infectadas,
• Superfícies contaminadas, seguida de contato com boca, nariz e olhos.

FORMAS DE PROTEÇÃO

LAVE AS MÃOS FREQUENTEMENTE COM ÁGUA E SABÃO E USE ANTISSÉPTICO DE MÃOS À BASE DE ÁLCOOL GEL 70%, PRINCIPALMENTE:
• Após tossir ou espirrar.
• Depois de cuidar de pessoas doentes.
• Após ir ao banheiro.
• Antes e depois de comer

AO TOSSIR E ESPIRRAR:
• Cubra a boca e o nariz. Use os braços ou lenço descartável. Evite usar as mãos. E se usar, lembre de lavar bem com água e sabão.
• Se usar um lenço, jogue-o fora imediatamente e lave as mãos.
• Use, preferencialmente, lenços descartáveis.

FORMAS DE PREVENÇÃO

• Evite ficar em contato próximo a pessoas com febre e tosse.
• Procure um serviço médico se apresentar sintomas como febre, tosse e dificuldade de respirar.

MÁSCARAS:

No momento, não há recomendação para uso de máscaras para a população no geral. Quem estiver saudável não precisa se preocupar com isso. Mas todos devem sempre fazer a higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel, e evitar contato com mucosas de nariz, boca e olhos. São cuidados simples, importantes e que devem ser frequentes para prevenir doenças contagiosas.



Fotos: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cidade de Marília: notícias, cultura, educação, entretenimento e política