Renovação da Rumo Malha Paulista será assinada este mês, diz ministro

Renovação da Rumo Malha Paulista será assinada este mês, diz ministro

Foto: Divulgação/Ministério da Infraestrutura Tarcísio de Freitas

O contrato de renovação antecipada da Rumo Malha Paulista deve ser assinado ainda este mês, segundo afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, logo após uma reunião conjunta da qual participou ontem (segunda, dia 2) entre os conselhos superiores do Agronegócio (Cosag), Infraestrutura (Coinfra) e da Indústria e Construção (Consic), na sede da Fiesp, em São Paulo. "Serão R$ 6 bilhões de investimentos em ferrovia nos próximos cinco anos, 33 municípios de São Paulo atendidos e sairemos de uma capacidade de 35 milhões de toneladas para 75 milhões toneladas por ano", afirmou.
O ministro citou outros projetos como o da Ferrogrão, cuja expectativa da pasta é enviar o edital de concessão ao Tribunal de Contas da União (TCU) ainda este ano. Sobre a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), Freitas comentou que a previsão é estar com o edital aprovado pelo TCU em junho/julho deste ano, último passo antes de lançá-lo ao mercado. A ideia é conceder à iniciativa privada o trecho I da ferrovia, que vai de Ilhéus a Caetité, na Bahia.   Entre os projetos desse ano está a concessão da BR-163, cuja pavimentação foi concluída no fim de 2019. A concessão, segundo Freitas, será encurtada para 10 anos, em função da Ferrogrão, que prevê uma linha ferroviária fazendo o mesmo percurso da rodovia, entre Sinop (MT) e Miritituba (PA).
"Vamos partir com essa concessão encurtada, a ideia é fazer 10 anos de concessão, que é o tempo que vamos levar para licenciar e tocar o projeto da Ferrogrão. Então, raciocinamos com o cenário de Ferrogrão sendo licitada e, por isso, a BR 163 é uma concessão mais simples, de um tempo menor", disse.
O ministro falou também sobre a indicação de Davi Barreto para a diretoria geral da ANTT. "Formado pelo ITA, mestre em economia pela UNB, estudou regulação, 10 anos a frente da área de fiscalização de infraestrutura do TCU, já está fazendo um grande trabalho como diretor lá. Goza da credibilidade do mercado e na regulação. Credibilidade é tudo, então, assim, é um senhor currículo. Um profissional de ponta que vai fazer um grande trabalho na agência e por isso ele vai ser a minha indicação para a direção geral".
Mário Rodrigues encerrou o mandato como diretor geral da ANTT em fevereiro deste ano. Em seu lugar, provisoriamente está Marcelo Vinaud, que compõe o quadro de diretoria da agência. Elisabeth Braga também encerrou o mandato como diretora. O nome de Davi Barreto para diretoria geral ainda passará por aprovação no Senado.

Comentários