A crise do coronavírus está chegando ao futebol

Por medo de coronavírus, governo e jogadores pedem pausa no ...

Crise do coronavírus afeta patrocinadores 

de futebol e até de LoL


A crise do coronavírus parece ter acertado em cheio o futebol brasileiro. Depois de a TV Globo, detentora dos direitos de transmissão dos principais campeonatos estaduais do País, ter anunciado que interromperia os pagamentos aos clubes, chegou a vez dos patrocinadores.
A impossibilidade de ver a marca divulgada na televisão durante as partidas, ou nas placas espalhadas pelos estádios do País, levou algumas empresas a colocarem o pé no freio e anunciarem interrupções – temporárias e definitivas – nos contratos junto a alguns dos principais clubes brasileiros.
Uma reportagem do Estadão Conteúdo revelou que o Azeite Royal decidiu dar um tempo na parceria que possuía com os quatro principais times de futebol do Rio de Janeiro – Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco.
Em nota, a empresa justificou que suas ações durante a pandemia de coronavírus estão concentradas no abastecimento de redes de supermercados parceiras.
O investimento da empresa era responsável por R$ 3 milhões anuais ao Flamengo e metade do valor para cada um dos outros três grandes do futebol carioca.

Clubes paulistas

Dois dos principais clubes do futebol paulista também estão sendo afetados. De acordo com o Diário do Peixe, o Santos já teve suspensos dois contratos de patrocínio.
O Grupo Algar, parceiro do clube desde 2016, estava negociando a permanência da marca na camisa alvinegra por mais duas temporadas, mas interrompeu as conversas e colocou um ponto final no vínculo.
A Autoridade de Turismo da Tailândia também não faz mais parte do grupo de patrocinadores do time da Vila Belmiro, pois achou inviável manter a divulgação do turismo de um país que está fechado por conta de uma pandemia.
O Corinthians viu a Marjosports, startup de tecnologia voltada para o ramo de apostas esportivas, suspender o contrato de patrocínio temporariamente – a princípio.
Até o momento, somente o São Paulo e o Palmeiras permanecem firmes com seus patrocinadores. O último, no entanto, pode ver a Crefisa, sua principal marca, alterar o contrato nos próximos meses.
Hoje a marca é dona do principal contrato de patrocínio do futebol brasileiro, rendendo aproximadamente R$ 81 milhões anuais aos cofres do Palmeiras.

Futebol feminino

A crise causada pela pandemia de coronavírus pode causar danos irreparáveis ao futebol feminino, que nunca foi tão badalado quanto o dos homens, mas vinha começando a galgar um espaço importante na mídia e entre os torcedores.

Comentários