Como ficarão os professores do Estado de São Paulo?


Alunos da rede estadual de SP vão ter aulas a distância pela TV e aplicativo de celular a partir da próxima semana.

O secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, durante transmissão online com professores na plataforma do governo de SP. — Foto: Divulgação


Conteúdo estará disponibilizado a partir da próxima segunda (6) e vai atingir 3,5 milhões de estudantes. Prefeitura de SP também vai disponibilizar conteúdo on-line.


O governador João Doria (PSDB) anunciou na tarde desta sexta-feira (3) que os alunos da rede pública, que estão em casa devido a quarentena do coronavírus, passarão a ter aulas a distância pela televisão e por aplicativo. Ao todo, 3,5 milhões de alunos serão beneficiados e a transmissão começa na próxima segunda-feira (6).
As aulas, que estão suspensas desde 23 de março, serão ministradas por especialistas e mestres em ensino. O aplicativo terá aulas ao vivo, em sua maioria, com algumas reprises. Será possível baixar materiais pelo aplicativo.
"Os alunos poderão assistir às aulas ao vivo e podem interagir pelo aplicativo ou pelo celular. O professor, que é sempre a chave de tudo o que a gente sempre precisa, e o aprendizado deve acontecer de qualquer forma e em qualquer lugar para as nossas crianças. O aplicativo terá canais, como filosofia, português, e no meio será a figura central do professor, que irá permitir a interação. As aulas serão ao vivo, preferencialmente, diversos canais com conteúdo, e os alunos também podem entrar e conversar pelo chat e baixar materiais", afirmou o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares.
De acordo com Rossieli, o governo está fazendo uma parceria com a TV Cultura para transmitir o conteúdo ao vivo. Além disso, os estudantes terão acesso gratuito a internet ao se logar no aplicativo. "“Depois de um longo processo de discussão nós conseguimos garantir a internet gratuitas para os nossos estudantes, então sempre que ele logar por este dispositivo ele não pagará, mesmo que ele seja um pré-pago, ele não pagará da sua internet. Nós teremos oportunidades iguais aos nossos estudantes. Os estudos mostram que nós temos mais aparelhos smartphones que pessoas no brasil e no próprio estado de são Paulo, então lógico que o grande desafio é a internet”, disse.
As atividades que serão disponibilizadas na próxima semana não contarão como calendário para os alunos. As atividades contarão como calendário escolar somente a partir do dia 21 de abril.
A TV Cultura, vai transmitir as aulas por meio do Canal digital 2.3 , TV Cultura Educação. Para marcar o início das aulas ao vivo do canal 2.3 TV Cultura Educação, haverá uma aula inaugural de robótica na segunda-feira (6) com a professora Débora Garofalo, eleita uma das dez melhores professoras do mundo em 2019.
Doria ressaltou que as aulas presenciais continuam suspensas. Quando decretou a quarentena, que termina dia 7 de abril, o governador disse que poderia ser prorrogada. "Quero voltar a recomendar que as aulas não podem ser retomadas sem previa recomendação do governo do estado. Se alguma escola privada recomendou a volta dia 6, errou. Neste momento, a quarentena impede as aulas presenciais, tanto em âmbito público quanto privado", declarou.

Prefeitura de SP

De acordo com o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), os alunos da rede municipal receberão um material que deve ser utilizado pelo período de 2 meses. Os professores vão ter uma plataforma específica para se comunicarem com os alunos.
As aulas da rede municipal serão retomadas no dia 13 de abril. No entanto, as aulas serão virtuais, já que não há uma definição ainda sobre o término do período de quarentena, que pode ser prorrogado além do dia 7 de abril. As aulas que contarão como dias letivos recomeçam no dia 22 de abril.
"Nós vamos enviar para todos os mais de 1 milhão de alunos que nós temos na rede municipal de ensino um caderno de atividade que foi elaborado pelos professores para a rede municipal de ensino. São dois cadernos para o Ensino Infantil, um paras crianças que estão nas creches e outro para as crianças que estão nas Emeis. São nove cadernos para os ensino do Ensino Fundamental, um para cada ano do Ensino Fundamental e um para os alunos do Ensino Médio. Eles receberão pelos Correios esse material, é um material dirigido em primeiro lugar para os pais que devem ajudar os filhos a se organizar dentro de casa", afirmou Covas.
O material ficará disponível no site da Secretaria Municipal de Educação para que outros municípios possam utilizar o mesmo material. "Cada município, cada prefeito que queira fazer o download e disponibilizar também para os seus alunos da rede municipal possa fazer já com autorização da Prefeitura municipal de São Paulo", complementou.
*Supervisão de Tatiana Santiago

fonte: G1