CMC - MÍDIA

Bruno Covas afirmou que o poder municipal estuda a possibilidade de aplicar voz de prisão a pessoas que se aglomerarem na cidade.

O prefeito de São Paulo Bruno Covas cogita tomar as mesmas medidas drásticas tomadas pelo governador João Doria, pretende fechar algumas ruas da capital como medidas de controle de pessoas e também estuda medidas que podem prender pessoas que fizerem aglomerações na cidade de São Paulo.
O mais irônico de todas essas medidas drásticas é que o prefeito Bruno Covas está em tratamento de um Câncer,  faz parte do grupo do risco do Coronavírus e se coloca em perigo por não tomar as medidas básicas de precaução quanto a sua própria saúde; como o uso de mascará  e não de expor em todos os eventos e  o tempo todo, como vem ocorrendo desde o início da pandemia. 


PM pode prender quem se aglomerar em São Paulo, diz Bruno Covas

conteúdo Carta Capital 

O prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB). Foto: Governo do estado de São PauloO prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), fez coro ao governador João Doria (PSDB) e afirmou que o poder municipal estuda a possibilidade de aplicar voz de prisão a pessoas que se aglomerarem na cidade.
A declaração ocorreu durante entrevista à emissora GloboNews, nesta sexta-feira 10. Covas destacou que a prefeitura faz a avaliação de endurecer as restrições de circulação no município, após dados indicarem queda na adesão às orientações de isolamento social
Segundo Covas, São Paulo havia apresentado 77% no índice de movimentação dos transportes coletivos, mas este número caiu para 68%. O prefeito afirmou ainda que a cidade havia zerado os congestionamentos, mas na quinta-feira 9 houve uma fila de 11 quilômetros. O trânsito aumentou, por exemplo, na Marginal Pinheiros.
“Os números, qualquer um que a gente leve em consideração, mostram um afrouxamento, por parte da população, do isolamento”, disse Covas. Perguntado sobre que medidas pode tomar, o prefeito respondeu: “Seja intervenção de algumas ruas, da mesma forma que a gente fez bloqueio na região central, na região do Brás; seja, como o governador já mencionou, colocar a Polícia Militar para poder prender as pessoas que se aglomeram.”
Covas afirmou que, caso sejam adotadas, as novas regras devem ser anunciadas na segunda-feira 13.
“Não há a menor dúvida de que é possível e necessário, nesse momento, estudar uma forma de tornar mais forte esse isolamento social. Então, tanto a equipe do estado, como a equipe do município, estão verificando esse final de semana, e a gente deve, ao lado do governador João Doria, na segunda-feira 13, se for o caso, anunciar novas medidas”, declarou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CMC, CIDADE DE MARÍLIA