Como ficaram os contratos dos professores categoria O e os professores eventuais

Professor Categoria O Da See - Página inicial | Facebook
No começo da crise da pandemia do Coronavírus o Governador do Estado São Paulo  decretou que o período de férias que seria de 9 a 26 de julho passaria para o período de 6 a 20 de abril. Agora o governo marca início das aulas online para o dia mesmo dia em que iniciaria as férias.  Para marcar o início das aulas ao vivo do canal 2.3 TV Cultura Educação, haverá uma aula inaugural de robótica na segunda-feira (6) com a professora Débora Garofalo, eleita uma das dez melhores professoras do mundo em 2019. Fica a dúvida, estamos de férias ou estamos em período de  aulas online e pela televisão. 
 Outra questão é com relação aos professores categoria O e outras categorias de profissionais da educação, principalmente aqueles professores que pegaram aulas para substituir por um curto período, como ficará a situação financeira desses professores que não poderão pegar aulas logo em seguida e assim que terminar seus contratos. Temos ainda professores estudantes de último ano eventuais e professores que não estavam com aulas atribuídas.
Os professores categoria O e eventuais estão em um momento muito complicado, uma vez que só recebem enquanto estão com aulas ou por aulas dadas no dia, no caso professores eventuais. As medidas financeiras adotadas pelo Governo não atentem aos professores, eles não se encaixam  entre os profissionais ou pessoas vulneráveis economicamente nesse momento de crise econômica e pandemias.
As categorias de professores esperam não só dos Governadores  como também  dos Sindicatos dos Professores de todo o Brasil uma manifestação sobre essa situação degradante que os professores categoria O e eventuais estão vivendo. Lembrando que são esses professores que substituem os professores efetivos e a falta de professores em todo o Brasil. 
A categoria O substitui os professores que estão de licença médica e que provavelmente não voltarão esse ano, porque, certamente, muitos deles pertencem ao grupo de risco. Outra questão que os Governadores e Sindicatos  devem levar em conta é o alto índice de professores aposentados e afastados  que substituem e são categoria O.  
     

Comentários