Queda nos cliques em anúncios e o Covid 19

Sua receita diminuiu 74% em março. Confira recursos que podem ajudar você a superar períodos difíceis:
Estamos aqui para ajudar você a enfrentar os desafios trazidos pela COVID-19.
Google trendsO Google Trends pode ajudar a descobrir quais são os interesses do seu público-alvo. Use o Google Trends para analisar a popularidade das principais consultas na Pesquisa Google em diversos idiomas e regiões.
Google analyticsO Google Analytics é uma ótima ferramenta para conhecer os usuários e ver como eles interagem com seu site. Quanto antes você identificar mudanças no comportamento do usuário no site, mais rapidamente poderá agir.
Time spentRecentemente, o tempo gasto em dispositivos móveis aumentou em decorrência do coronavírus (COVID-19). Verifique se seu site é compatível com dispositivos móveis e tem uma boa velocidade de carregamento das páginas para ajudar os usuários a acessar o conteúdo sem problemas.


Essa queda de 74% nos cliques nos meses de  março e abril é o caso dos  meus sites, acredito que  maioria dos sites do mundo devem ter ficado nessa mesma situação com relação aos anúncios e os cliques. A notícia de queda nos cliques  foram sentidas desde os primeiros dias dessa crise da pandemia do covid19.  Já temos matérias  sobre o assunto, como essa da Revista ÉPOCA  NEGÓCIOS: 

Crise do coronavírus derruba arrecadação com publicidade de Google e Facebook



As duas gigantes do mercado digital de anúncios estão sofrendo com pandemia, mas efeitos podem ser ainda piores para os pequenos anunciantes

Google Alphabet chega a US$ 1 trilhão em valor de mercado (Foto: Getty Images/ Mario Tama )

Pela primeira vez na história, a arrecadação anual de Facebook e Google deve cair, segundo analistas. O culpado é claro: a pandemia de covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, derrubou o mercado de publicidade digital, uma das principais fontes de renda das duas empresas.
Isso acontece porque poucas companhias estão dispostas a gastar com publicidade em tempos de crise. Segundo reportagem do New York Times, linhas aéreas e agências de viagem, que se utilizavam muito das propagandas pagas em redes sociais e ferramentas de busca, abandonaram a estratégia depois que o coronavírus interrompeu quase todo tipo de viagem internacional.





A agência Pathmatics encontrou outro número revelador: o Cirque de Soleil gastou US$ 140 mil em publicidade digital no mês de fevereiro, mas apenas US$ 40 mil em março. Em abril, ainda não gastou um centavo.
Enquanto isso pode trazer uma dor de cabeça a duas das maiores empresas de tecnologia do mundo, a queda da publicidade digital pode acabar com o modelo de negócios de empresas menores. Ainda segundo o NY Times, o aplicativo Yelp!, que reúne avaliações de bares e restaurantes do mundo inteiro, demitiu mais de mil funcionários e suspendeu o contrato de outros mil. A principal fonte de renda da empresa é a publicidade paga pelos restaurantes, que fecharam com a crise.
O Airbnb, com orçamento de cerca de US$ 800 milhões em marketing para 2020, também
 suspendeu todas as compras de espaço publicitário.
Ao mesmo tempo, Google e Facebook tem que lutar contra outro tipo de publicidade que surgiu neste período: o de máscaras e outros materiais de saúde que estão em falta. Segundo o Google, mais de 50 milhões de propagandas abusivas foram removidas da plataforma em março, 80% delas relacionadas ao coronavírus.
Quer receber as notícias de Época NEGÓCIOS pelo WhatsApp? Clique neste link, cadastre o número na lista de contatos e nos mande uma mensagem. Para cancelar, basta pedir. Ou, se preferir, receba pelo Telegram. É só clicar neste link.