CMC - MÍDIA

Serviços da Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo continuam ativos com eficiência

Definidos como essenciais, serviços da Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo continuam ativos com eficiência
Por meio da digitalização de sistemas, demandas são atendidas com agilidade

A Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, que atua numa área essencial (de acordo com o decreto federal nº 10.282, de 20 de março de 2020 e decreto estadual nº 64.881, de 22 de março de 2020) continua com suas atividades normalmente, garantindo a sanidade e a qualidade nas cadeias produtivas do setor para, neste período de crise, manter a sua competitividade nos mercados nacional e internacional e contribuir para a proteção do meio ambiente, da saúde pública e do desenvolvimento econômico e social.

Grande parte dos servidores da Defesa Agropecuária tem executado suas atividades por meio do teletrabalho, que é facilitado pela adesão dos produtores ao sistema de Gestão de Defesa Animal e Vegetal (GEDAVE), totalmente digital. A plataforma permite que o usuário consiga emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA), a Permissão de Transito Vegetal (PTV), a Certificação Fitossanitária de Origem (CFO), a declaração do Certificado de Vacinação, a solicitação de registro e todos os outros serviços relacionados ao Serviço de Inspeção de São Paulo (SISP), entre outros documentos de extrema importância para a garantia dos tópicos citados acima.

Todas as centrais de atendimento da Defesa Agropecuária possuem cartazes orientando o produtor a relatar sua demanda de forma remota e, dependendo do caráter da solicitação, os funcionários tomam as devidas providências para solucionar cada caso. Visto que se o caráter da demanda for urgente, como em suspeita de doença, atendimento de denúncias e vistoria de material para diagnóstico, por exemplo, o funcionário deve se deslocar presencialmente à propriedade.

Os profissionais estão tomando os devidos cuidados, preconizados pelo Ministério da Saúde, ao realizar um atendimento presencial. Os Equipamentos de Proteção Individual (EPI), normalmente utilizados nas visitas a áreas de produção, estão sendo higienizados constantemente. O uso de álcool gel 70% é imprescindível e as mãos são lavadas, sempre que necessário, com água e sabão. Também é necessário o uso de máscaras e luvas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CMC, CIDADE DE MARÍLIA