https://www.google.com/appserve/mkt/optin/AD-FnEw6aolQdEQFzj58DL0CRIvBVnLloDmToDBY4md6SHn3YqacVCZlkrbKFHqDmXkeAoP-nva2uUDxHwcbcwnNWAY5tQ-fX20uXTYUutPsyIQTW-5p-yLxuz4?hl=en-US google.com, pub-0664806714269334, DIRECT, f08c47fec0942fa0

COMPARTILHAR

Home

Crise gera oportunidade de desenvolvimento mais rápido de novos meios de pagamento.

Crises que criam

Thaís Cíntia Cárnio

Em meio a todas as consequências econômicas, sociais e políticas da COVID-19, e a toda desinformação e judicialização do retorno às atividades normais de comércio e serviços, uma boa notícia: a crise gera oportunidade de desenvolvimento mais rápido de novos meios de pagamento.

Outrora restritos a dinheiro, cheque (quem lembra está no grupo de risco!) e boletos, atualmente há opções muito mais céleres e práticas. Embora a tendência de novas modalidades já estivesse em voga, a dificuldade em adquirir produtos em época de isolamento social e a proibição de abertura de inúmeros estabelecimentos foram elementos catalizadores desse processo.

Nesse sentido, a praticidade e a segurança proporcionada pelo chamado "Gateway" são bem-vindas. Trata-se de um meio de pagamento que permite o trânsito confidencial de informações criptografadas para efetivar a transferência de recursos entre consumidores e fornecedores, que pode ser consumada por cartões de débito e crédito, por exemplo.

Para além do "dinheiro de plástico", hoje se percebe a utilização frequente de outros recursos com tecnologia NFC, ou seja, Near Field Communication. Essa inovação permite que o pagamento seja realizado com a troca de informações entre dispositivos mediante simples aproximação física, sem a necessidade de cabos ou fios. As transações financeiras tornam-se mais seguras, podendo ser efetuadas com smartphones, smartwatches, pulseiras de pagamento, tablets e cartões digitais.
Com tanta comodidade, a pandemia passará, mas esses novos meios de pagamentos certamente ficarão.

Thaís Cíntia Cárnio é especialista em Banking, professora de Direito das Relações Econômicas Internacionais, Direito Empresarial e Mercado Financeiro da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Sobre a Universidade Presbiteriana Mackenzie
A Universidade Presbiteriana Mackenzie está na 103º posição entre as melhores instituições de ensino da América Latina, segundo a pesquisa QS Quacquarelli Symonds University Rankings, uma organização internacional de pesquisa educacional, que avalia o desempenho de instituições de ensino médio, superior e pós-graduação. Possui três campi no estado de São Paulo, em Higienópolis, Alphaville e Campinas. Os cursos oferecidos pelo Mackenzie contemplam Graduação, Pós-Graduação Mestrado e Doutorado, Pós-Graduação Especialização, Extensão, EaD, Cursos In Company e Centro de Línguas Estrangeiras. Em 2020, serão comemorados os 150 anos da instituição no Brasil. Ao longo deste período, a instituição manteve-se fiel aos valores confessionais vinculados à sua origem na Igreja Presbiteriana do Brasil.

Informações
Assessoria de Imprensa Universidade Presbiteriana Mackenzie
imprensa_mackenzie@viveiros.com.br