Empreendedorismo que vem ganhando destaque durante a pandemia

Cinco exemplos de empreendedorismo que vem ganhando destaque durante a pandemia

Completado um mês após o início do isolamento social, os empreendedores já conseguem enxergar mais claramente o impacto do COVID-19 sobre seus negócios. Um levantamento realizado pela startup de gestão empresarial Vhsys aponta que para 78% das pequenas empresas entrevistadas o faturamento deve cair, pelo menos, 30%.

Para muitos, a instabilidade financeira atinge níveis preocupantes e a incerteza é um dos maiores desafios a serem enfrentados no momento já que ninguém ainda sabe exatamente quais serão os efeitos desta pandemia. Por isso, agora mais do que nunca, é importante pensar fora da caixa. "Em um cenário que não há prospeção de volta tão certeira, é importante que os empreendedores pensem em alternativas possíveis e rápidas para manter seus rendimentos", afirma Guy Peixoto Neto, mentor de empreendedorismo e empreendedor com experiência na criação, expansão e reestruturação de empresas.

Uma das questões que Guy Peixoto Neto aponta como forma de compreensão maior do tema é buscar entender as necessidades do público e suas expectativas sobre quando acontecerá uma possível retomada. De acordo com estudo conduzido pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostrou que 67,8% dos consumidores acredita que a economia só voltará ao normal seis meses após a quarentena. "Parar seis meses não é viável. Agora é momento de implementar maneiras de oferecer produtos ou serviços de acordo com esta nova realidade. O confinamento criou novas necessidades", pontua o especialista.

Muitos empreendedores já começaram a entender que precisa se readaptar para enfrentar a pandemia com seus negócios ativos. "A presença online sempre foi importante para o mercado, mas agora é vital. Quem estiver investindo no virtual conseguirá chegar de maneira mais direcionada ao cliente e fechará muitos negócios", salienta Guy.

Para entender melhor como os empreendedores estão se reinventando neste momento, separamos cinco exemplos de sucesso de quem inovou e conseguiu novas formas de conversão de clientes.

Feira Retoke - Desde 2015, a Feira Retoke abre espaço para expositores de moda, artesanato e decoração em pontos de Niterói (RJ). Devido à pandemia, o evento foi transferido para o Instagram da empresa que conta com mais de 27 mil seguidores. A exibição foi feita durante um fim de semana com lives de 15 minutos para cada uma das 60 marcas expositoras. O formato disponibilizou os produtos no marketplace da Retoke e cada marca expositora pagou somente uma comissão de 20% sobre as peças vendidas.

Old Town Books - Depender do movimento das pessoas nas ruas é uma coisa que as livrarias independentes e sebos sempre estiveram atrelados. Agora que esses estabelecimentos estão fechados, a estratégia é recorrer para o online. A livraria independente de Alexandria, nos Estados Unidos, teve a ideia de convidar os autores, que costumavam a fazer seus lançamentos presenciais para promover aulas de redação virtual no site da loja. Outra grande sacada foi fazer alianças com os escritores da lista do clube do livro da loja (também transferido para as videoconferências) e que agora escrevem uma nota de agradecimento pessoal a quem compra seu best-seller na Old Town Book. Com essas estratégias, houve um aumento notável nos pedidos online da livraria norte-americana.

Academia ProEnergy Fitness Center - Ativa há oito anos, a Academia ProEnergy Fitness Center de Cuiabá (MG) está fechada em decorrência das legislações estaduais. Para contornar a situação, a empresa teve a ideia de alugar bikes ergométricas, esteiras e kits aeróbicos para quem quiser treinar em casa. O aluguel custa R$ 20 por dia dos equipamentos, e R$ 15 por dia do o kit musculação. É feito também um contrato de duração quinzenal ou mensal com os clientes para manter os prazos. A empresa conseguiu alugar todos os equipamentos da academia em apenas três dias de divulgação por Whatsapp para alunos e personal trainers da região.

Studio Tez - Fechado desde de março, o salão de beleza paulistano teve uma ótima ideia para atender as clientes e ainda gerar renda: criar kits de produtos e dar instruções em vídeo para ajudar a fazer colorações em casa. Os kits que são personalizados pela cliente custam a partir de R$ 200 e são entregues na casa das clientes. Para auxiliar os cabeleireiros gravaram vídeos com instruções de como cada aplicação deve ser feita.

Laughing Buddha Yoga - Momentos estressantes deixam nosso corpo mais tenso e vulnerável a doenças. A instrutora de yoga norte-americana Amy Smith percebeu que podia ajudar e atender seus alunos de uma maneira remota. Agora o estúdio está fazendo aulas on-line ao vivo sete dias por semana por videochamada. As aulas também são salvas e carregadas ao YouTube para que qualquer pessoa do mundo consiga assistir em qualquer horário.



Sobre Guy Peixoto Neto
Guy Peixoto Neto é mentor de empreendedorismo e empreendedor com experiência em criação, expansão e reestruturação de empresas. Fundou a Operalog Logística aos 22 anos de idade, e também é fundador da startup Saly, plataforma de automatização dos processos de compras. Atualmente dedica-se ao seu novo projeto, a GPX - uma plataforma de conteúdo voltada para quem quer se transformar em empreendedor e também para quem já é e quer continuar evoluindo.





Comentários