Última publicação

Reforma administrativa deve ser efetiva apenas no longo prazo

Para André Félix Ricotta, professor de Direito Tributário, a não inclusão dos servidores atuais deve facilitar a aprovação, mas proposta não será capaz de solucionar atuais distorções

As linhas gerais da proposta da reforma administrativa, que tem como objetivo reduzir gastos com o serviço público, já começaram a ser apresentadas pelo governo federal. As regras da medida afetam os futuros servidores da União, estados e municípios, mas não deve trazer economia aos cofres do governo no curto prazo, pelo fato de possuir efeito nulo sobre os atuais servidores públicos, além de preservar categorias como juízes, procuradores, promotores, deputados e senadores.

Especialista em Direito Tributário, o advogado e professor do Mackenzie, André Félix Ricotta,acredita que essa reforma não será capaz de solucionar as atuais distorções nos gastos com os servidores. "Os problemas atuais ela não vai resolver, pois será aplicada apenas para os novos servidores, para quem ingressar no serviço público …

João Doria estuda criar o 4º ano do ensino médio por conta da pandemia

Rossieli: Secretário deve implantar 4º ano no médio



fonte R7 

SP estuda criar 4º ano do ensino médio por conta da pandemia

Para suprir as perdas causadas neste período de quarentena, governo deve implantar atividades extras. Projeto segue em fase de estudos

A Secretaria de Estado da Educação de São Paulo estuda implantar um quarto ano optativo para estudantes do ensino médio. A medida serviria para compensar as possíveis perdas de conteúdo causadas pela pandemia do novo coronavírus.
O projeto, segundo a Secretaria, ainda está em fase embrionária. A ideia é que os alunos possam optar por estudar mais um ano caso sintam necessidade de um reforço para os vestibulares e Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).
A proposta surgiu após uma live quando estudantes questionaram se poderiam, mesmo aprovados, cursar o terceiro ano novamente. Segundo a Secretaria, ainda não há mais detalhes sobre o projeto do 4º ano porque o secretário da Educação, Rossieli Soares, está internado com covid-19.
Essas mudanças também começam a ser discutidas porque a partir de 2022, as escolas terão de se adaptar ao novo ensino médio. Os estudantes terão mais flexibilidade para escolher as matérias e o itinerário que pretendem seguir na sua formação.
fonte R7