CMC - MÍDIA

Trabalho em aplicativos de delivery

Com desemprego, crescem as buscas por trabalho em aplicativos de delivery

Levantamento exclusivo realizado pela empresa de inteligência de marketing e aquisição para apps RankMyAPP mostra que o número de downloads de aplicativos para quem quer trabalhar como entregador de produtos (delivery) cresceu 200%, em média, nos meses de março e abril.
De acordo com a empresa, abril teve a maior adesão dos últimos seis meses, com aplicativos de delivery instalados em mais de 22 milhões de celulares. O fenômeno pode ser explicado pelos efeitos do coronavírus no aumento do desemprego e na redução de salário e da carga horária, prevista na Medida Provisória 936.
O crescimento do desemprego afetou todas as regiões do Brasil durante o primeiro trimestre deste ano, chegando a 1,2 milhões de pessoas, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Para Leandro Scalise, CEO do RankMyApp, os aplicativos já vinham provocando uma série de mudanças nos hábitos dos brasileiros e a crise instalada com a pandemia ajudou a acelerar esse comportamento.
- Estou inserido no mercado mobile há 7 anos e presenciei várias mudanças já previstas no uso dos aplicativos, porém, o comportamento do usuário durante a pandemia é algo que acelerou muito essa mudança. Nossas pesquisas têm apresentado alto crescimento no número de downloads e visitas a determinados segmentos de apps e especificamente ao nicho de apps de delivery, tanto de usuários finais quanto de entregadores -, analisa.
Há quase 1 ano no Brasil, a colombiana Picap, estreou no mercado nacional como aplicativo de transporte de passageiros por moto e evoluiu para o mercado de delivery durante a pandemia. Hoje, possui 20 mil motociclistas cadastrados no país. E agora mira no serviço Pibox, de transporte de mercadoria de redes varejistas para o consumidor final. De forma integrada com as plataformas das empresas, a proposta da Picap é reduzir custos e acelerar entregas em larga escala.
- Mudanças de hábitos de consumo e a transformação do varejo em um mundo cada vez mais digital fizeram com que as operações de entregas expressas obtivessem crescimento nos últimos anos. A pandemia do coronavírus, que estabeleceu o isolamento social como principal estratégia para evitar a propagação do Covid-19, ajudou a dar ainda mais densidade a este cenário ¬, afirma Diogo Travassos, CEO da Picap no Brasil.
Além dos entregadores, os aplicativos de delivery também aumentaram entre os consumidores. Pesquisa realizada pelo RankMyAPP, em março, mostra que o número total de apps instalados até dia 16 daquele mês já representava 61,3% do total de vezes que esses aplicativos foram baixados em todo o ano passado.