João Dória diz que "Sindicato dos professores tem um viés político"

Professores de SP fazem carreata contra retorno às aulas presenciais

Estimativa do governo é que aulas sejam retomadas no dia 8 de setembro



Dep. Professora BebelMaria Izabel Azevedo Noronha mais conhecida como Professora Bebel, é uma professora, sindicalista e política brasileira, filiada ao Partido dos Trabalhadores (PT)
João Dória diz que "Sindicato dos professores tem um viés político" 
Professores da rede pública estadual de São Paulo fizeram uma carreata na manhã de hoje (29) contra a volta às aulas presenciais, que, segundo o governo paulista, deve ocorrer a partir de 8 de setembro. O ato ocorreu na zona sul da capital paulista, próximo ao Estádio do Morumbi, e reuniu docentes de todo o estado.
Segundo o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), que organizou a carreata, não há condições nem segurança sanitária para a retomada das aulas presenciais, já que faltam funcionários e até papel higiênico nas escolas.
Os docentes cobram também pagamento de salário e auxílio emergencial aos professores temporários, remunerados apenas pelas horas trabalhadas. Como não está havendo aulas durante o período de quarentena, esses servidores estão sem salário.
Em resposta à reivindicação dos professores, o governador João Doria disse que a Apeoesp “tem viés político extremado” e que há diálogo permanente por parte do estado. O grupo tentou seguir até o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do estado, mas foi impedido por bloqueios da Polícia Militar (PM).
“Em relação a professores temporários é circunstância. Não faz sentido que dinheiro público seja utilizado para pagar quem não está trabalhando. São ônus de uma pandemia que afeta todo o setor produtivo de um país”, disse o governador.
Edição: Lílian Beraldo