Equiparação dos pagamentos feitos aos jogadores e as jogadoras das Seleções Brasileiras

CBF equipara diárias e premiações pagas às Seleções Brasileiras
CBF equipara diárias e premiações pagas às Seleções Brasileiras
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF
Além da contratação das duas novas coordenadoras de futebol feminino da CBF, Duda Luizelli e Aline Pellegrino, o presidente Rogério Caboclo também tornou pública outra importante medida durante a entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira (2): a equiparação dos pagamentos feitos aos jogadores e as jogadoras das Seleções Brasileiras Principais.
A medida inédita concede às atletas que vestem a camisa da Seleção os mesmos valores de diárias e premiação pagas aos jogadores para períodos de preparação e jogos.
“Desde março deste ano, a CBF fez uma igualdade de valores em relação a prêmios e diárias entre o futebol masculino e feminino. Ou seja, as jogadoras ganham a mesma coisa que os jogadores durante as convocações. Aquilo que eles recebem por convocação diária, as mulheres também recebem. Aquilo que elas vão ganhar pela conquista ou por etapas das Olimpíadas ano que vem será o mesmo que os homens vão ter", revelou o Presidente.
 A equidade de pagamento já foi adotada durante a primeira convocação da Seleção Brasileira Feminina de 2020. Em março, durante o Torneio Internacional da França, as Guerreiras do Brasil receberam o mesmo valor que é pago aos homens durante o período de convocação. Durante a Copa do Mundo Feminina FIFA 2019, na França, a CBF já havia concedido à Seleção uma premiação inédita por conta da campanha na competição. No próximo Mundial, as premiações serão proporcionalmente equivalentes.
"Aquilo que os homens receberão na próxima Copa do Mundo será proporcionalmente igual ao que é proposto pela FIFA. Não há mais diferença de gênero, pois a CBF está tratando de forma igual homens e mulheres”, disse.
Esta é mais uma ação na jornada de transformação pela qual passa o futebol feminino brasileiro, seja em relação à Seleção Brasileira ou às competições coordenadas pela CBF. Desde 2019, o presidente Rogério Caboclo tem liderado um trabalho de desenvolvimento da modalidade.