Google

Boehringer Ingelheim apoia projeto do Instituto Semear para jovens de baixa renda

 






Boehringer Ingelheim apoia projeto do Instituto Semear
para jovens de baixa renda

Iniciativa tem como objetivo ajudar estudantes universitários a não interromperem seus estudos por questões financeiras

São Paulo, outubro de 2020 - A farmacêutica Boehringer Ingelheim renova a sua parceria com o Instituto Semear em um projeto de desenvolvimento educacional de jovens. A iniciativa disponibiliza bolsas de estudo, programas de mentoria e rede de contatos para que jovens de baixa renda, matriculados em universidades públicas, não deixem a graduação por falta de recursos financeiros.

De acordo com dados de 2019 da pesquisa socioeconômica do IBGE, ao concluírem o ensino médio, seis em cada dez jovens não ingressam no ensino superior[i]. Isso porque muitos precisam trabalhar ou não têm recursos financeiros para bancar os estudos. Buscando reverter esse cenário, o Instituto Semear auxilia, anualmente, jovens que estão cursando o ensino superior em instituições públicas por meio de uma ajuda de custo dedicada especialmente a questões universitárias. Além disso, o programa também oferece mentoria com profissionais e rede de contatos com empresas parceiras de diversos setores. Nos últimos dois anos, 88 jovens não deixaram a faculdade graças ao apoio do projeto.

"Nossos resultados só são possíveis a partir do investimento de pessoas e empresas que nos oferecem o meio para construir uma terra fértil ao desenvolvimento desses jovens. A Boehringer, mais uma vez, apoia a permanência estudantil e, consequentemente, o encerramento dos ciclos de pobreza em que os apoiados vivem, através do incremento de renda ao se formarem no ensino superior. Somos gratos pelo apoio e vamos juntos construir a mudança social que almejamos", revela Tatiane Santos, Gerente de Relacionamento Institucional no Instituto Semear.

Em 2020, a Boehringer presta seu apoio investindo em bolsas de estudo para cinco jovens, durante um ano. Além disso, os colaboradores da companhia tiveram a oportunidade de prestar mentorias aos participantes do projeto, dividindo suas experiências profissionais e perspectivas do setor, para auxiliar na construção de carreira dos futuros profissionais. Ao todo, 82 funcionários se voluntariaram para compartilhar suas histórias e conhecimentos.

Desde a criação do projeto, em 2010, o Instituto Semear já permitiu a graduação de mais de 400 profissionais, tendo como propósito investir tempo além da universidade, promovendo ações de aprendizado, construindo relações e enfrentando problemas práticos.

Sobre a Boehringer Ingelheim

A Boehringer Ingelheim é uma das 20 principais farmacêuticas do mundo e a maior de capital fechado, com cerca de 51.000 funcionários globalmente e possui como foco de atuação desenvolver soluções de saúde com grande valor e impacto para pessoas e animais. Atua há mais de 130 anos para trazer soluções inovadoras em suas três áreas de negócios: saúde humana, saúde animal e fabricação de biofármacos. Em 2019, obteve vendas líquidas de cerca de € 19 bilhões de euros. Os investimentos em pesquisa e desenvolvimento corresponderam a aproximadamente 18% do faturamento líquido, cerca de 3,5 bilhões de euros. No Brasil há mais de 60 anos, a Boehringer Ingelheim possui escritório em São Paulo e fábricas em Itapecerica da Serra e Paulínia. A empresa recebeu, em 2020, pelo quarto ano consecutivo, a certificação Top Employers, que a elege como uma das melhores empregadoras do mundo por seu diferencial nas iniciativas de recursos humanos. Para mais informações, visite www.boehringer-ingelheim.com.br e www.facebook.com/BoehringerIngelheimBrasil.

CONTATOS PARA A IMPRENSA

Interfuse
Renata Paixão - renata.paixao@interfuse.com.br / (11) 5090-8900
Aline Veríssimo - aline.verissimo@interfuse.com.br / (11) 5090-8900



REFERÊNCIA

[I] IBGE, 2020. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua: Educação 2019. Disponível em: http://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/28285-pnad-educacao-2019-mais-da-metade-das-pessoas-de-25-anos-ou-mais-nao-completaram-o-ensino-medio. Acesso em 02 de setembro de 2020.