Os apoiadores e defensores de Bolsonaro e o Policarpo Quaresma de Lima Barreto

 As últimas ações políticas e atitudes pessoais do Presidente Bolsonaro foram para muitos apoiadores um balde de água fria nas expectativas que se formaram  durante a campanha eleitoral e muito antes dos resultados dessa eleição presidencial.

Muitos dos apoiadores e defensores ferrenhos do presidente, se mostraram ressentidos e desiludidos com os caminhos que a política vem tomando nos últimos dias. No decorem desses anos houve muitas "passadas de pano", se relevou algumas atitudes, porém, essa semana se mostrou muito diferente com relação a tolerância que se notava com as atitudes de Bolsonaro, tanto é que  alguns apoiadores, que fazem a mídia de Bolsonaro, já declaram fim do apoio ao Presidente, ou pelo menos um pé atrás com relação ao Presidente e seu governo. 

O populismo e a aprovação de Bolsonaro, conquistado especialmente com o Auxílio Emergencial, deu ao Presidente motivação para se desligar de seus apoiadores e eleitores de primeira hora,  que o defenderam e o apoiaram. Esse autodenominados "bolsonaristas" que são os mais ferrenhos e fieis, os conservadores e patriotas estão se sentido como o caricaturesco Policarpo Quaresma, um personagem da literatura brasileira, um tanto picaresco, ingênuo e iludido. 

Os apoiadores e defensores do Presidente Bolsonaro e o Policarpo Quaresma de Lima Barreto são muito parecidos porque vivem o ressentimento, se sentem burlescos, iludidos e ingênuos ao continuar defendendo um governo, que tudo indica, os abandonou em troca da "governabilidade". 

Entre os apoiadores existe o medo de que a defesa e o apoio a Bolsonaro se transforme em um apoio cego e inocente,  muito parecido com os petistas que gritavam  aos ventos: "É golpe", "Lula livre". 

Os conservadores se apoiaram nos valores e ideologias que elegeram Bolsonaro, porém, o namoro com o atual governo está acabando. Os conservadores já estão a procura de um outro "namorado" mais fiel aos valores e princípios cristãos.