Google

Tudo que você precisa saber sobre o uso do DIU

O método anticoncepcional reversível mais utilizado, segundo a OMS
Diu é um dispositivo intrauterino, é o método contraceptivo com menores índices de falha. É uma haste normalmente formada pelas letras T e Y que fica dentro da mulher liberando substâncias que tornam o útero um local hostil para o espermatozoide. Por isso é utilizado para quem não tem o desejo de engravidar por algum período de tempo (Podendo variar de 5 a 10 anos).

Atualmente existem dois tipos de DIU: Sem hormônios (De cobre ou prata), eos hormonais (Mirena ou kyleena). Para o ginecologista Dr. Kleber Cassius Rodrigues, o que é levado em consideração na escolha do tipo de Diu é o fluxo menstrual dessa mulher. O de cobre aumenta o fluxo, e consequentemente ele pode aumentar também as cólicas menstruais levando a uma piora de qualidade de vida dessa mulher.

Durante a ação do DIU de cobre, há uma liberação de pequenas quantidades de cobre no útero, causando algumas alterações no muco, no endométrio e na motilidade das trompas. Ele pode permanecer no corpo da mulher por até 10 anos. O seu efeito colateral mais frequente é o aumento do fluxo menstrual, e ele não é indicado para mulheres que tem alergia ao cobre.

A diferença dos hormonais (Kyleena ou Mirena) é a quantidade de hormônios que eles carregam. O Kyleena é menor, com inserção menos descomplicada e pelo fato de ter menor quantidade de hormônios ele é indicado para quemtêm o desejo de anticoncepção simples e diminuir o fluxo menstrual, não tendo assim uma função secundária que ajuda a tratar algumas alterações que a progesterona (hormônio inserido nesse tipo de DIU) nos favorece.

"Então quando a mulher tem o desejo de anticoncepção e alguma coisa mais a ser tratada, como por exemplo mioma, adenomiose e endometriose, fluxo menstrual forte ou doloroso, oideal é que você opte pelo Mirina por ele ter uma pequena quantidade de hormônio em relação ao kyleena. Além da anticoncepção ele também vai ajudar no tratamento dessa patologia associada ao desejo reprodutivo. O ideal é que vá ao ginecologista fazer seus exames, contar a sua história e decida junto com ele qual é o seu tipo ideal de DIU. " Diz Dr. Kleber Cassius Rodrigues.

Não pode ser colocado em mulheres que apresentam infecção ginecológica ativa, gravidez suspeita ou presente, anormalidades anatômicas do útero, com câncer do endométrio ou colo do útero. Em cerca de 80% dos casos, o DIU Mirena por possuir hormônios pode suspender a menstruação definitivamente.

Vale lembrar que após a retirada do DIU, a mulher retoma sua fertilidade de imediato. Assim, se não houver impedimentos, a gestação deverá ocorrer em curto espaço de tempo.
Mais sobre Kleber Cassius Rodrigues:

Ginecologista e Obstetra - Kleber Cassius Rodrigues - CRM 83.478
Medico Ginecologista e Obstetra com larga experiencia em atendimento ambulatorial, cirúrgico e em gestão de equipe hospitalar.

Formado na Universidade Federal de São Paulo/ Escola Paulista de medicina - Graduação em Medicina, residencia na área de Ginecologia e Obstetrícia e especialização em Pré Natal de alto risco.

Habilidades:
- Pré-Natal de Alto e baixo risco;
- Parto normal Humanizado e cirúrgico;
- Cirurgia Ginecológica de baixo e alto complexidade;
- Gestão de equipe de atendimento Hospitalar em Ginecologia e Obstetrícia;



Informações à imprensa:

Ana Lima Comunicação
Ana Paula Felix | Contato@analimacomunicacao.com | (11) 98744 - 1868 (apenas Whatsapp)
Bruna Munhoz | Bruna@analimacomunicacao.com | (11) 98510 - 3271
Ana Lima | Imprensa@analimacomunicacao.com | (11) 94732 - 5578
Rodrigo Fioratti | Rodrigo@analimacomunicacao.com | (11) 94753 - 5327