Google

Medicamento reduz significativamente efeitos renais e cardiovasculares em pacientes com doença renal crônica e diabetes tipo 2

 



Medicamento reduz significativamente efeitos renais e cardiovasculares em pacientes com doença renal crônica e diabetes tipo 2

• Finerenona traz esperança para pacientes que ainda apresentam risco de progressão para a insuficiência renal e eventos cardiovasculares, apesar das terapias disponíveis atualmente

• Os resultados do estudo FIDELIO-DKD, que comprova a eficácia do medicamento, foram publicados simultaneamente no New England Journal of Medicine


São Paulo, novembro de 2020 - Resultados detalhados do estudo de fase III FIDELIO-DKD demonstraram que o medicamento experimental finerenona retardou a progressão da doença renal crônica (DRC) em pacientes com DRC e diabetes tipo 2 (T2D) em comparação ao placebo. A finerenona reduziu significativamente o risco de insuficiência renal, uma diminuição sustentada da taxa de filtração glomerular estimada (eTFG) ≥ 40% da linha de base ao longo de um período de pelo menos quatro semanas, ou morte renal em 18% ao longo de uma duração mediana de acompanhamento de 2,6 anos quando adicionado à dose máxima tolerada da terapia orientada por diretrizes. Aos 36 meses, o número necessário para prevenir um evento de desfecho composto primário foi 29. FIDELIO-DKD é o primeiro grande estudo contemporâneo de desfechos positivos em pacientes com DRC e T2D com um desfecho primário composto exclusivamente de desfechos específicos para os rins. Os resultados do estudo, que faz parte do maior programa de ensaios clínicos de Fase III até o momento em CKD e T2D, foram apresentados na Semana do Rim 2020 da American Society of Nephrology (ASN) e publicados simultaneamente no " New England Journal of Medicine ".

"Apesar dos tratamentos disponíveis com foco nas vias hemodinâmicas e metabólicas, há risco residual de progressão da doença renal em pacientes com doença renal crônica e diabetes tipo 2. As descobertas do FIDELIO-DKD fornecem evidências importantes que sugerem uma nova estratégia potencial para o tratamento desses pacientes ", disse o professor George L. Bakris, MD, Departamento de Medicina, Comprehensive Hypertension Center from American Heart Association, University of Chicago Medicine, EUA, e principal investigador da FIDELIO-DKD. "A hiperativação do receptor mineralocorticóide contribui para a inflamação e fibrose nos rins e no coração, representando um alvo promissor para uma nova terapia. Novas estratégias são necessárias para evitar mais danos aos órgãos-alvo e diminuir a taxa de declínio da função renal dos pacientes. Os resultados com a finerenona são altamente relevantes, especialmente para pacientes que têm opções limitadas atualmente."

O estudo mostrou que os efeitos da finerenona no desfecho primário foram geralmente consistentes em subgrupos pré-especificados, e o efeito do tratamento foi mantido durante todo o estudo. A finerenona também reduziu significativamente o risco do desfecho secundário, um composto de morte cardiovascular, infarto do miocárdio não fatal, acidente vascular cerebral não fatal ou hospitalização por insuficiência cardíaca em comparação com o placebo em 14% ao longo de uma duração mediana de acompanhamento de 2,6 anos. Os pacientes em ambos os grupos receberam tratamento padrão, incluindo terapias para redução da glicose no sangue e uma dose máxima tolerada de uma terapia de bloqueio do sistema renina-angiotensina (RAS), como um inibidor da enzima de conversão da angiotensina (IECA) ou um bloqueador do receptor da angiotensina II (BRA).

"Esses pacientes vulneráveis ​​precisam ser protegidos, adiando a necessidade de diálise ou transplante de rim e reduzindo o risco de eventos cardiovasculares", disse o Dr. Joerg Moeller, membro do Comitê Executivo da Divisão Farmacêutica da Bayer AG e Chefe de Pesquisa e Desenvolvimento. "Há uma grande necessidade médica não atendida em doenças cardiovasculares e renais, que pretendemos atender com nossos esforços de pesquisa e desenvolvimento. Os resultados do FIDELIO-DKD demonstram que a finerenona pode se tornar uma nova opção terapêutica potencial para pacientes com doença renal crônica e diabetes tipo 2, que apresentam perda progressiva da função renal. Estamos satisfeitos por ter alcançado este importante marco de desenvolvimento para a finerenona, que aborda um fator-chave envolvido na progressão da doença renal crônica no diabetes tipo 2."

A finerenona foi bem tolerada, o que é consistente com o perfil de segurança observado em estudos anteriores. Em geral, os eventos adversos emergentes do tratamento e os eventos adversos graves foram semelhantes entre os grupos. A maioria dos eventos adversos foram leves ou moderados. A frequência de eventos adversos graves foi menor em pacientes tratados com finerenona (31,9%) em comparação com o placebo (34,3%). No geral, os eventos adversos relacionados à hipercalemia ocorreram com mais frequência em pacientes que receberam finerenona em comparação com placebo (18,3% e 9%, respectivamente). Porém, os eventos adversos graves relacionados à hipercalemia foram baixos (1,6% e 0,4%, respectivamente), e não houve morte relacionada à hipercalemia em nenhum dos grupos de tratamento. O tratamento foi interrompido devido à hipercalemia em 2,3% dos pacientes tratados com finerenona em comparação com 0,9% no grupo de placebo.


A Bayer planeja apresentar pedidos de autorização de comercialização de finerenona para pacientes com doença renal crônica e diabetes tipo 2 às autoridades de saúde até o final deste ano.


Sobre a doença renal crônica no diabetes tipo 2

A DRC é uma condição mortal pouco conhecida. A DRC é uma das complicações mais frequentes decorrentes do DM2 e também um fator de risco independente para doenças cardiovasculares. Aproximadamente 40% de todos os pacientes com DM2 desenvolvem DRC. Apesar das terapias orientadas por diretrizes, os pacientes com DRC e T2D permanecem em alto risco de progressão da DRC e eventos cardiovasculares. Estima-se que a doença afete mais de 160 milhões de pessoas com DM2 em todo o mundo. A DRC no DM2 é a principal causa da doença renal em estágio terminal, que requer diálise ou transplante renal para que o paciente continue vivo. A superativação de MR é conhecida por desencadear processos prejudiciais (por exemplo, inflamação e fibrose) nos rins e no coração de pacientes com DRC e DM2.

Sobre finerenona

Finerenona (BAY 94-8862) é um novo antagonista do receptor mineralocorticóide (MRA) seletivo, não esteroidal, que demonstrou bloquear muitos dos efeitos nocivos da superativação do receptor mineralocorticóide (MR). A superativação de MR é o principal fator de dano renal e cardiovascular por meio de processos inflamatórios e fibróticos.

O programa de Fase III com finerenona na DRC e T2D envolveu mais de 13.000 pacientes com diferentes níveis de gravidade da doença, incluindo aqueles com lesão renal precoce e estágios mais avançados de doença renal. É o maior programa de ensaio clínico de Fase III até o momento em CKD e T2D e compreende dois estudos, avaliando o efeito da finerenona versus placebo no topo do tratamento padrão nos desfechos renais e cardiovasculares.

FIDELIO-DKD (FInerenone in reducing kiDnEy faiLure and dIsease prOgression in Diabetic Kidney Disease) é um estudo randomizado, duplo-cego, controlado por placebo, de grupo paralelo, multicêntrico, conduzido por eventos de Fase III que investigou a eficácia e segurança da finerenona em comparação com placebo, além do tratamento padrão na redução da insuficiência renal e progressão da doença renal em aproximadamente 5.700 pacientes com DRC e T2D em mais de 1.000 locais em 48 países em todo o mundo. Finerenona 10 mg ou 20 mg por via oral uma vez ao dia quando adicionado ao tratamento padrão, incluindo terapias para redução da glicose no sangue e uma dose máxima tolerada de uma terapia de bloqueio de RAS, como um IECA ou BRA, reduziu significativamente o risco combinado de tempo para insuficiência renal, uma diminuição sustentada (eTFG) ≥ 40% da linha de base durante um período de pelo menos quatro semanas, ou morte renal em 18% (redução do risco relativo; HR 0,82 [IC 95%, 0,73-0,93; p = 0,0014]) ao longo de uma duração média de acompanhamento de 2,6 anos. Os resultados para os componentes individuais do desfecho primário são: insuficiência renal: HR 0,87, IC 95% (0,72-1,05); diminuição sustentada de ≥ 40% na eTFG desde o início: HR 0,81, IC 95% (0,72-0,92); morte renal ocorreu apenas em 4 pacientes (2 em cada grupo). A finerenona também reduziu significativamente o risco do desfecho secundário, um composto morte cardiovascular, infarto do miocárdio não fatal, acidente vascular cerebral não fatal ou hospitalização por insuficiência cardíaca em comparação com o placebo em 14% (redução do risco relativo, HR 0,86 [95 % CI, 0,75-0,99; p = 0,0339]) ao longo de uma duração mediana de acompanhamento de 2,6 anos. Os resultados para os componentes individuais do endpoint secundário chave são: morte cardiovascular: HR 0,86, IC 95% (0,68-1,08); enfarte do miocárdio não fatal: HR 0,80, IC 95% (0,58-1,09); AVC não fatal: 1,03, IC 95% (0,76-1,38); hospitalização por insuficiência cardíaca: HR 0,86, IC 95% (0,68-1,08).

FIGARO-DKD (FInerenone in reducinG cArdiovascular moRtality and mOrbidity in Diabetic Kidney Disease) ainda está em andamento e está investigando a eficácia e segurança da finerenona versus placebo, além do padrão de cuidado na redução da morbidade e mortalidade cardiovascular em aproximadamente 7.400 pacientes com DRC e T2D em 47 países, incluindo Europa, Japão, China e EUA.

A Bayer também anunciou recentemente o início do estudo FINEARTS-HF, um estudo de Fase III multicêntrico, randomizado, duplo-cego, controlado por placebo que investigará a finerenona em comparação com o placebo em mais de 5.500 pacientes com insuficiência cardíaca sintomática (classe funcional de II-IV da New York Heart Association) com fração de ejeção do ventrículo esquerdo ≥40%. O objetivo principal do estudo é demonstrar a superioridade da finerenona sobre o placebo na redução da taxa do desfecho composto de morte cardiovascular e eventos de insuficiência cardíaca (IC) total (primeiro e recorrente), definidos como hospitalizações por IC ou visitas urgentes por IC.

Sobre o compromisso da Bayer em doenças cardiovasculares e renais


A Bayer é líder em inovação na área de doenças cardiovasculares, com um compromisso de longa data em fornecer ciência para uma vida melhor, avançando com um portfólio de tratamentos inovadores. O coração e os rins estão intimamente ligados na saúde e na doença, e a Bayer está trabalhando em uma ampla gama de áreas terapêuticas em novas abordagens de tratamento para doenças cardiovasculares e renais com grandes necessidades médicas não atendidas. A unidade de négocios de Cardiologia da Bayer já inclui uma série de produtos e diversos outros compostos em vários estágios de desenvolvimento pré-clínico e clínico. Juntos, esses produtos refletem a abordagem da empresa para a pesquisa, que prioriza alvos e caminhos com o potencial de impactar a forma como as doenças cardiovasculares são tratadas.

Sobre a Bayer

A Bayer é uma empresa global focada em Ciências da Vida nas áreas de saúde e nutrição. Seus produtos e serviços são desenvolvidos para beneficiar pessoas apoiando-as para superar os maiores desafios apresentados pelo crescimento e envelhecimento populacional. Além disso, a companhia visa criar valor por meio da inovação e crescimento. A Bayer é comprometida com os princípios do desenvolvimento sustentável e a marca Bayer representa confiança, credibilidade e qualidade ao redor do mundo. No ano fiscal de 2019, com cerca de 104 mil colaboradores, obteve vendas de € 43.5 bilhões. Os investimentos totalizaram € 2,9 bilhões e as despesas com Pesquisa & Desenvolvimento somaram € 5,3 bilhões. Para mais informações, acesse http://www.bayer.com.br .

Informações à imprensa - JeffreyGroup

Anderson Moço - (11) 3185-0827 | amoco@jeffreygroup.com

Danilo Brasil - (11) 3185-0813 | dbrasil@jeffreygroup.com

Alessandra Muro - (11) 3185-0863 | amuro@jeffreygroup.com

Débora Lemos - (11) 3185-0820 | dlemos@jeffreygroup.com