PESQUISA

Páginas

Na semana em que Minas Gerais completa 300 anos, Fundação Dom Cabral debate os caminhos da crise à transformação


Tema foi foco das discussões do Fórum Digital FDC 2020, que contou com a participação de líderes empresariais de todo o Brasil


Na semana em que Minas Gerais completa 300 anos de história, a Fundação Dom Cabral, 9ª melhor escola de negócios do mundo (Ranking Financial Times 2020), sediada em Nova Lima, promoveu a primeira versão digital de seu tradicional Fórum de Governança e Gestão, voltado para as médias organizações, com o tema: "Da crise à transformação" . De Minas, onde iniciou há 40 anos, a FDC cresceu e expandiu sua atuação, estando presente hoje em todos os estados brasileiros e com diversas ações em parceria com as instituições de educação executiva mais renomadas do mundo. Por ano, a FDC capacita cerca de 20 mil profissionais entre executivos, empresários e gestores públicos.

Referência para as médias empresas, a escola de negócios conta com programas e metodologias dirigidos para o desenvolvimento dessas organizações. Até setembro deste ano, a FDC entregou mais de 500 programas e atendeu mais de 700 médias empresas, não só no Brasil, como também no Paraguai. Inovando em seu portfólio com temas como modelagem de negócios, inovação, governança e empresas familiares, gestão para transformação e gestão de crise para pequenas e médias organizações, a FDC buscou responder às necessidades das empresas em um cenário desafiador para todos os setores econômicos.

Os debates do Fórum Digital FDC 2020 giraram acerca da gestão em um mundo incerto, volátil e complexo. Cerca de 800 pessoas acompanharam o encontro que reuniu empresas, líderes corporativos brasileiros e estrangeiros e professores participantes dos programas da FDC. O encontro teve abertura de Antonio Batista da Silva Junior, Presidente Executivo da FDC, que destacou: "A crise é o momento de se reinventar. Este é um tema que agrada aos historiadores empresariais - pois é quando podemos descobrir quais negócios irão emergir e quais irão submergir."

Explorando este tema, Carlos Arruda, Professor da Fundação Dom Cabral e Diretor do Centro de Inovação e Empreendedorismo da FDC, apontou que "é fácil de identificar, ao longo da história do homem, momentos em que a tecnologia provoca revoluções e transformações significativas - como foi o caso da prensa e do motor de combustão interna." Neste contexto, o processo de transformação digital ganha prioridade, e precisa compreender alguns pilares fundamentais, que passam pela busca de eficiência interna e pelo foco no cliente. "Lidar com a incerteza e com a aposta é um dos grandes desafios do nosso empresário", complementou o Professor Arruda.


Para Jandaraci Araújo, executiva do setor de finanças e Conselheira Emérita do Instituto Capitalismo Consciente Brasil e convidada do evento, "Não existe avanço econômico, e não vai haver progresso, se não pensarmos em inclusão. O que as empresas, organizações e lideranças precisam pensar é menos no eu e mais no nós."

O evento se encerrou com a palestra do professor do Insead e membro do Conselho Curador e Professor visitante da FDC, Subramanian Rangan, que destacou a presença das médias empresas para o desenvolvimento de um país. Citando como a exemplo a Alemanha, país onde a grande maioria das organizações são de médio porte, o pesquisador salientou oito pontos nos quais as empresas germânicas se concentram para o seu desenvolvimento. São eles: foco em um segmento; ter o cliente como centro das ações, proporcionando valor e com isso se tornando relevante; pesquisa e desenvolvimento, caracterizando inovação; internacionalização; ter uma cultura ágil; ser digital trabalhando com dados e códigos; ser eficiente na busca de capital financeiro; e focar no capital humano de sua empresa. Além disso, Rangan finalizou alertando sobre a importância do legado das empresas para o progresso social e a construção de uma sociedade mais justa.



Sobre a Fundação Dom Cabral
A Fundação Dom Cabral é uma escola de negócios brasileira que há mais de 40 anos tem a missão de contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade, por meio da educação, capacitação e desenvolvimento de executivos, empresários e gestores públicos. Em 2020 a instituição ficou em 9º lugar no ranking de educação executiva do jornal britânico Financial Times. Desta forma, consolidou sua posição como a melhor escola de negócios da América Latina e a mais bem colocada do Brasil. Somente em 2019 passaram pela FDC mais de 20 mil profissionais entre executivos, empresários e gestores públicos.

No campo social, a FDC desenvolve iniciativas de desenvolvimento, capacitação e consolidação de projetos, líderes e organizações sociais, contribuindo para o fortalecimento e o alcance dos resultados pretendidos por essas entidades. Dessa forma, em 2020 a escola executiva lançou o Centro Social Cardeal Dom Serafim, concebido para apoiar pessoas em situação de vulnerabilidade social, empreendedores da base da pirâmide, gestores de organizações sociais e as próprias organizações sociais, por meio do desenvolvimento e capacitação, além de um programa de bolsa de estudos.


Mais informações para a imprensa

FSB Comunicação