Pesquisar este blog

Nunes - poeta : Militância Incondicional

Nunes - poeta : Militância Incondicional: Militância Incondicional   O governo dirá que pensa no seu bem, mandará você agir segundo a vontade dele, você acreditará que o gove...

Saem as primeiras notícias sobre o resultado real do Isolamento







Saem as primeiras notícias sobre o resultado real do Isolamento. Um dos maiores erros da História da humanidade. Diversos relatórios apontam para um resultado grave. A Mídia exagerou para levar os homens ao isolamento horizontal (lockdown) e agora exagera para forçar a uma transformação social. Plinio Corrêa de Oliveira, em 1976, já denunciava a sociedade que nasceria após o Comunismo, uma sociedade cientificista e coletivista. #naopare #NaoaoIsolamento #Coronavirus

Dia Mundial da Biodiversidade

Preservação da biodiversidade pode contribuir para evitar
proliferação de vírus e novas epidemias

Projeto Bichos do Pantanal traz para Dia Mundial da Biodiversidade
uma reflexão sobre as relações entre espécies
(19/05/2020) - A comemoração do Dia Mundial da Biodiversidade, no próximo dia 22 de maio, em meio à atual pandemia serve para alertar sobre a importância da preservação da natureza como forma de contribuir para o equilíbrio dos ecossistemas e de evitar o risco de situações de proliferação de vírus e ocorrências de epidemias, como o novo coronavírus.
Embora poucos tenham conhecimento deste risco, as mudanças climáticas e a perda de biodiversidadee o consequente desequilíbrio ecológico, são fatores que possibilitam o surgimento de novas pandemias, como foi com a Ebola, por exemplo. Isto pode estar relacionado aos animais que, por conta de seu habitat natural ser prejudicado, acabam migrando para centros urbanos. Interações entre esses animais e os humanos podem desencadear a expansão dessas doenças - e até mesmo o surgimento de novas enfermidades.
"Quando o Homem devasta a natureza, ele acaba colocando à prova a própria existência, pois a perda do hábitat - provocada por desmatamentos e destruição de florestas, poluição de rios, queimadas e outras ações humanas - levam os animais a invadir os centros urbanos, que avançam sobre onde antes viviam em paz. Isso faz com que doenças novas cheguem a ambientes urbanos, como é o caso da febre amarela, que antigamente se restringia às áreas rurais e florestais, mas que hoje já ocorre até mesmo em São Paulo", argumenta Douglas Trent, ecólogo americano há 40 anos no Brasil e Diretor de Pesquisas do Projeto Bichos do Pantanal.
Realizado pelo Instituto Sustentar e patrocinado pela Petrobras, por meio do programa Petrobras Socioambiental, Bichos do Pantanal é um projeto que abrange desde a Educação Ambiental, priorizando a conexão com a natureza, desenvolvimento do Turismo sustentável local - principalmente o Turismo de Observação da Vida Silvestre, e a pesquisa científica, que busca entender as interações ecológicas da biodiversidade do Pantanal, o bioma mais preservado em nosso país.
O Brasil é o país com maior biodiversidade do planeta. Esse fato representa um valor inestimável para o mundo inteiro, uma vez que a diversidade da natureza é a chave para a sobrevivência humana. Proteger toda essa riqueza natural não é algo simples e exige cada vez mais atenção de todas as pessoas e requer muita pesquisa científica.
Projeto aposta na educação ambiental e conexão com a natureza
Na tentativa de conscientizar as pessoas sobre a necessidade da conservação ambiental, o projeto Bichos do Pantanal criou várias ações que estão em curso nessa semana da biodiversidade. Dentre elas, o curso virtual sobre a conexão com a natureza como ferramenta pedagógica, voltado para profissionais da educação, professoresnos dias 20 e 25 deste mês. "O objetivo é capacitar educadores para que eles levem ao conhecimento de jovens e crianças a importância da preservação do meio ambiente, desperte neles a paixão e o respeito pela natureza como o caminho a seguir na conservação da nossa Biodiversidade, pois acreditamos que quem conhece ama e cuida", comenta Jussara Utsch, Diretora Executiva do Instituto Sustentar.
Duas outras Lives no Instagram e Youtube seguem na programação da semana: "Ciclo das águas do Pantanal e a Biodiversidade Aquática", tema abordado pelo Doutor em ecologia e limnologia, pesquisador Winkinson Lázaro, no próximo dia 20 de maio (4ª feira)às 17h, horário de Brasília (às 16h no Mato Grosso)"Conhecendo a Fauna Pantaneira, desmistificando os saberes e fomentando a empatia com as espécies", com professor, biólogo e pesquisador Mahal Massavi, no dia 22 (6ª feira), no mesmo horário acima mencionado, encerrando a semana da Biodiversidade com conteúdos educativos e exclusivos do Projeto Bichos do Pantanal, realizado pelo Instituto Sustentar e patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental.
Para mais informações sobre as atividades, basta seguir as redes sociais do Projeto Bichos do Pantanal:
Facebook: Projeto Bichos do Pantanal / Instituto Sustentar http://www.facebook.com/bichosdopantanal/
Instagram: Bichos do Pantanal http://www.instagram.com/bichosdopantanal/
Youtube: Bichos do Pantanal - http://www.youtube.com/user/bichosdopantanal
Twitter: Bichos do Pantanal http://twitter.com/BichosPantanal
Projeto Bichos do Pantanal
Com patrocínio da Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental, o Projeto Bichos do Pantanal atua na região do Alto Pantanal (Cáceres e Porto Estrela - MT) desde 2013. O foco é nas áreas de Educação Ambiental, pesquisas que ampliam o conhecimento científico visando a preservação de espécies da fauna pantaneira e a promoção da sustentabilidade local por meio do Turismo Sustentável. O Projeto já mobilizou, em diversas atividades (entre cursos, eventos, capacitações, atividades de mobilização social e Educação Ambiental), mais de 550 mil pessoas entre crianças, jovens e adultos, comunidade escolar, moradores, visitantes e turistas nos municípios de Cáceres e Porto Estrela e Estado do Mato Grosso.
Instituto Sustentar
O Projeto Bichos do Pantanal é realizado pelo Instituto Sustentar, OSCIP com sede em Belo Horizonte e atuação nacional e internacional. A entidade é dedicada à implementação e execução de projetos que buscam a sustentabilidade econômica, social e ambiental, junto à iniciativa privada, entidades da sociedade civil e setor governamental. O objetivo é promover pesquisas técnico-científicas e boas práticas institucionais e empresariais que permitam o desenvolvimento sustentável de nossa sociedade.
Mais informações para imprensa:
Verdelho Comunicação
Pauliane Gonçalves
(11) 98951 2417
Mais informações sobre o Projeto Bichos do Pantanal estão disponíveis em http://www.bichosdopantanal.org

Pesquisa do Grupo ZAP sobre o mercado imobiliário


Pesquisa revela que varanda, vista livre e ambientes mais divididos são características importantes pós-pandemia
Pesquisa do Grupo ZAP sobre o mercado imobiliário e coronavírus revela mudança no comportamento do consumidor na busca por um imóvel
São Paulo, maio de 2019 - Um levantamento exclusivo do Grupo ZAP, responsável pelos portais imobiliários ZAP e Viva Real, sobre o mercado imobiliário e os efeitos do coronavírus no setor, revela uma mudança de comportamento na busca de um imóvel para compra e locação. O estudo com 1.700 entrevistados mostra que agora ter varanda, vista livre e ambientes mais bem divididos são características do novo imóvel consideradas importantes ou muito importantes por mais de 50% do público no pós-pandemia.
O estudo "A Influência do Coronavírus no Mercado Imobiliário" mostra que olhando para os atributos que as pessoas passaram a valorizar como importantes ou muito importantes, em primeiro lugar temos: imovel localizado com mais comércio, em segundo ambientes mais divididos, em terceiro aparece imóvel com varanda, em quarto imóvel com vista/visão desimpedida, entre outras.

Para Deborah Seabra, economista do Grupo ZAP, existe uma mudança de comportamento nesse momento que pode permanecer. "Estamos entrando no ‘novo normal’, que são pessoas já estão acostumadas com o novo cenário e já não tem mais o choque inicial. Elas começam a manter uma rotina de consumo, como anteriormente, mas pensando de uma forma diferente", explica a economista.
Mais mudanças no imóvel em compra e locação
Na entrevista, perguntados sobre o que muda no imóvel desejado para compra depois da pandemia, a maioria dos respondentes afirmaram sobre querem com vista/visão desimpedida (60%), com mais dormitórios (52%), maior em m² (52%), com mais banheiros (44%), mais perto do meu local de trabalho (44%) e, por fim, situado em um andar mais alto (32%).
Já em locação, o cenário muda um pouco com morar mais perto do local de trabalho (53%), seguido de ter uma vista/visão desimpedida (51%), logo após com mais dormitórios e maior em m² (42%), com mais banheiros (34%) e, por último, situado em um andar mais alto (25%).

Pesquisa completa no linkbit.ly/pesquisa2onda
Sobre o Grupo ZAP
O Grupo ZAP nasceu da fusão dos portais ZAP e Viva Real - líderes nacionais do mercado imobiliário. A nova empresa é muito mais que classificados de imóveis. Ela oferece uma solução completa para todo o segmento de imóveis, por meio de suas ofertas de produtos, inteligência de dados, serviços e informações de credibilidade que geram ganhos e decisões mais precisas para quem está envolvido no processo.

Mensalmente, o grupo gera 4 milhões de contatos de interessados para 7 milhões de anúncios de imóveis e recebe 40 milhões de visitas, a maior audiência qualificada do mercado.
Contato para imprensa:
Denis Nunes
(11) 43491001
(11) 9 4297-7581

Legado das Águas abriga 13% de toda fauna ameaçada de extinção na Mata Atlântica


Legado das Águas abriga 13% de toda fauna ameaçada de extinção na Mata Atlântica
Balanço de espécies catalogadas na área reforça a importância da Reserva para conservação de espécies que só podem ser encontradas nesse bioma
Um levantamento realizado pelo Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do país, mostrou que em seus oito anos de existência, as pesquisas científicas e monitoramento de fauna e flora já registraram 1.765 espécies na área, localizada no Vale do Ribeira paulista. Deste total, 809 são espécies animais e, neste mesmo grupo, 50 estão ameaçadas de extinção. Os números também chamam a atenção para a diversidade de aves, são 296 espécies catalogadas no local, o que representa 40% de toda avifauna do Estado de São Paulo. Já na flora, a lista conta com 956 espécies, sendo 9 ameaçadas.
Quando comparado com dados do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Brasileiro de Florestas (IBF)¹que mostram que a Mata Atlântica abriga 383 dos 633 animais ameaçados de extinção no Brasil, o Legado das Águas é refúgio para 13,05% do total de espécies animais ameaçadas no bioma. A área da Reserva, localizada entre os municípios de Juquiá, Miracatu e Tapiraí, é correspondente ao tamanho da cidade de Curitiba.
Das 809 espécies animais registradas, 296 são de aves, 322 são de borboletas, 70 de mamíferos, 67 de anfíbios e répteis e 54 de peixes. Já do total de 956 de espécies da flora, sendo 233 de orquídeas.
Para David Canassa, diretor da Reservas Votorantim, os números do balanço impressionam. "Ter 13,05% das espécies animais ameaçadas de extinção na Mata Atlântica em nossa área nos anima, e reforça a importância e compromisso do Legado das Águas em manter a área conservada. Temos certeza que o número de espécies nas florestas do Legado pode ser bem maior. O monitoramento da fauna em florestas densas e fechadas como da Mata Atlântica é mais difícil, mas o balanço nos mostrou que a catalogação de novas espécies é crescente, o que pode indicar que nos próximos anos, incluindo 2020, podemos ter mais boas surpresas", diz Canassa.
Além do levantamento feito por meio das pesquisas científicas, o Legado das Águas mantém o monitoramento constante da fauna e flora utilizando dois métodos, um deles é com o registro fotográfico e de vídeo feitos pelos monitores ambientais, guias turísticos e técnicos de campo. O outro é por armadilhas fotográficas instaladas na mata, que disparam automaticamente quando os animais passam pelo sensor. Os equipamentos não oferecem risco algum para os animais.
Descobertas
As pesquisas no Legado das Águas já resultaram em descobertas relevantes para a ciência, consequentemente para a conservação da Mata Atlântica. Entre as principais, estão: com descoberta de duas antas albinas, possivelmente as únicas do mundo, em parceria do Instituto Manacáa redescoberta de uma espécie de orquídea considerada extinta na natureza no Estado de São Paulo, com parceira do biólogo Luciano Zandonáa descoberta de uma borboleta que não era registrada há mais de 50 anos no Estado, em parceria com a bióloga Dra. Laura Bragao reconhecimento pela União Internacional Para Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) como Área Prioritária Global para conservação do macaco muriqui-do-sul, em parceria com o Instituto Pró-Muriqui, e o reconhecimento como Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica pelo sistema ONU/Unesco. Além disso, na biotecnologia, em parceria com o pesquisador Mauro Rebelo, atualmente o Legado das Águas detém o maior banco genético de flora da Mata Atlântica do mundo, que pode ainda resultar na descoberta de ativos de interesse para as indústrias de cosméticos, perfumaria e farmacêutica.
Os resultados das pesquisas realizadas no Legado das Águas têm como principal objetivo gerar conhecimento para subsidiar ações de conservação da Mata Atlântica, assim como possibilitar o respaldo para o desenvolvimento de negócios. "No Legado das Águas, buscamos sempre transformar esses dados em oportunidades. Exemplo disso são as possibilidades de ecoturismo incluindo o avistamento da fauna. Já com a flora, produção de espécies de plantas nativas para projetos paisagísticos. É urgente que a conservação seja vista pelo viés das oportunidades de geração de renda com nossos biomas. E as pesquisas relacionadas ao momento pós pandemia, mostra a importância das florestas e a reconexão que será buscada pelas pessoas", finaliza Canassa.
Sobre o Legado das Águas - Reserva Votorantim
O Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do país, com extensão aproximada à cidade de Curitiba (PR), é um dos ativos ambientais da Votorantim. Localizada na região do Vale do Ribeira, no sul do Estado de São Paulo, a área foi adquirida a partir da década de 1940 e conservada desde então pela Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), que manteve sua floresta e rica biodiversidade local com o objetivo de contribuir para a manutenção da bacia hídrica do Rio Juquiá, onde a companhia possui sete usinas hidrelétricas.
Em 2012, o Legado das Águas foi transformado em um polo de pesquisas científicas, estudos acadêmicos e desenvolvimento de projetos de valorização da biodiversidade, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo.
Hoje, o Legado das Águas é administrado pela empresa Reservas Votorantim, criada para estabelecer um novo modelo de área protegida privada, cujas atividades geram benefícios sociais, ambientais e econômicos de maneira sustentável.

Informações à Imprensa
FleishmanHillard Brasil
Gabriel Santos
(11) 3185 99511 | (11) 98732 0510

 


   


  

    

  




Ter uma hospedagem de sites

Ofertas especiais

Ter uma hospedagem de sites é fundamental para manter sua empresa online. Esse serviço é responsável por armazenar as informações do seu site e garantir que ele funcione corretamente 24h/dia e 7 dias/semana. Ou seja, significa que seu site estará no ar e você não corre o risco de perder vendas ou o contato com o seu cliente. 
Com a hospedagem de sites do Terra você tem acesso a backups diários, com espaço em disco e transferência ilimitados, além de poder acompanhar quem visita seu site todos os dias.
COMECE POR R$ 29,90/MÊS
Além de contar com todos esses benefícios, quem contratar nossa hospedagem ainda tem acesso à Vitrine Terra Empresas. Anuncie seus produtos sem pagar nada e coloque sua empresa em um dos maiores portais do país.
CONHEÇA A VITRINE TERRA EMPRESAS
Esperamos por você!

Para deputados petistas "Só antecipar feriado é pouco".

Para Bancada do PT na Alesp, só antecipar feriado é insuficiente


Projeto que altera o feriado de 9 de julho deve ser votado nesta quinta (21)


A Bancada do PT na Assembleia Legislativa de SP apresentou, na reunião do Congresso de Comissões desta quarta (20), voto em separado favorável com ressalvas ao projeto de lei 351 de 2020, que altera a data de comemoração do feriado civil de 9 de julho.

Em sessão virtual marcada para esta quinta (21), a partir das 14h, os parlamentares deverão deliberar sobre o projeto do governo que muda, excepcionalmente esse ano, o feriado para o dia 25 de maio, com o objetivo de aumentar a adesão ao isolamento social, necessário para conter o avanço do coronavírus no Estado.

Os deputados petistas são favoráveis à alteração, porém acreditam que a proposta seja insuficiente. No voto em separado, a Bancada coloca a importância de medidas complementares, como a restrição do tráfego de veículos pelas estradas e rodovias, no perímetro de 150 km a partir do marco zero da capital, e a instituição de barreiras sanitárias a serem instaladas em todas de rodovias de acesso aos litorais norte e sul do Estado de São Paulo.

A deputada Professora Bebel, líder da minoria na Assembleia Legislativa, destaca a falta de planejamento nas ações do governo em relação à covid-19 e lembra que a doença está avançando cada vez mais no interior do Estado. "Só antecipar feriado é pouco. Precisamos de um isolamento social horizontal, com liberação apenas dos trabalhadores dos serviços essenciais. Votamos favoravelmente pela urgência do projeto, mas queremos dialogar em cima desse substitutivo."

Empresa focará na expansão e renovação do canavial para atingir capacidade máxima de moagem e alcançar a produção de 2,7 bilhões de etanol em seis safras

Com aprovação do plano de recuperação judicial, Atvos se prepara para retomar investimentos
Empresa focará na expansão e renovação do canavial para atingir capacidade máxima de moagem e alcançar a produção de 2,7 bilhões de etanol em seis safras
20 de maio de 2020. A Atvos, entre as maiores produtoras de etanol do país, teve seu plano de recuperação judicial aprovado hoje em Assembleia Geral de Credores. O documento será levado a homologação do Poder Judiciário.
Aprovado por expressiva maioria dos credores, o plano fortalecerá a estrutura de capital da Atvos que planeja retomar os investimentos com objetivo de alcançar a capacidade de moagem de 35 milhões de toneladas de cana em seis anos. Atualmente, a empresa é responsável por aproximadamente 10% do abastecimento de etanol do mercado brasileiro.
Estabelecido o equilíbrio financeiro, a empresa terá condições para executar seu plano de negócios focado na ampliação e renovação dos canaviais e no aumento da produtividade das unidades industriais. O crescimento da produção permitirá aumentar a geração de caixa e iniciar um novo ciclo de valorização da empresa.
O plano de recuperação judicial prevê ainda a atração de novos investidores e o fortalecimento das práticas de governança com um Conselho de Administração composto por cinco conselheiros, sendo três independentes.
Pagamento a credores
plano de recuperação judicial especifica condições de pagamentos para as diversas classes de créditos devidos pela empresaA prioridade é o pagamento dos créditos de fornecedores e parceiros agrícolas. Os pagamentos serão realizados em parcela única, no prazo de 90 dias (para os credores que optarem por receber até R﹩ 50 mil), ou em três parcelas anuais com primeiro pagamento um ano após a homologação do plano aprovado hojeAs dívidas trabalhistas não foram reestruturadas, de modo que não se submeterão ao plano de recuperação judicial e serão regularmente quitadas conforme suas datas de vencimento.
Por meio da transferência de 46% da dívida das unidades operacionais, a alavancagem da empresa será reduzida de seis para cerca de três vezes o valor da dívida líquida em relação ao seu EBITDA. Essa realocação engloba os valores devidos às instituições financeiras que representam 97% do total da dívida. Os 54% da dívida que permanecem nas unidades operacionais terão o primeiro pagamento de juros em junho de 2022 e o primeiro pagamento de principal em dezembro de 2022 com taxa de juros de 115% do CDI.
O plano inclui algumas garantias adicionais aos credores financeiros. Para aqueles que optarem pela conversão de parte de suas dívidas em debêntures com direito a dividendos futuros, os títulos a serem recebidos terão alienação fiduciária de ações da Atvos e dos principais ativos da companhia e cessão fiduciária de dividendos.
Os credores financeiros com garantias poderão converter 46% de suas dívidas nessas debêntures, enquanto os financeiros sem garantia poderão realizar a conversão de 61% das dívidas. Essa opção será oferecida aos credores extraconcursais que resolverem aderir ao plano, com possibilidade de converter 20% das dívidas.
Plano de Negócios
Até a safra 2025/2026, o objetivo é aumentar de 13% para 17% as taxas de renovação do canavial que terá sua idade média reduzida de 3,9 anos para 3 anos. Em relação à expansão, estão previstos 55 mil novos hectares de plantio. Hoje, a empresa administra 498 mil hectares de cana.
A expectativa é alcançar em seis safras a produção de 2,7 bilhões de litros de etanol, 317 mil toneladas de açúcar VHP e 3,6 mil GWh de energia elétrica a partir da biomassa da cana-de-açúcar.
Com a diluição de custos promovidos pelo aumento da moagem, espera-se melhorar de forma significativa a rentabilidade das operações.
Safras 2019/2020 e 2020/2021
A empresa encerrou a safra 2019/2020 com uma moagem total de 26,9 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, um crescimento de 1% em comparação com o ciclo de 2018/2019. A empresa produziu 2,14 bilhões de litros de etanol (hidratado e anidro), além de 235 mil toneladas de açúcar VHP e da cogeração de 2,8 mil GWh de energia elétrica a partir da biomassa.
O teor médio de ATR (Açúcar Total Recuperável) registrado no período obteve o melhor resultado histórico da empresa de 133,8 kg/hectare, superando o indicador anterior em 2%. Com um total de 498 mil hectares de canavial, na safra passada plantados 67 mil hectares (considerando plantio próprio e realizado por fornecedores), uma diminuição de 7,6% em comparação à safra passada, decorrente principalmente das restrições de caixa. Dessa área plantada, 92% foram voltados à renovação, fundamental para a empresa atingir sua maturidade operacional.
Para esta safra 2020/2021, a Atvos projeta moer cerca de 26,9 milhões de toneladas de cana nessa nova safra, o suficiente para produzir 1,9 bilhão de litros de etanol e 447 mil de toneladas de açúcar. No período, a empresa deve investir R﹩ 350 milhões em renovação e expansão de canaviais, equipamentos agrícolas e aprimoramentos industriais.
Sobre Atvos
A Atvos atua de forma integrada na produção e comercialização de etanol, açúcar VHP e energia elétrica desde 2007 no Brasil. Com mais de 10 mil empregados, a empresa tem nove unidades agroindustriais distribuídas em cinco polos produtivos, localizados nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás.