Em meio à pandemia, Unicesumar expande polos educacionais no exterior e chega ao Japão



Com mais de 250 mil alunos, quarta maior universidade do Brasil amplia atuação internacional para Japão e Inglaterra, além dos polos na Suíça e Emirados Árabes

São Paulo, janeiro de 2020 - A Unicesumar, quarta maior universidade do Brasil, inaugurou esta semana seu terceiro polo internacional, agora, na cidade de Yokkaichi, no Japão. A instituição já conta com polos de educação a distância em Dubai, nos Emirados Árabes e em Genebra, na Suíça. A nova unidade faz parte do projeto de expansão da Unicesumar, que tem como meta alcançar mil polos educacionais nos próximos anos.

Parte desse projeto passa, justamente, pela expansão internacional, que até março de 2021 prevê a inauguração de mais três unidades no Japão, nas cidades de Maebashi, Izumo e Echizen, e em Londres, na Inglaterra.

Há dois anos em expansão para fora do país e com dois polos educacionais estabelecidos, a Unicesumar possui 500 alunos espalhados por Dubai e Genebra. "Com os novos polos, nossa expectativa é que, em um ano, chegue a 1.500 matriculados. E, a médio prazo, a meta é ampliar a atuação para Portugal e Austrália", destaca o diretor executivo da Unicesumar, James Prestes.



Qualificação para brasileiros em todo o lugar

Com mais de 250 mil alunos matriculados em mais de 700 polos espalhados pelo Brasil e exterior, a Unicesumar tem crescido exponencialmente na última década. Assim como faz em território nacional com polos educacionais que atendem brasileiros em regiões afastadas - como os ribeirinhos do Amazonas - o maior objetivo da instituição com a expansão internacional é qualificar brasileiros para o mercado de trabalho seja onde for.

Por isso, os países escolhidos são aqueles em que brasileiros residem, trabalham, querem estudar e desejam retornar ao Brasil em um futuro próximo. "O aluno Unicesumar dos polos internacionais regressará ao país com um diploma reconhecido pelo MEC de uma das maiores instituições de ensino brasileiras. Acreditamos que por esse caminho não só contribuímos para a profissionalização dos brasileiros como também com a economia do Brasil, já que será aqui o local de atuação desse futuro graduado", explica Prestes.

Pioneira no ensino a distância no Brasil, o método de ensino dos 30 cursos ofertados internacionalmente segue o mesmo padrão de qualidade das disciplinas aplicadas no Brasil, com metodologia exclusiva que utiliza a tecnologia como maneira de aproximação para proporcionar ao aluno uma jornada de ensino completa. Para isso, são utilizadas ferramentas como captação de imagens 360º, games interativos, realidade aumentada, material didático exclusivo e telas interativas.



Decisão definitiva

Embora a expansão aconteça ainda em meio à pandemia, a decisão definitiva de internacionalização para o Japão foi tomada em agosto, período de retomada do plano de extensão da Unicesumar que ficou suspenso por cinco meses para que as incertezas do momento não afetassem os negócios e o sonho da graduação de milhares de alunos.

"O processo de expansão caminha a passos seguros, principalmente. Os parceiros e gestores dos polos internacionais são escolhidos de acordo com um estudo profundo onde a experiência na área de educação, perfil do empreendedor e sustentabilidade do seu negócios são levados em conta", conta Prestes.

Chegada ao Japão

Dados do Ministério das Relações Exteriores, apontam que a população de brasileiros residentes no Japão é cerca de 185 mil pessoas, em sua maioria com idade entre 20 e 59 anos. Segundo Thiago Gimenes Simões, gestor do polo em Yokkaichi, os imigrantes vão para o Japão impulsionados por melhores oportunidades de trabalho e qualidade de vida, porém, poucos possuem ensino superior completo.

Há quatro anos morando no país e trabalhando com educação para brasileiros - infantil e ensino médio, Simões observou a necessidade dos brasileiros darem continuidade aos estudos. "Apesar do Japão não reconhecer o diploma brasileiro, muitos profissionais conseguem uma boa colocação no mercado graças ao conhecimento específico adquirido em um curso superior. Outro forte público de alunos, são as pessoas que estão trabalhando no Japão, mas querem retornar para o Brasil. Fazendo o curso superior por aqui, eles já retornam com um diploma e experiência profissional", afirma o gestor.

No polo de Yokkaichi, a Unicesumar vai ofertar 30 cursos de graduação e mais de 90 de pós-graduação. Entre os mais procurados, estão as graduações em licenciaturas, como Pedagogia e Educação Física, Administração, Ciências Contábeis, Marketing, Tecnologia, Gastronomia e Estética e Bem-Estar. "Existem hoje no Japão, mais de 40 escolas brasileiras atuantes, então, muitas pessoas procuram pelas licenciaturas para atuarem como professores. A Gastronomia também tem uma forte atuação, onde muitos empreendem na área de alimentação, com a venda de marmitas, bolos e salgados", explica Simões.



Sobre a Unicesumar
Há 30 anos no mercado educacional, a Unicesumar vem transformando vidas pela educação através do aperfeiçoamento constante da sua qualidade de ensino e a ampliação de sua estrutura física e abrangência. Atualmente, possui mais de 250 mil alunos em seus mais de 700 polos de educação a distância por todo o Brasil, e em três polos internacionais, localizados em Miami (EUA), Dubai (Emirados Árabes) e Genebra (Suíça). No ensino presencial, conta com quatro campi, nas cidades de Maringá, Curitiba, Londrina e Ponta Grossa, todas no Estado do Paraná. O corpo docente é formado por mais de 800 professores, sendo 80% mestres e doutores, em sua maioria com vasta experiência de mercado. Pelo nono ano consecutivo, a Unicesumar obteve nota 4 no Índice Geral de Cursos (IGC) em uma escala de avaliação de 1 a 5. Também conquistou nota máxima no Conceito Institucional, que avalia infraestrutura, funcionamento, corpo docente e administrativo e qualidade da educação, o que a coloca em posição de excelência em educação e entre os dez maiores grupos educacionais privados do país.

Informações para a imprensa:
Letícia Gomes | (11) 98983-9718 | leticia.gomes@agenciajoinus.com.br

Comentários