Simulado Pedagogia Castro e Regattieri



01- Tanto no Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA quanto na Lei Federal no 9.394/1996 – LDB, a efetividade do direito à educação das crianças e dos adolescentes deve contar com a ação integrada dos agentes escolares e pais ou responsáveis […] o Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação reforça a importância da participação das famílias e da comunidade na busca da melhoria da qualidade da educação básica (Castro; Regattieri, 2009). 

Nesse sentido, entre as diretrizes para gestores e profissionais da Educação, o Plano propõe
(A) erradicar o analfabetismo.
(B) proceder à universalização do atendimento escolar.
(C) oferecer a educação em tempo integral.
(D) oferecer educação profissional para a comunidade na escola.
(E) transformar a escola num espaço comunitário.



02- Nas relações contemporâneas entre a escola e a família, Castro e Regattieri (2009) identificam a existência de uma armadilha que consiste em um jogo de busca de culpados pelo fracasso escolar. De acordo com as autoras, acerca das relações entre escola e famílias, é correto afirmar que

(A) dentro do processo educativo, não há diferenças reais ou conflitos entre os familiares dos alunos e os profissionais da educação.
(B) é importante identificar e negociar, em cada contexto, os papéis e as responsabilidades específicas entre escolas e famílias.
(C) a escola não tem a atribuição de identificar as condições de cada família, para estabelecer a melhor forma de ação conjunta.
(D) a dupla função dos pais, de representante do filho e representante da comunidade, causa prejuízos ao diálogo no interior da escola.
(E) é fundamental que a escola exija de todas as famílias, no mesmo grau de intensidade, o acompanhamento da vida escolar das crianças.


03- É direito dos pais ou responsáveis ter ciência do processo pedagógico, bem como participar da definição das propostas educacionais. Castro e Regattieri (2009) referem-se ao trecho como

(A) uma das disposições legais do ECA, aplicada às escolas.
(B) uma das disposições legais da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). 
(C) orientação constante na Carta Internacional dos Direitos à Criança, de 1987.
(D) diretriz do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, do PDE.
(E) uma determinação que os Conselhos Escolares e os Educadores podem cumprir se julgarem pertinente.


04- Castro e Regattieri (2009) destacam, em seus estudos sobre as relações contemporâneas escola-família, que na realização do direito da criança e do adolescente à educação,

(A) transformar a escola em instituição assistencialista dará maior relevo a seu papel de ator fundamental na realização desse direito.
(B) à escola deve ser dado o relevo a seu papel de ator fundamental e exclusivo para a plena realização desse direito.
(C) de todos os equipamentos do Estado, os Conselhos Tutelares são os que devem ter a maior relevância em relação aos demais atores da rede de proteção social.
(D) deve-se contar com a ação integrada dos agentes escolares e pais ou responsáveis, prevista tanto na LDB como no ECA.
(E) o Conselho Tutelar possui capacidade legal de interferência em assuntos internos da escola.



05- Ao discorrer sobre as novas fronteiras entre escola e família, Castro (2009) ressalta que essas duas instituições deveriam manter um espaço de intersecção por estarem incumbidas da formação de um mesmo sujeito. Nessa perspectiva, cabe à escola

(A) atribuir as famílias sua parcela de responsabilidade pela escolarização das crianças, através do acompanhamento de tarefas prescritas para casa.
(B) exigir que um aluno com dificuldades de aprendizagem cumpra o mesmo plano de trabalho escolar dos que não têm dificuldades.
(C) identificar as condições de cada família, para então negociar, de acordo com seus limites e possibilidades, a melhor forma de ação conjunta.
(D) anular a assimetria entre os familiares dos alunos e os profissionais da educação, desmitificando a ideia de que são profissionais especializados.
(E) responsabilizar as famílias quando os alunos ficam indisciplinados ou têm baixo rendimento escolar.




6) Segundo a nova LDB (1996), os profissionais da educação devem ser os responsáveis pelos processos de aprendizagem, mas não estão sozinhos nessa tarefa, pois essa Lei prevê a ação integrada das escolas e das famílias. Também o ECA, Lei n 8.069/90, art. 53, parágrafo único, dispõe sobre o direito dos pais e responsáveis de participar da definição das propostas educacionais. No entanto, as relações entre família e escola são frequentemente marcadas pela assimetria de poder entre profissionais de educação e familiares, fazendo com que a participação da família na vida e no cotidiano escolar seja pouca ou inexistente. Para melhorar essa relação, Castro e Regattieri (2009) sugerem que a escola 

A) convoque, em caráter compulsório, os familiares para a participação em conselhos escolares e associações de pais e mestres. 
B) aumente a nota dos alunos cujos pais ou responsáveis compareçam regularmente às reuniões e eventos escolares.
 C) exija, das famílias ausentes, presença mais constante e, no caso de impossibilidade, que elas recebam visitas de pais atuantes na APM. 
D) comunique aos pais com participação insuficiente nas atividades que envolvem a família que seus nomes serão enviados ao Conselho Tutelar.
E) identifique as condições de cada família, para então negociar, de acordo com seus limites e possibilidades, a melhor forma de ação conjunta


GABARITO:


01 – E    02 – B     03 – D     04 – D       05 – C    06 E 

Comentários