Mediação pedagógica em sala de aula



1)  VUNESP Fontana (1996) aponta que a função desempenhada pela palavra na atividade mental da criança e do adulto não coincidem. Crianças e adultos utilizam as palavras com graus de generalidade distintos.

 De acordo com a autora, se, por um lado, a coincidência de conteúdo possibilita a comunicação adulto/criança, por outro, é a diferença de elaboração mental entre ambos que possibilita.

A) a ampliação do vocabulário infantil. 

B) os desentendimentos entre ambos. 

C) a reprodução da linguagem pela criança. 

D) o desenvolvimento dos conceitos na criança.

e) Compreensão da criança pela adulto. 






Questão D 


2) VUNESP  O desenvolvimento da conceitualização na criança transcorre no processo de incorporação da experiência geral da humanidade, mediada pela prática social, pela palavra, na interação com o outro. Nesse sentido, afirma Luria (in: Fontana, 1996) que a palavra, com suas funções designativa, analítica e generalizadora, é 

(A) mediadora de todo o processo de elaboração da criança, objetivando-o, integrando e direcionando as operações mentais envolvidas. 

(B) estática, garantindo a mesma função na dinâmica social e no processo de desenvolvimento da criança.

 (C) em qualquer idade, um conceito expresso com os seus significados permanentes no desenvolvimento infantil. 

(D) representada por um conjunto de operações intelectuais possíveis que acompanha a criança em todo seu processo de desenvolvimento.




Questão A 



3) VUNESP    É notória na reflexão de Vygotsky a articulação entre pensamento e linguagem. 

A partir da leitura de Fontana (1996), a afirmação a seguir que expressa corretamente essa conexão é:

 (A) mesmo antes de dominar a fala, uma criança pensa em conceitos para os quais encontrará as palavras mais tarde em seu desenvolvimento. 

(B) a cognição tem natureza mediada, ou seja, as funções psicológicas são desenvolvidas pelo contato com o outro por meio da linguagem. 

(C) a internalização consiste na imposição de saberes alheios à criança, o que a impede de pensar por si própria nas palavras que deve usar em cada contexto. 

(D) uma vez aprendida a abstração de conceitos, a criança passa a pensar de modo racional e torna dispensável a sensorialidade na relação com o real. 



Questão: B 


4) VUNESP     Com base na discussão proposta por Fontana (1996), a partir das contribuições de teóricos como Vygotsky e Bakhtin, assinale a alternativa correta sobre o papel da escolarização no desenvolvimento humano. 

(A) Nas situações escolares há uma orientação declarada e explícita no sentido da aquisição do conhecimento sistematizado pela criança e envolve a modificação dos processos de elaboração conceitual. 

(B) Nas interações cotidianas com os adultos, a mediação acontece de forma planejada no processo de utilização da linguagem no contexto de situações imediatas e no ato intelectual envolvido


(C) A diferenciação da elaboração cognitiva de adultos e crianças é evidente no contexto vivencial diário e na escola de forma que a atividade de formação de generalizações da criança fica sufocada. 


(D) No contexto doméstico, as atividades envolvendo a apreensão de conceitos sistematizados são organizadas de forma discursiva e lógico-verbal



Questão A 


5) VUNESP   Com relação ao papel da escolarização no processo de conceitualização, Fontana (1996) apresenta uma distinção entre as interações cotidianas e as interações escolarizadas. Para a autora, nas interações cotidianas,

A) a criança é colocada diante da tarefa particular de “entender” as bases dos sistemas de concepções científicas.

B) a relação da criança com o conceito é sempre mediada por algum outro conceito dentro do assunto discutido.

C) a mediação do adulto acontece espontaneamente no processo de utilização da linguagem, no contexto das situações imediatas.

D) o adulto aborda conceitos sistematizados, que são parte de sistemas explicativos organizados dentro de uma lógica socialmente construída.

E)  o adulto, deliberadamente, compartilha com a criança sistemas conceituais instituídos, induzindo-a a utilizar- -se das operações intelectuais.



Questão C 



OBSERVAÇÃO: 
Trecho do texto sobre conceitos de (Fontana 1996)

. Há uma grande diferença na atividade mental cotidiana e a elaboração sistematizada na escola, pois interna e externamente são situações diferentes. No cotidiano, a mediação do adulto é espontânea e imediata, sempre centrada na situação e ato intelectual envolvido. A intervenção do adulto, no cotidiano, não é deliberada e nem planejada, enquanto em uma relação de ensino a finalidade é imediata e explícita pela hierarquização dos papéis sociais de professor e aluno. Assim sendo, a mediação é deliberada, instituída e busca a indução para utilização das operações intelectuais.



6) VUNESP   “A professora do quarto ano do ensino fundamental planejou estudos em conjunto com seus alunos, sobre a cultura indígena, usando como estratégia o diálogo, para identificar o que pensavam a respeito do assunto, bem como seus prévios conhecimentos. Organizou excursão a uma aldeia indígena, onde puderam vivenciar seus costumes, rituais e histórias. Após a visita, a professora retomou o assunto em várias aulas, instigando a turma a olhar aquela realidade sob perspectivas cultural e histórica, solicitando que cada aluno, por meio de desenhos, reproduzisse o que mais gostou. Além disso, questionou o aluno autor sobre o significado das produções realizadas, instigando-o a refletir e a se manifestar a respeito da vida indígena, aprofundando aspectos históricos da comunidade indígena no Brasil.” 

O texto relata um recorte de prática pedagógica que, analisada à luz da pesquisa e dos estudos realizados por Fontana (1996), permite afirmar que essa atividade desenvolvida pela docente

 (A) compromete o tempo voltado às atividades letivas, prejudicando o desenvolvimento dos conteúdos programáticos, sem garantir bons resultados de aprendizagem pelos alunos. 

(B) minimiza a dificuldade que os alunos, de modo geral, encontram para compreender a história, o comportamento e os costumes dos indígenas brasileiros.

 (C) favorece a apropriação dos conteúdos e das formas de organização e de elaboração dos conhecimentos de uma comunidade, o que contribui para a formação de conceitos pelo aluno. 

(D) dificulta a aprendizagem da criança nessa faixa etária, que ainda não está pronta para as operações lógicas complexas de comparação, de classificação e de dedução requeridas pela tarefa. 




Questão C


7) VUNESP   Fontana (1996), ao discutir a gênese social da conceitualização, aborda as relações entre escolarização, atividade mental e desenvolvimento da criança, assumindo que a atividade cognitiva do sujeito é


A) determinada pelos fatores genéticos.

B) condicionada pelas relações familiares.

C) determinada pelos estímulos do meio ambiente.

D) mediada socialmente pelos pares e pelos signos.

E) determinada pelas relações familiares.


Questão D


8)   VUNESP    De acordo com Fontana (1996), Vygotsky considera que o aprendizado escolar

A) desempenha papel decisivo no desenvolvimento da elaboração conceitual e na tomada de consciência, pela criança, de seus próprios processos mentais.

B) ocorre espontaneamente, em um processo em que a atenção do adulto e da criança está centrada no próprio contexto situacional.

C) realiza-se de forma natural e imediata, isto é, a criança, em contato direto com o objeto de conhecimento, apropria-se dos conceitos.

D) possibilita à criança construir e reconstruir conceitos, já que os conceitos são categorias intrínsecas da mente e reflexo da experiência individual.

E) capacita a criança a fazer generalizações e abstrações por meio dos sistemas linguísticos, os quais se desenvolvem naturalmente.



Questão A 


9)  VUNESP    Fontana (1996) se vale dos estudos de Vygotsky para tratar da gênese social da conceitualização. Vygotsky afirma que todas as funções mentais superiores são relações sociais interiorizadas. Entre as formas superiores de ação consciente, destaca-se a elaboração conceitual, como um modo culturalmente desenvolvido de os indivíduos refletirem cognitivamente suas experiências. Com fundamento em Vygotsky, Fontana (1996) assevera que tal elaboração resulta


A) do desenvolvimento das funções psicológicas elementares, ou seja, aquelas que vêm do capital genético da espécie.

B) do processo de desequilibração, assimilação, acomodação e nova equilibração diante de conceitos novos e desconhecidos pelo indivíduo.

C) de um processo de análise (abstração) e síntese (generalização) dos dados sensoriais, que é mediado pela palavra e nela materializado.

D) da reprodução que as gerações mais novas fazem dos conceitos que são socializados pelas gerações precedentes.

E) do desenvolvimento da inteligência no estágio das operações formais, quando o indivíduo adquire a capacidade de abstração.


    Questão C



 10 VUNESP    Refletir sobre como se dá o desenvolvimento dos conceitos na criança é uma tarefa fundamental para o professor. Sobre essa temática, lançando mão das teorias de Vygotsky e Bakhtin, Fontana (1996) trata da gênese social da conceitualização na criança. 

Segundo ela, na elaboração conceitual explicita-se o que Vygotsky e Bakhtin denominam, respectivamente, de 

(A) linguagem interpessoal e linguagem intrapessoal. 

(B) internalização e diálogo das linguagens.

(C) filogênese e dialogicidade. 

(D) ontogênese e enunciação. 



Questão B 




11) Aline, estudando para prestar concurso de Professor I no município onde mora, leu as obras de Fontana (1996) e de La Taille et al (1992). Seu interesse era aprofundar-se no tema “A mediação do professor, dialogal e problematizadora, no processo de aprendizagem e desenvolvimento do aluno”. Em Fontana, Aline verificou que essa autora, apoiando-se no pensamento de Vygotsky e Bakthin, mostra a importância social da escola e do trabalho pedagógico que, por meio de situações de aprendizagem em sala de aula, possibilitam processos interativos mediadores da aprendizagem dos alunos. Já na obra de La Taille, ela constatou que, para Vygotsky, o desenvolvimento humano como processo sócio-histórico ocorre por meio da mediação, pois enquanto sujeito de conhecimento, o homem não tem acesso direto aos objetos, mas um acesso mediado, isto é, feito por intermédio



A) de atividades mentais que são controladas externamente pelo ensinante.

B) de atividades virtuais que expandem as possibilidades de aprendizagem.

C) da linguagem, que é algo complementar na formação do conhecimento.

D) dos recortes do real operados pelos sistemas simbólicos de que dispõe.

E) de perguntas postas ao sujeito, conduzindo-o ao saber que já está nele.



Questão D 

Comentários