Anvisa aprova terapia inovadora da GSK para câncer de ovário

 




Anvisa aprova terapia inovadora da GSK para câncer de ovário

Zejula reduz em até 73% o risco de progressão da doença ou óbito¹, ajudando as pacientes a viverem mais

Rio de Janeiro, fevereiro de 2021 - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou uma nova terapia oral para o tratamento de manutenção do câncer de ovário no Brasil. O Zejula (niraparibe), da farmacêutica GSK é indicado para pacientes com câncer de ovário recém-diagnosticadas ou nas quais a doença retornou, que fizeram quimioterapia à base de platina e tiveram resposta completa ou parcial a esta terapia.

Para o Dr. Fernando Maluf, Diretor do Serviço de Oncologia Clínica do Hospital BP Mirante de São Paulo, a chegada dessa terapia oral é oportuna diante do cenário da doença no Brasil. "O câncer de ovário é a segunda neoplasia ginecológica mais comum entre mulheres no Brasil e, para a maioria das pacientes, são limitados os tratamentos com a eficácia em reduzir o risco de morte ou progressão (1,2). Por ser uma doença com sintomas silenciosos, o diagnóstico tardio é uma realidade nos consultóriosA chegada de Zejula amplia muito o grupo de pacientes que poderão se beneficiar do uso dos inibidores da PARP e consequente controle da doença".

A eficácia e segurança de Zejula possuem respaldo de estudos clínicos publicados no The New England Journal of Medicine: o PRIMA e o NOVA, em 2019 e 2016, respectivamente. Segundo resultados do PRIMA, estudo realizado em pacientes recém-diagnosticadas com câncer de ovário, o medicamento apontou redução de 38% do risco de progressão da doença ou morte na população geral; já no NOVA, estudo realizado com pacientes que apresentaram doença recorrente, houve a redução de risco de progressão ou morte de 73% nas pacientes com mutação no gene BRCA, e de 55% nas pacientes sem essa mutação (1,2).

Para a Diretora Médica de Oncologia da GSK, Dra. Vanessa Fabricio, "os resultados apresentados nos dois estudos demonstram o impacto dessa terapia para pacientes em estágio avançado da doença, oferecendo nova opção de tratamento oral, de fácil administração, sem a necessidade de locomoção até o hospital, atendendo a uma população com grande necessidade terapêutica".

O lançamento comercial deve ocorrer nos próximos meses após a GSK receber a aprovação de preço pela Câmera de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). Zejula é o primeiro medicamento oncológico da GSK aprovado no mercado nacional. A farmacêutica está expandindo sua atuação em Oncologia no país com o objetivo de trazer aos pacientes opções terapêuticas transformacionais baseadas na inovação e na tecnologia. Além do câncer de ovário, são esperados para os próximos anos novos produtos para o tratamento do câncer de endométrio, mieloma múltiplo, de pulmão e de cabeça e pescoço, entre outros.

Sobre o câncer de ovário no Brasil

Apesar de o câncer de ovário não estar entre os mais incidentes no Brasil, este é o tipo de tumor ginecológico com a maior mortalidade: cerca de 45%, em razão do diagnóstico tardio na maioria dos casos(3). Como seus sintomas são silenciosos, 75% das pacientes descobrem a doença em estágio avançado, quando o câncer já acometeu outros órgãos(4). Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), são estimados 6.650 novos casos do câncer de ovário no país, sendo registrados aproximadamente 4 mil mortes em 2020(3).

Sobre a GSK

A GSK é uma empresa global de saúde com foco em ciência e com um propósito especial de ajudar as pessoas a fazer mais, sentir-se melhor e viver mais. Temos três negócios globais que pesquisam, desenvolvem e fabricam medicamentos inovadores, vacinas e produtos de saúde. Somos uma das empresas de saúde mais inovadoras, confiáveis e com o melhor desempenho do mundo. No Brasil, somos líderes em Vacinas, HIV e na área Respiratória. Para mais informações, visite www.gsk.com.br.

NP-BR-NRP-PRSR-210001

Referências:

1. GONZÁLEZ-MARTÍN, A. et al; for the PRIMA/ENGOT-OV26/GOG-3012 Investigators. Niraparib in patients with newly diagnosed advanced ovarian cancer. N Engl J Med. 2019;381(25):2391-2402.

2. MIRZA, MR. et al; for the ENGOT-OV16/NOVA Investigators. Niraparib maintenance therapy in platinum-sensitive, recurrent ovarian cancer. N Engl J Med. 2016;375(22):2154-2164.

3. Instituto Nacional de Cancer. Câncer de ovário. Disponível em: https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-deovario. Acesso em 05 de fevereiro de 2021.

4. Instituto Vencer o Câncer. Notícias Ovário. Disponível em: https://vencerocancer.org.br/noticias-ovario/75-dosdiagnosticos-de-cancer-de-ovario-chegam-tardiamente/?catsel=tipos-de-cancer. Acesso em 05 de fevereiro de 2021.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Selic deverá permanecer em 13,75% ao ano

Falecimento de Glória Maria

ABRE - ESTÁGIO - EMPREGO - APRENDIZ

Texaco

Novos casos de câncer por ano até 2025

Anticoagulante

O governador Tarcísio de Freitas sancionou o projeto de Lei que prevê o fornecimento de medicamentos à base de canabidiol

Verticalização da Cidade de São Paulo

Pix Internacional