Pós-pandemia: Superbom traz um panorama sobre as principais mudanças na dieta dos brasileiros nos próximos anos

 


Pós-pandemia: Superbom traz um panorama sobre as principais mudanças na dieta dos brasileiros nos próximos anos


Para a marca, alimentação saudável, compras on-line e sustentabilidade estão entre as tendências que vieram para ficar

(Imagem: Adobe Stock)

Dados divulgados pelo NutriNet Brasil, indicam que o consumo de hortaliças, frutas e feijão subiu de 40,2% para 44,6% em 2020. Para Cyntia Maurren, nutricionista da Superbom , empresa pioneira na produção de alimentos saudáveis, esse crescimento pode estar associado às novas condições geradas pela pandemia, alterando drasticamente a rotina das pessoas. "Esse contexto de quarentena pode ter estimulado o hábito de cozinhar, consumindo mais refeições dentro de casa. Além disso, a preocupação em melhorar a alimentação, como forma de obter um aumento das defesas imunológicas do organismo, é uma outra possível motivação", comenta.

30% diminuiu o consumo de açúcares e doces, 25%, de carnes vermelhas, 36%, de refrigerantes e 35% de sucos artificiais. Em contrapartida, 57% deles aumentou a ingestão de verduras, legumes e frutas, e 48% de sucos naturais.Um outro estudo realizado pelo Hypeness, em parceria com a MindMiners - plataforma de pesquisa digital - no ano anterior, aponta que, entre os entrevistados, 30% diminuiu o consumo de açúcares e doces, 25%, de carnes vermelhas, 36%, de refrigerantes e 35% de sucos artificiais. Em contrapartida, 57% deles aumentou a ingestão de verduras, legumes e frutas, e 48% de sucos naturais.

O consumo de alimentos naturais é fundamental para o bom funcionamento do corpo. Por possuírem alto valor nutricional, serem ricos em vitaminas e minerais e terem funções antioxidantes e anti-inflamatórias, eles são benéficos à saúde, e consequentemente, melhoram o sistema imunológico. Sendo assim, no cenário de pós-pandemia, eles estarão ainda mais em evidência. Para 75% dos entrevistados pelo Instituto Qualibest, junto à consultoria Galunion, em casos de compra de comida, a preferência é dada àquelas que são ricas em sabor e que, ao mesmo tempo, auxiliem no fortalecimento da imunidade e na saúde em geral.


"A busca por uma dieta balanceada é algo que tem estado presente na sociedade há um certo tempo, porém, agora, nesse atual cenário, ganhou ainda mais destaque", comenta a nutricionista. Cyntia afirma que essa será a grande tendência do setor alimentício para o pós-pandemia: uma alimentação que mantenha o organismo mais forte e protegido.

Com o home office sendo uma realidade e, inclusive, se instaurado permanente em diversas empresas, o hábito de cozinhar em casa é outra tendência que veio para ficar. A procura produtos mais sustentáveis, que respeitem o meio ambiente também vai ser uma grande aposta para os mais diversos segmentos.

Segundo David Oliveira, Diretor de Marketing da Superbom, as marcas que quiserem se consolidar ou se destacar no mercado alimentício precisaram estar muito atentas a esse fator. "A pandemia trouxe consigo um consumidor mais exigente e preocupado com o meio ambiente. Com isso, a melhor aposta é o investimento em embalagens e produtos eco-friendly, ou seja, que causem menos impacto à natureza, além de priorizar processos mais naturais de fabricação", afirma.

Além disso, para o diretor, a valorização da praticidade e do conforto será outra característica dos próximos anos. "Pedir e comprar comida por aplicativos e sites, sem ter a necessidade sair de casa, será uma prática cada vez mais comum e recorrente".

Recentemente, a Superbom anunciou a expansão da sua oferta de produtos com a inauguração de lojas exclusivas dentro de duas plataformas de marketplaces. Em parceria com Mercado Livre e Magalu, 30 itens de seu catálogo passaram a ser comercializados, incluindo as linhas de itens secos, resfriados e congelados. Enquanto a linha seca é distribuída com abrangência nacional, os congelados e resfriados da marca são comercializados por toda a região metropolitana de São Paulo com entregas em até 48 horas.

Sobre a Superbom

A Superbom é uma empresa alimentícia, que trabalha com uma linha de produtos saudáveis, que abrange sucos, geleias, salsichas, proteínas, pratos prontos, entre outros. Fundada em 1925, a Superbom comercializa os seus produtos em mais de 25 mil pontos de vendas em todo país. Em função disso, é considerada uma das principais empresas do ramo de alimentos para veganos e vegetarianos do Brasil. A empresa iniciou as suas atividades com a produção de suco de uva, no interior de uma antiga casa pertencente ao Colégio Adventista Brasileiro (CAB), que posteriormente ficou conhecido como Instituto Adventista de Ensino e, hoje, abriga o Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp-SP). Durante toda a sua história, a empresa atua diretamente ligada à Igreja Adventista do Sétimo Dia. Atualmente, a companhia conta com 250 colaboradores, entre a sede e as duas plantas da indústria (localizadas em São Paulo, capital, e em Lebon Régis, Santa Catarina).

Comentários