Projetos de alunos do SESI-SP são finalistas em feira de ciências e engenharia

 





Projetos de alunos do SESI-SP são finalistas em feira de ciências e engenharia

Estudantes de quatro escolas SESI participam da Febrace e concorrem à prêmios por suas ideias inovadoras e criativas

Autonomia de pessoas com deficiência e soluções sustentáveis para a construção civil estão entre os temas que pautam os projetos científicos de alunos da rede escolar SESI, que concorrem a premiações na 19ª edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia, Febrace, promovida pela Escola Politécnica da USP. Os estudantes de Campinas, Ribeirão Preto, Santa Bárbara D'Oeste e Sertãozinho superaram 1.250 inscritos da primeira etapa da competição, e agora participam com cinco projetos entre os 345 finalistas.

Soluções priorizam independência e melhora da autoestima de pessoas com deficiência e mobilidade reduzida

Da escola SESI de Sertãozinho, os alunos chegaram à final com um projeto para amenizar os problemas de assadura e dermatite em pessoa acamadas, situações causadas pelo contato prolongado da urina com a pele. A solução: uma fralda que ‘avisa’ que está na hora da troca. A partir de um dispositivo movido a bateria, seu sensor, uma vez inserido dentro da fralda, aciona um apito de alerta. A invenção, cujo custo está em torno de R$ 150, teve sua eficácia comprovada em testes com pacientes da APAE de Batatais.


A "Fralda Seca" demonstrou eficácia em teste feito com idosos atendidos pela APAE da cidade de Batatais. O projeto foi desenvolvido pelo aluno João Pedro Borges Martins, do 1° ano do Ensino Médio, e pelas alunas Ana Luiza Oliveira Melo e Isabelle Aparecida Andrade, do 2° ano do Ensino Médio, de Sertãozinho.

De Santa Bárbara d’Oeste, Maytê Braz de Andrade Mello, aluna do 8º ano, quer garantir mais liberdade de expressão e confiança nos momentos de produção artística de crianças cegas. Para isso, desenvolveu uma paleta de tintas com cheiro, acompanhada de manual em braile e audiodescrição. A ideia já foi premiada com o 3º lugar na categoria Engenharia, na Mostra da 3M, de 2020.

O projeto "Pacor: o mundo colorido não visto" já foi premiado com o 3º lugar na categoria Engenharia, na Mostra da 3M, de 2020.

Em Campinas, a "Armadura Esquelética para Paraplégicos" foi desenvolvida para dar maior mobilidade e acessibilidade para pessoas com lesão medular. Ao aplicar conceitos de engenharia, os alunos João Vitor Montanari da Silva e Thiago de Lucca Almeida Lima, do 3º ano do Ensino Médio, criaram um dispositivo elétrico capaz de proporcionar que um paraplégico se sustente em pé.

Protótipo da "Armadura Esquelética para Paraplégicos", projeto dos alunos da escola SESI Campinas Amoreiras.


Cana-de-açúcar virou telha ecológica

Da cidade de Ribeirão Preto, maior produtora de cana-de-açúcar do mundo, o aluno Leonardo Santos Rendeiro Palheta (1º ano do Ensino Médio) se utilizou do bagaço e da palha da planta, combinada com resina à base do óleo de mamona, para a criação de telhas. Além de uma solução ecológica para a construção civil, o aproveitamento desses insumos evita a queima da palha, e consequentemente minimiza altos índices de poluição.

Bagaço e palha da cana-de-açúcar com óleo de mamona resultaram em solução ecológica para telhar casas.


Guia orienta ciclistas para os cuidados e segurança em áreas com animais silvestres

Observando o aumento no número de pessoas se utilizando de bicicletas como veículo principal em área rurais, por conta da pandemia, três alunos do 9º ano do SESI de Santa Bárbara d’Oeste se uniram para a criação de um guia para estimular a consciência e a responsabilidade desses ciclistas, alertando para a existência de vida animal nesses locais. Os alunos estabeleceram parceria com o poder público municipal e, como resultado, as informações levantadas por eles vão incorporar uma cartilha de boas práticas que será confeccionada e distribuída pela prefeitura local.

Contribuição dos alunos Dayane Paspardelli, João Pedro Rodrigues Vintecinco e Mariana Monaro, do SESI de Santa Bárbara, para cartilha de boas práticas aos ciclistas, que será confeccionada e distribuída pela prefeitura local.

Resultado sai em 27 de março

Até o dia 26 de março, todos os participantes passam por bancas com professores universitários e especialistas convidados para avaliação dos projetos. No dia 27 de março, durante cerimônia virtual de premiação no canal do Youtube da Febrace serão anunciados 4 projetos vencedores por cada uma das 7 categorias, além dos prêmios das instituições parceiras e credenciais para feiras nacionais e internacionais.

Voto popular

O público interessado pode visitar a feira virtualmente, além de participar da votação popular. Para isso, basta entrar na página do projeto que queira votar e clicar no botão "Curtir", logo abaixo do vídeo de apresentação. Serão aceitos votos dados até o dia 29 de março, às 14 horas. O resultado será divulgado posteriormente na página da Febrace 2021 - https://febrace.org.br/virtual/.

Apoie os alunos das escolas SESI-SP. Para votar nos projetos, acesse:

 Projeto "Armadura Esquelética", da escola SESI de Campinas, saiba mais e vote pelo link: https://febrace.org.br/virtual/2021/SOC/332
• Projeto "Eco Telha", da escola SESI de Ribeirão Preto, saiba mais e vote pelo link: https://febrace.org.br/virtual/2021/AGR/11/
• Projeto "Pacor: o mundo colorido não visto", da escola SESI de Santa Bárbara D'Oeste, saiba mais e vote pelo link: https://febrace.org.br/virtual/2021/ENG/152/
• Projeto "Rastros Silvestres", da escola SESI de Santa Bárbara D'Oeste, saiba mais e vote pelo link: https://febrace.org.br/virtual/2021/BIO/63
• Projeto "Fralda Seca", da escola SESI de Sertãozinho, saiba mais e vote pelo link https://febrace.org.br/virtual/2021/ENG/162/



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Selic deverá permanecer em 13,75% ao ano

Falecimento de Glória Maria

Texaco

ABRE - ESTÁGIO - EMPREGO - APRENDIZ

Novos casos de câncer por ano até 2025

Anticoagulante

O governador Tarcísio de Freitas sancionou o projeto de Lei que prevê o fornecimento de medicamentos à base de canabidiol

Pix Internacional

Verticalização da Cidade de São Paulo