Redução de 35% o risco de morte de pacientes com câncer de próstata avançado

 Tratamento combinado de apalutamida com terapia padrão reduz em 35% o risco de morte de pacientes com câncer de próstata avançado

Análise final do estudo TITAN apresentada no ASCO GU demonstrou que aproximadamente dois em cada três pacientes ainda estavam vivos após 44 meses de acompanhamento

1,São Paulo, março de 2021 - Análise final do estudo TITAN, apresentada na última edição do Simpósio de Câncer Geniturinário da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO GU), em fevereiro de 2021, demonstrou benefício clínico significativo do uso de ERLEADA® (apalutamida), da Janssen, empresa farmacêutica da Johnson & Johnson, associado à terapia de privação androgênica (ADT) no tratamento de pacientes com câncer de próstata metastático sensível à castração, independente da extensão da doença .

Após acompanhamento de aproximadamente quatro anos, o estudo confirmou que o uso de apalutamida associado à ADT, considerada padrão de tratamento até o momento, reduziu em 35% [1} o risco de morte de pacientes com câncer de próstata metastático sensível à castração quando comparado ao tratamento somente com ADT; cerca de dois em cada três pacientes ainda estavam vivos após 44 meses de acompanhamento no estudo clínico. Os resultados foram semelhantes à análise primária de TITAN, divulgada quando a mediana de tempo de acompanhamento era de 22 meses. Vale ressaltar que durante o estudo, aproximadamente 40% dos pacientes do grupo controlado com placebo migrou para o grupo que estava fazendo uso de apalutamida + ADT (crossover). Para esses pacientes, a redução foi de 48% no risco de morte.

"A análise final do TITAN confirma que o tratamento com apalutamida pode prolongar a sobrevida global do paciente, além de demonstrar benefícios clínicos claros de curto, médio e longo prazos e estabelecer um perfil de segurança para indivíduos com câncer de próstata metastático que estão iniciando a terapia de privação androgênica", explica o Dr. Kim Chi, médico oncologista do BC Cancer Vancouver e principal pesquisador do estudo TITAN. "Com base nesses dados, a ADT isolada não deve mais ser considerada suficiente para pacientes com doença avançada sensível à castração".

Além do benefício de sobrevida para pacientes com doença avançada, o ensaio clínico TITAN demonstrou também que a apalutamida melhorou significativamente a sobrevida livre de progressão - quando após o tratamento o câncer permanece estável e não progride - e atrasou o tempo de resistência à castração em 66% para fases mais agressivas, ajudando a prevenir o avanço da doença e melhorar os resultados do tratamento.

Durante o estudo, o evento adverso mais comum foi rash cutâneo, porém a análise final não evidenciou um efeito cumulativo deste evento adverso com o tempo de uso da medicação. Além disso, na análise para avaliação da qualidade de vida, os pacientes não relataram impactos negativos desse e de outros eventos adversos na qualidade de vida, quando comparado ao braço placebo.

Estudos com mais de mil homens mostram que a apalutamida é um medicamento eficaz, que prolonga significativamente a sobrevida global, mantém a qualidade de vida dos pacientes e tem perfil de segurança consistente. Esses benefícios se refletem nas duas indicações aprovadas, sendo elas: câncer de próstata metastático sensível à castração (TITAN) e câncer de próstata não metastático resistente à castração (SPARTAN).

Desde 2019, a apalutamida já está disponível no país para tratamento de câncer de próstata resistente à castração, ou seja, quando a doença continua avançando apesar do tratamento com terapia de privação hormonal. Nesse cenário, o medicamento impede que o hormônio responsável por estimular o crescimento do câncer seja recebido pelas células, retardando a disseminação da doença. Em 2020, a terapia recebeu aprovação para o tratamento de pacientes com câncer de próstata metastático em tumores sensíveis à castração hormonal (CPSCm), ou seja, quando o câncer de próstata se espalhou além da glândula para outras partes do corpo, mas ainda responde à terapia hormonal [2] .

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no País, com uma estimativa de mais de 65 mil novos casos anuais [3]. A doença acomete, geralmente, indivíduos acima de 60 anos e ocorre quando células malignas se formam e se multiplicam descontroladamente nos tecidos da próstata (glândula do sistema genital masculino localizada abaixo da bexiga) [4] .

Sobre a apalutamida
A apalutamida é um medicamento que atua bloqueando o mecanismo pelo qual o câncer de próstata cresce, impedindo que o hormônio masculino estimule o desenvolvimento as células tumorais. O tratamento inibe o crescimento de células cancerosas de três formas: prevenindo a ligação de andrógenos ao seu receptor nas células; bloqueando a entrada dos receptores de andrógenos nas células cancerosas; e impedindo os receptores de se ligar ao DNA da célula maligna.



Sobre a Janssen
Na Janssen, estamos criando um futuro no qual as doenças são parte do passado. Somos a empresa farmacêutica da Johnson & Johnson, trabalhando incansavelmente para fazer com que esse futuro seja uma realidade para pacientes de todos os lugares. Combatendo as doenças com ciência, melhorando o acesso com engenhosidade e curando a falta de esperança com paixão. Focamos nas áreas da medicina em que podemos fazer a maior diferença: Oncologia e Hematologia; Imunologia; Neurociência; Doenças Infecciosas e Vacinas; Hipertensão Pulmonar; e Cardiovascular e Metabolismo. Para saber mais, acesse https://www.janssen.com/brasil/. Siga a Janssen Brasil no Instagram, Facebook LinkedIn, e também a página de Carreiras J&J Brasil no Instagram, Facebook LinkedIn.

A Janssen-Cilag Farmacêutica Ltda. é uma empresa da Janssen Pharmaceutical Companies of Johnson & Johnson.

MAIS INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA
Priscilla Oliveira - priscilla.oliveira@littlegeorge.com.br / (11) 98624-0410
Daniela Resende - daniela.resende@littlegeorge.com.br / (11) 97627-1978

REFERÊNCIAS
1. Chi, K. Resultados da análise final de TITAN: Um estudo de fase 3 de apalutamida (APA) vs Placebo (PBO) em pacientes (pts) com câncer de próstata sensível à castração metastático (mCSPC) recebendo terapia de privação de andrógenos (ADT). ASCO GU 2021 Apresentação Oral.
2. American Society of Clinical Oncology. Respostas ASCO: Câncer de próstata (2018). https://www.cancer.net/sites/cancer.net/files/asco_answers_guide_prostate.pdf . Acessado em fevereiro de 2021.
3. Instituto Nacional de Câncer (INCA). Câncer de Próstata. Disponível em https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-prostata. Acesso em 19/02/2021.
4. Web MD. What is metastatic prostate cancer. Available at: https://www.webmd.com/prostate-cancer/advanced-prostate-cancer-16/metastatic-prostate-cancer .

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Desenvolve SP lança linhas de crédito de R$ 50 milhões exclusivas para mulheres empreendedoras

Grupo HDI adquire operação da Liberty Seguros na América Latina

iFood Arraial Estrelado, no Jockey Club de São Paulo, receberá shows de Wesley Safadão, Luan Santana, Zezé di Camargo, Elba Ramalho e muito mais

Banda Sinfônica do Guri de Bauru abre a temporada 2023 com dois concertos em junho, nas cidades de Bauru e Ourinhos

Governo do Estado de São Paulo aprova a eliminação da GIA nas obrigações tributárias

Governo do Estado de São Paulo abre Temporada 2023 da Osesp

Defensor público alerta sobre o uso de expressões capacitistas em nosso vocabulário

Dori Alimentos apresenta ideias criativas de decoração para festas com seus produtos na Celebra Show

Amazon apresenta novo posicionamento de Amazon Prime e amplia sua conexão com o Brasil