Congelamento de óvulos

 Congelamento de óvulos: conheça a técnica da reprodução humana que ajuda mulheres a planejarem a vida reprodutiva


Médica da Huntington Medicina Reprodutiva explica como a criopreservação pode ser o procedimento para tornar o sonho da maternidade possível no futuro. Possibilidade de planejar uma gestação tardia quebra barreiras antes impostas pela sociedade e traz para mulheres empoderamento.

O tempo é cruel com as mulheres quando falamos em fertilidade, pois a chance de gravidez está diretamente relacionada com a idade biológica feminina. Estima-se que, ao nascer, a mulher tenha por volta de 7 milhões de óvulos, valor que se reduz aos 500 mil quando ocorre a primeira menstruação, e que chega a menos de 25 mil aos 42 anos. Além do número de óvulos, com o envelhecimento acontece também a perda da sua qualidade, já que os óvulos, além do dano ocasionado pelo envelhecimento natural, podem acumular efeitos do ambiente, como poluição, radiação, medicações e outros.

O congelamento de óvulos vem ganhando cada vez mais espaço nas clínicas de reprodução humana, na mídia e na sociedade. Mulheres que têm 30 anos ou mais e não estão em um relacionamento - ou estão e não sabem se é com essa pessoa que querem construir uma família - ou querem prorrogar o prazo de se tornarem mães, devem saber que existe essa alternativa, e que pode ser a técnica disponível para tornar o sonho da maternidade possível no futuro.

Segundo a Dra. Cláudia Gomes Padilla, médica ginecologista e especialista em reprodução humana do Grupo Huntington, o congelamento é possível em qualquer idade, se houver óvulos em quantidade e qualidade. Porém, as mulheres começam a pensar sobre adiar a maternidade quando já estão chegando aos 35 anos. "O ideal seria congelar os óvulos perto dos 30 anos, mas nessa idade poucas mulheres ainda idealizam uma gestação futura e, por isso, muitas vezes não têm conhecimento da técnica ou estão pensando nessa possibilidade", completa.

Para o congelamento dos óvulos é necessário o procedimento de estimulação da ovulação, a mulher recebe os hormônios FSH e LH, que já circulam normalmente no organismo. Efeitos colaterais podem ou não existir e quando ocorrem costumam ser irritação, ansiedade e inchaço similares ao que a mulher pode sentir na TPM. Se a mulher tiver um estoque ovariano baixo, é possível que ela tenha que se submeter ao procedimento mais de uma vez, pois os médicos sugerem congelar entre 15 a 20 óvulos para ter uma boa margem para o uso nos procedimentos de reprodução assistida no futuro.

"O congelamento de óvulos trouxe para as mulheres o empoderamento reprodutivo, a possibilidade de planejar a vida reprodutiva. Esse protagonismo é muito importante, pois independentemente de estar ou não em um relacionamento, ela terá mais chances de realizar o sonho da maternidade no futuro. Essa nova emancipação ajuda na quebra de barreiras impostas pela sociedade e fortalece também a união entre mulheres", conclui a especialista.

Grupo Huntington

O Grupo Huntington conta com as clínicas Huntington Medicina Reprodutiva e Pró-Criar, e faz parte do grupo internacional Eugin - um dos maiores do mundo. O Grupo Huntington, sob a direção do Dr. Eduardo Motta, é especializado em reprodução assistida e por meio de medicina ética, transparente e de qualidade conta com médicos especialistas em reprodução, prevenção e tratamento da fertilidade vinculados a instituições de ensino e pesquisa no Brasil, Estados Unidos e Europa. Com localizações estratégicas, as unidades de atendimento do Grupo estão na cidade de São Paulo, Campinas, Belo Horizonte, Pouso Alegre e Brasília, oferecendo ao paciente instalações e infraestrutura adequadas para a prestação dos procedimentos realizados.

Campanha #TrintouCongelou

O Grupo Huntington acaba de lançar a campanha "Trintou, congelou!", que visa trazer mais informações para as mulheres sobre fertilidade e congelamento de óvulos. Dessa maneira, elas podem decidir qual é a melhor hora para tentar ter filhos. O congelamento é possível em qualquer idade, se houver óvulos em quantidade e qualidade. Contudo, a idade ideal para a preservação dos seus óvulos é entre os 30 e 35 anos. Portanto, para evitar que o tempo prejudique a fertilidade, o planejamento da maternidade em parceria com um especialista é muito importante. Para divulgar a campanha, além de peças de comunicação nas redes sociais e um site: http://www.trintoucongelou.com.br, a Huntington oferece palestras para empresas sobre fertilidade. #trintoucongelou.

Huntington Medicina Reprodutiva

Comentários