A desigualdade de acesso a essa infraestrutura para telecomunicações .

 





Levantamento mostra que bairros do extremo Sul e Leste da cidade de São Paulo são os que mais sofrem com má conexão de internet

Distritos como Perus, Cidade Tiradentes e Capela do Socorro estão entre os locais com maior carência de antenas, com níveis abaixo de crítico, o que aumenta a desigualdade e deixa a população cada vez mais longe do 5G

Crédito: Divulgação SBA

Há mais de um ano boa parte da população brasileira precisou se adaptar ao trabalho e estudo remoto, devido a pandemia da COVID-19. Essa mudança trouxe à tona uma realidade vivida há anos pela população das áreas mais periféricas, a desigualdade de acesso a essa infraestrutura para telecomunicações .

Um levantamento inédito realizado pela Consultoria Teleco, a pedido da Associação Brasileira de Infraestrutura para Telecomunicações (Abrintel) mostrou que a cidade de São Paulo precisa aumentar o número de infraestruturas de suporte para oferecer uma conectividade melhor em todas as localidades, dinamizar a economia digital, ajudar a reduzir a desigualdade social e viabilizar uma cidade conectada de ponta a ponta.

Segundo o levantamento, das mais de 103 mil estações de telecomunicações instaladas no Brasil, 7.509 estão na cidade de São Paulo. Com base nesse número, estima-se que uma cidade como São Paulo precisaria duplicar o número de estações atuais para oferecer um serviço de qualidade em todas as localidades, dinamizar a economia digital, ajudar a reduzir a desigualdade social e viabilizar uma cidade conectada.

Quando os dados apurados de distribuição de infraestrutura são relacionados com a distribuição da renda média nas localidades, observa-se que a desigualdade de acesso a essa infraestrutura atinge mais a população que ganha menos. A maior carência de antenas nos distritos que apresentam renda média mais baixa, como Perus, Cidade Tiradentes e Capela do Socorro, é ilustrada pelo maior número de pessoas atendidas por uma mesma infraestrutura; menos infraestrutura por km² e menor quantidade de antenas ocasionado em uma conexão residual, abaixo do indicado.

Já os distritos com renda domiciliar mais alta como Vila Mariana e Pinheiros possuem: menos pessoas atendidas por uma mesma infraestrutura; mais infraestrutura por km² e maior quantidade de antenas.

"A conectividade é ferramenta indispensável na promoção do desenvolvimento econômico e na redução da desigualdade social e esses números nos permitem concluir que há uma necessidade inegável de mudança na legislação para permitir a implantação de infraestrutura, com o objetivo de levar a abrangência dos serviços de conectividade móvel, em sua melhor forma, às periferias da cidade de São Paulo", afirma Luciano Stutz, presidente da Abrintel.

Ranking dos 10 melhores distritos


Ranking dos 10 piores distritos


___________________________________________________________________________________________________________

Para mais informações:


Taynara Duarte
tduarte@llorenteycuenca.com
+55 11 3054 3390

Comentários