Canabigerol mostra efeito terapêutico para doenças inflamatórias

 



Canabigerol mostra efeito terapêutico para doenças inflamatórias

Recentes estudos com a substância, extraída da Cannabis, revelam propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e antibacterianas

Com o avanço da Ciência nos estudos da cannabis medicinal, pesquisadores buscam compreender, cada vez mais, os benefícios das diferentes substâncias extraídas da planta. Para o neurologista Flávio Rezende, mestre e doutor em Neurologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o canabigerol (CBG) representa uma nova fronteira entre os fitocanabinoides existentes. "Diversos estudos pré-clínicos apontam o CBG como potencial substância no tratamento de sintomas não atendidos em diversas condições médicas - como a esclerose múltipla e a doença de Parkinson", revela Dr. Flávio Rezende. Um dos benefícios é a ausência de efeitos psicotrópicos, já que não altera o humor ou estado psicológico do paciente.

O canabigerol foi descrito pela primeira vez em 1964 pelo pesquisador Raphael Mechoulam, o "pai da cannabis moderna", mas seu mecanismo de ação só começou a ser descoberto recentemente. Estudos pré-clínicos utilizando células e modelos animais demonstram seu potencial terapêutico para diversas indicações. "Modelos de pesquisa pré-clínicos in vivo demonstraram que o CBG possui efeito imunomodulador muito potente. Isso abre as portas para realização de pesquisa em humanos, principalmente quando inflamação e a neurodegeneração coexistem", explica Dr. Flávio Rezende, que também é diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Health Meds.

Estudos mostram que o CBG mostrou uma importante ação neuroprotetora na doença de Parkinson, reduzindo os níveis de marcadores e reações inflamatórias. Já na esclerose múltipla, derivados do CBG mostraram melhora na atividade motora, redução na expressão de moléculas pró-inflamatórias e diminuição da atividade de células inflamatórias no cérebro.

O neurologista revela que, em breve, será realizado o primeiro estudo em humanos com canabigerol em todo o mundo. "Estamos protocolando no Brasil um estudo clínico de fase II para analisar o uso de formulações com canabigerol em pacientes com doença de Parkinson. Nosso foco também está direcionado à investigação de doenças que cursam com dor crônica, insônia, depressão e apatia, como a esclerose múltipla", diz Dr. Flávio Rezende.

Mecanismo de ação

O canabigerol é uma molécula precursora dos fitocanabinoides e está presente em apenas 1% da planta cannabis, mas com um efeito extremamente potente nos receptores CB2 que estão relacionados ao funcionamento do sistema imunológico e dos nervos periféricos.

O CBG também é um potente agonista de PPARs, fatores de transição que sinalizam a inflamação dentro do núcleo da célula. Esses fatores funcionam como mensageiros nos processos antioxidantes e anti-inflamatórios no organismo. Quando os PPARs são ativados, estimulam o organismo a diminuir a inflamação e agem como um efeito antioxidante.

Propriedades do canabigerol em estudo:

• Ação analgésica e anti-inflamatória

Existe um número crescente de evidências mostrando que os canabinoides reduzem a sensibilidade à dor pela ação potencial associada à inflamação. A substância tem sido estudada no tratamento de doenças inflamatórias intestinais, como na colite ulcerativa. Estudos iniciais mostram que o canabigerol tem 80 vezes mais potência do que o poder anti-inflamatório do ácido acetilsalicílico.

• Propriedade antibacteriana

O canabigerol possui atividade contra bactérias, microbactérias e até mesmo fungos, sendo mais potente que outros fitocanabinoides como THC, CBD e canabicromeno.

• Potencial atividade antitumoral

Além de reduzir náuseas e vômitos associados à quimioterapia, o uso de canabinoides tem demonstrado potencial em inibir o crescimento de células cancerígenas. Em estudos pré-clínicos, o CBG foi capaz de reduzir a proliferação de células humanas de câncer de mama, próstata, carcinoma colorretal e adenocarcinoma gástrico.

• Potencial atividade redutora da pressão intraocular

Estudos pré-clínicos demonstram que o CBG promove redução da pressão intraocular através do aumento da drenagem de fluidos oculares, sendo promissor para o tratamento do glaucoma.


Entenda a Cannabis Medicinal

A cannabis medicinal possui mais de 480 substâncias químicas, sendo que 150 destes compostos, denominados fitocanabinoides, são os mais estudados, com o THC (Tetrahidrocanabinol), o CBD (Canabidiol) e o CBG (Canabigerol). Eles são capazes de ativar receptores canabinoides (CB1 e CB2) em diversos tecidos dos nervos periféricos, Sistema Nervoso Central (SNC) e sistema imunológico. Esse funcionamento complexo é responsável por uma série de funções fisiológicas, incluindo a memória, o humor, o controle motor, o comportamento alimentar, o sono, a imunidade e a dor.

Com base em estudos variados em fase II, fase III ou observacionais, as principais indicações para o uso de produtos de cannabis são ansiedade, demência com agitação, distúrbios do sono secundários a doença neurológica, doença de Parkinson (sintomas não-motores), dor crônica, epilepsia (Dravet e Lenox Gastaut), esclerose múltipla (sintomas urinários, dores, espasticidade), esquizofrenia, síndrome de estresse pós-traumático e Síndrome de Tourette.


Sobre a Health Meds

A Health Meds é uma indústria farmacêutica brasileira especializada no mercado de cannabis medicinal. Investe em pesquisa e desenvolvimento para oferecer aos pacientes produtos diferenciados, respeitando todos os padrões de qualidade e segurança, com o objetivo de responder às necessidades não atendidas dos pacientes na busca de bem-estar e na melhoria da qualidade de vida.

A Health Meds oferece produtos fitofármacos à base de canabidiol, com alto teor de CBD (canabidiol), CBG (canabigerol) e baixo teor de THC (tetrahidrocanabinol). Os produtos são elaborados com cuidado e dedicação, submetidos a análise feita por laboratório independente nos EUA que possui a Certificação Internacional ISO/IEC 17025:2017 (Norma internacional para laboratórios de ensaio e calibração), e utilizando a dosagem adequada em conformidade com as normas legais brasileiras. As práticas inovadoras e o método de produção, com os mais rigorosos padrões de qualidade, resultam em um produto altamente puro que maximiza os benefícios medicinais da planta de cannabis.

Referências:

1. Colasanti BK, et al. Exp Eye Res. 1984;39:251-9
2. Colasanti BK. J Ocul Pharmacol. 1990;6:259-69
3. Ligresti A, et al. J Pharmacol Exp Ther. American Society for Pharmacology and Experimental Therapeutics; 2006;318:1375-87
4. Orrego-González E, et al. Evid-Based Complement Altern Med ECAM. 2020;2020:2371527
5. Borrelli F, et al. Carcinogenesis. 2014;35:2787-97
6. Borrelli F, et al. Biochem Pharmacol. 2013;85:1306-16
7. Pagano E, et al. Phytother Res [Internet]. [citado em 2021 Jan 11];n/a. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/ptr.6831
8. Deiana S. Chapter 99. In: Preedy VR, editor. Handb Cannabis Relat Pathol [Internet]. San Diego: Academic Press; 2017 [citado em 2021 Jan 10]. p. 958-67. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/B9780128007563001150
9. Appendino G, et al. J Nat Prod. 2008;71:1427-30
10. Farha MA, et al. ACS Infect Dis. American Chemical Society; 2020;6:338-46
11. Valdeolivas S, et al. Neurother J Am Soc Exp Neurother. 2015
12: 185-99; 12. Díaz-Alonso J, et al. Sci Rep. 2016;6:29789
13. García C, et al. J Neuroinflammation. 2018;15:19
14. Granja AG, et al. J Neuroimmune Pharmacol Off J Soc NeuroImmune Pharmacol. 2012;7:1002-16
15. Gaoni Y, et al. J Am Chem Soc. American Chemical Society; 1964;86:1646-7
16. Formukong EA, et al. Inflammation. 1988 12(4):361-71.
17. Colasanti BK, et al. Exp Eye Res. 1984;39:251-9.
18. Colasanti BK. J Ocul Pharmacol. 1990;6:259-69.


Contatos à imprensa
Kubix Estratégia & Comunicação

Comentários