Especialistas esclarecem os mitos e verdades sobre o bruxismo, problema que afeta 40% dos brasileiros

Segundo médicos do Hospital Paulista, por conta do estresse e ansiedade trazidos pelo isolamento, é possível que os casos aumentem consideravelmente
São Paulo, junho de 2021 - O bruxismo afeta 30% da população mundial e 40% dos brasileiros, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Incômodo e doloroso, o problema caracterizado pelo apertamento ou ranger dos dentes é uma desordem funcional marcada pelas atividades repetitivas dos músculos utilizados para a mastigação.
Tensão, ansiedade, estresse e fatores genéticos estão entre os principais causadores desse mal, que pode levar ao amolecimento dos dentes, dores de cabeça, pescoço e músculos do rosto. Os cirurgiões buco-maxilo-faciais do Hospital Paulista de Otorrinolaringologia, Dr. Cristian Alexandre Correa e Dra. Juliana Mussi, tiram as dúvidas sobre esse problema, que pode afetar tantas pessoas.
O bruxismo conta com duas manifestações distintas: o bruxismo do sono, que ocorre durante o descanso; e o bruxismo em vigília, caracterizado como o apertamento dos dentes no decorrer do dia, enquanto o indivíduo está acordado.
De acordo com a Dra. Juliana, um dos pontos dessa disfunção é o acometimento da articulação temporomandibular (ATM), que liga a mandíbula ao crânio, que pode causar dificuldade mastigatória e de abertura de boca, desgastes e fraturas dentárias, retração gengival, lesões na língua e mucosa oral, além de barulhos na articulação.
Além disso, é possível que estes pacientes sofram com os chamados sintomas otológicos - dores de ouvido, zumbidos e sensação de ouvido tapado - devido à proximidade de estruturas anatômicas.
Segundo o Dr. Cristian Alexandre, muitas são as dúvidas e os mitos acerca do assunto. Algumas pessoas acreditam que o bruxismo pode ser ocasionado por uma verminose durante a infância; que ele afeta mais adolescentes que adultos e, o principal, que a patologia não tem tratamento.
"O bruxismo pode acometer pessoas em qualquer idade, mas, de fato, é mais comum em pessoas com alto índice de estresse. Outra verdade pouco conhecida, é que as mulheres têm mais chances de desenvolver o bruxismo que homens, chegando a 90% dos casos", explica o especialista.
De acordo com o médico, todas as dores crônicas craniofaciais e disfunções da ATM são tratáveis e, para 95% dos casos, o tratamento clínico é recomendado. A indicação de tratamento clínico e cirúrgico atinge apenas 5% dos pacientes.
Bruxismo durante a pandemia
O bruxismo pode se manifestar na infância, adolescência e na vida adulta, e tem como principais causas a tensão, ansiedade e estresse, problemas bastante comuns durante o período do isolamento tanto nos pais, quanto nas crianças.
Segundo Dr. Cristian, as preocupações trazidas pela pandemia da Covid-19, como desemprego, ansiedades com relação à vacina, o medo de ficar doente e o próprio isolamento social, que tem deixado as pessoas mais estressadas e apreensivas, são os principais responsáveis pelo aumento dos casos recentes de bruxismo.
"O isolamento aumentou muito o estresse da população em geral e, como consequência, houve uma ampliação no índice de apertamento dental, gerando crescimento significativo dos casos de disfunções da ATM, síndrome dolorosa miofascial e cefaleia tensional", alerta o especialista.
Tratamento
Segundo a Dra. Juliana, o problema não tem cura, mas é possível controlar os sintomas e minimizar consideravelmente os danos causados por ele por meio de tratamentos específicos e da abordagem individualizada para o quadro de cada paciente.
Entre os tratamentos comuns, estão a placa oclusal (tipo aparelho dentário), uso de medicamentos, fisioterapia, terapias alternativas para minimizar o estresse e avaliação psicológica.
Como prevenção, a médica ressalta a importância do estilo de vida com hábitos saudáveis, pois eles são capazes de ajudar a evitar o problema, além do controle do estresse do dia a dia.
Há mais de 10 anos, o Hospital Paulista dispõe de todos os tratamentos necessários para atender da melhor forma os pacientes que sofrem com bruxismo e conta com uma competente equipe multidisciplinar, com muita experiência para atender estes casos.
Sobre o Hospital Paulista de Otorrinolaringologia
Fundado em 1974, o Hospital Paulista de Otorrinolaringologia, possui mais de 40 anos de tradição no atendimento especializado em ouvido, nariz e garganta e durante sua trajetória, ampliou sua competência para outros segmentos, com destaque para Fonoaudiologia, Alergia Respiratória e Imunologia, Distúrbios do Sono, procedimentos para Cirurgia Cérvico-Facial, bem como Buco Maxilo Facial.
Em localização privilegiada, a 300 metros da estação Hospital São Paulo (linha 5-Lilás) e a 800 metros da estação Santa Cruz (linha 1-Azul/linha 5-Lilás), possui 42 leitos, UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 10 salas cirúrgicas, realizando em média, mensalmente, 500 cirurgias, 7.500 consultas no ambulatório e pronto-socorro e, aproximadamente, 1.500 exames especializados.
Referência em seu segmento e com alta resolutividade, conta com um completo Centro de Medicina Diagnóstica em Otorrinolaringologia, assim como um Ambulatório de Olfato e Paladar, especializado no diagnóstico e tratamento de pacientes com perda total ou parcial dos sentidos. Dispõe de profissionais de alta capacidade oferecendo excelentes condições de suporte especializado 24 horas por dia.
Informações à imprensa:
Máquina CW

Comentários