Evolução do mercado de TI

 Evolução do mercado de TI e o melhor momento para ingressar na área de programação




Mercado aquecido, cursos gratuitos e modelo de financiamento inovador aceleram a entrada e formação na área tech



O constante crescimento do mercado de Tecnologia da Informação (TI) está cada vez mais evidente, justamente pela transformação digital que as empresas passaram com a chegada da pandemia e a necessidade do modelo de trabalho remoto. De acordo com o Relatório Setorial 2020 Macrossetor de TIC - Brasscom, o aumento dos empregos no macrossetor de TI e comunicação em 2020 foi de mais de 59 mil ocupações (mais de 24 mil só da área de tecnologia), na comparação com o ano de 2019 - ano que não foi afetado pela pandemia.



A instituição já havia sinalizado, em outro levantamento, que a área deverá criar 420 mil novas vagas até 2024, mas que, no entanto, cerca de 150 mil vagas não serão preenchidas por falta de profissionais qualificados. O déficit anual previsto seria de 24 mil pessoas na área, segundo a Brasscom.



Enquanto a área de TI despontou e segue em ascensão, o número de desempregados no país chegou a 14,8 milhões de pessoas, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Com a falta de recursos, muitos desistem de investir em uma qualificação nesse momento delicado para o mercado de trabalho.



Crescimento de cursos gratuitos



No entanto, há um movimento de diversas instituições de ensino voltadas para a área de tecnologia, que passaram a promover cursos, webinars e bootcamps gratuitos para acelerar a entrada de mais profissionais na área de tecnologia, especialmente de programação e desenvolvimento. Uma delas é a Kenzie Academy Brasil, escola de programação que se posiciona como alternativa ao ensino superior e atua na formação de pessoas programadoras.



"Há seis meses, temos promovido cursos introdutórios, abordando as principais linguagens de programação, adotadas pelo mercado, como JavaScript e Python, além de apresentar os primeiros passos para o contato com a programação web, e conceitos de HTML e CSS. Em todo esse período, alcançamos mais de 100 mil interessados em nossos cursos gratuitos", afirma Daniel Kriger, CEO da Kenzie Academy Brasil.



Qualificação acessível



Os cursos gratuitos abriram caminhos para todos os interessados, mesmo para os que ainda não tinham nenhum conhecimento prévio na área, reforçando a tomada de decisão para ingressar nessa carreira. A partir disso, muitas dessas pessoas acabam optando por um curso regular. Na Kenzie, por exemplo, o curso para se tornar uma pessoa desenvolvedora web full stack tem mais de 2.000 horas de estudo concluídas em 12 meses, voltado ao ensino prático.



A boa notícia para quem não tem recursos para investir no momento, é que a Kenzie aplica o método inovador de pagamento Income Share Agreement (ISA), modelo de financiamento que permite ao aluno pagar o curso após a conclusão dos estudos - e apenas se conseguir recolocação profissional, com remuneração acima de R﹩ 3 mil.



"Percebemos a carência de desenvolvedores qualificados no mercado de TI e identificamos o ISA como tendência no mundo e aplicamos o modelo na Kenzie com o objetivo de transformar vidas, por meio da educação, de forma rápida e prática, para que mais pessoas possam realizar o sonho de ingressar no mercado de TI, ou mesmo para uma mudança de carreira", ressalta Kriger.



Outro grande diferencial da escola é a estrutura de aprendizagem projetada para simular o mercado de trabalho e o dia a dia de uma pessoa desenvolvedora. A Kenzie utiliza metodologia comprovada internacionalmente, desenvolvida por engenheiros de software do Vale do Silício, com linguagens e tecnologias modernas de front-end e back-end, muito utilizadas no mercado, como HTML, CSS, JavaScript, React, SQL e Python.



Além disso, a Edtech conta com uma estrutura interna para garantir ao estudante um aprendizado de qualidade e inseri-lo no mercado de trabalho rapidamente, o que acontece por meio de mentoria de carreira e parcerias estratégicas com outras empresas, como Ebanx, Banco Bari, James Delivery e Creditas, que aceleram essa contratação.



Comentários