Novo Ensino Médio permitirá aprendizado adequado à realidade do jovem brasileiro

 


Novo Ensino Médio permitirá aprendizado adequado à realidade do jovem brasileiro

Evento promovido pela Santillana, nos dias 16 e 17 deste mês, discutiu
oportunidades com a mudança curricular

As mudanças e as perspectivas propostas pelo Novo Ensino Médio foram tema de discussão na "Imersão: Novo Ensino Médio", evento online e gratuito promovido pela Santillana nos últimos dias 16 e 17. A programação contou com palestras de especialistas e profissionais da educação que abordaram, de forma prática, o que muda e as possibilidades do novo modelo curricular para a formação dos alunos, bem como os impactos da transição à nova lei na trajetória de alunos, professores e instituições de ensino.

"O ensino no Brasil hoje possui um currículo com grande espessura e pouca profundidade", constatou o professor e diretor da SIEDUC Santillana Francisco Ribamar Monteiro, em sua fala de abertura do evento. Para ele, novos tempos pedem novas formas de aprendizagens e o Novo Ensino Médio foi criado pensando em suprir essa necessidade.

O primeiro dia contou com uma mesa redonda em que a especialista em educação híbrida Luci Ferraz, destacou a importância de dar protagonismo ao aluno, dou seja, colocá-lo no centro do ensino a partir do novo modelo. "Estudantes são muito mais que uma nota no boletim e para mostrar isso eles precisam de espaço de fala e oportunidades de escolha para a vida. A participação protagonista do aluno vai variar de acordo com o comando do professor, os eixos norteadores são fundamentais nesse processo", afirma.

A mesa também contou com a participação do consultor de políticas públicas, João Quaresma e do pedagogo Denis Drago, que discutiram os impactos das mudanças na vida dos professores. Eles destacaram a urgência em se pensar, no futuro, uma reformulação das grades acadêmicas para quem pretende lecionar. A conversa foi mediada pelo jornalista Antônio Gois, diretor da Associação de Jornalistas de Educação (Jeduca).

"O método pelo qual o professor aprendeu no passado é diferente do que ele ensinará daqui para frente. Evoluímos, e é natural que as metodologias acompanhem as mudanças. Todos ganham nesse sentido, inclusive os profissionais, que vão se reinventar e até mesmo se encontrar na sala de aula", destaca Denis Drago. O especialista também defende a necessidade de uma mudança na avaliação final dos alunos. "Essa avaliação para a entrada do estudante no ensino superior não mudou, as provas continuam as mesmas. Não podemos fazer uma mudança completa se a porta de saída do aluno não mudou", ressalta.

O segundo dia de evento teve a palestra da jornalista Marta Avancini (Jeduca) sobre o "Novo Ensino Médio na Mídia" e o papel da imprensa no esclarecimento das mudanças do sistema escolar nos próximos anos. Os participantes também acompanharam a apresentação de Eduardo Trindade, diretor da Advantages DLS, sobre a formação bilíngue a partir da nova grade, que divide a experiência do aluno entre formação geral básica e itinerários formativos. O executivo também falou sobre a possibilidade de adoção da certificação de duplo diploma de Ensino Médio por meio do Educate Bilingual Program, solução educacional para escolas da Richmond, uma marca do portfólio da Santillana. Na última sessão do evento, os participantes de escolas de todo Brasil puderam tirar dúvidas com profissionais da educação sobre demandas específicas de suas instituições.

Para Eny Muniz, Diretora Pedagógica da SIEDUC Santillana, o evento cumpriu a missão de mostrar que a realização do Novo Ensino Médio é possível e que ele pode ser incorporado à realidade da escola, do aluno ou da região de ensino, com o apoio da Santillana para fazer as adaptações, fundamentais para uma transição com confiança. "Teremos ganhos significativos de conhecimento para todos. É a chance de trabalharmos um conteúdo adequado à nossa realidade. Precisamos entender qual é a educação que os jovens precisam hoje para estarem preparados, seja para o mercado de trabalho, para a universidade ou para a vida", finaliza.

Sobre a Santillana

A Santillana, fundada na Espanha em 1960, é o braço editorial do grupo PRISA, que é líder em meios de comunicação, entretenimento e educação nas línguas espanhola e portuguesa. Presente em 23 países, a Santillana iniciou suas atividades no Brasil em 2001, ao adquirir as editoras Moderna e Salamandra.

Com forte presença nas Américas e na Europa, a Santillana tem o compromisso global de entender a identidade, a missão e o momento de cada instituição educacional, a fim de fomentar um mundo integrado de vivências e descobertas em constante movimento. Na área social, atua por meio da Fundação Santillana, instituição voltada ao fomento da educação e difusão da cultura no país, que realiza diversas ações em parceria com organismos nacionais e internacionais, como Unesco, OCDE, OEI, Movimento Todos Pela Educação, entre outros.

A Santillana opera no Brasil como uma holding de negócios educacionais, com soluções didáticas e de literatura infantil e juvenil, com a Moderna e a Editora Salamandra, com materiais para ensino de idiomas e educação bilíngue, com a Richmond e Santillana Español, avaliação educacional, com a Avalia Educacional, projetos educativos como UNOi Educação e Moderna Compartilha, o Sistema Farias Brito de Ensino, a plataforma Kepler e o programa socioemocional Crescemos.

Assessoria de imprensa

Danthi Comunicações

Comentários