ARTE BARROCA

 1. Maneirismo

O “Maneirismo” representa um estilo artístico que surgiu na Itália no século XVI, no período entre a Renascença e o Barroco (1520 a 1600). 

Nesse período a Europa passava por diversas transformações políticas, econômicas e culturais, tal qual o Renascimento e a Contrarreforma, o que fez surgir uma nova estética que fugia dos moldes tradicionais e que se espalhou rapidamente por toda a Europa.

Maneirismo

Arquitetura Maneirista: Palácio de Fontainebleau, França

Esse movimento artístico utilizou da arquitetura, escultura, artes plásticas, música e literatura, para apresentar uma arte mais perturbadora, exagerada e sofisticada. Além disso, os artistas do maneirismo buscavam se afastar dos moldes renascentistas (cânones clássicos), inaugurados por figuras da alta renascença como Leonardo da Vinci, Michelangelo e Rafael Sanzio.

O termo “maneirismo” advém do italiano “maneira” que significa “maneira”, ao referir-se ao estilo próprio de cada artista. O termo foi popularizado e utilizado pela primeira vez pelo artista italiano Giorgio Vasari, como sinônimo de leveza e sofisticação.

Para muitos historiadores da arte, o maneirismo representou um momento de transição entre a Alta Renascença e o Barroco, enquanto outros acreditam ser uma escola artística independente. Nesse ínterim, alguns estudiosos consideram o maneirismo um período de decadência das artes, o qual fora muito criticado na época.

Principais Características

As principais características do maneirismo são:

  • Sofisticação da arte
  • Estilização exagerada, oblíqua e assimétrica
  • Uso de Espirais, proporções, volumes e perspectivas intrigantes
  • Capricho nos detalhes (arte de labirintos)
  • Contrastes de sombra e luz
  • Figuras alongadas, deformadas e/ou distorcidas
  • Fortes combinações de cores
  • Composições ambíguas, tensas, dramáticas, bizarras, perturbadoras
  • Aproximação com o Barroco e o Realismo
  • Ruptura com modelos clássicos (Estilo anti-renascentista)

Principais Artistas

Dentre os vários artistas do maneirismo, destacaram-se:

  • Jacopo Robusti “Tintoretto” (1518-1594): pintor italiano
  • El Greco (1541-1614): pintor, escultor e arquiteto grego
  • Giorgio Vassari (1511 - 1574): pintor e arquiteto italiano
  • Giovan Battista di Jacopo “Rosso Fiorentino” (1494-1540): pintor italiano
  • Jacopo Carucci “Jacobo Pontormo” (1494-1557): pintor italiano
  • Benvenuto Cellini (1500-1571): escultor e escritor italiano
  • Jean Boulogne “Giovanni da Bologna” (1529-1608): escultor franco-italiano
  • Giulio Pippi “Giulio Romano” (1492-1546): arquiteto e pintor italiano
  • Andrea Palladio (1508-1580): arquiteto italiano
  • Girolamo Francesco Maria Mazzola “Parmigiano” (1503-1540): pintor italiano
  • Hans von Aachen (1552 - 1615): pintor alemão
  • Bartholomeus Spranger (1546-1611): pintor flamengo

2. Barroco

Arte Barroca é conhecida pelos detalhes, requinte e elegância exagerados.

Desenvolveu-se no século XVII em uma época bastante significativa para a civilização no Ocidente, pois nesse momento ocorriam grandes transformações que revolucionaram a sociedade vigente.

Surgiu primeiramente na Itália e logo espalhou-se para os outros países europeus. Mais tarde, desenvolveu-se também no Brasil e no restante do continente americano com a vinda dos colonizadores portugueses e espanhóis.

Portanto, é um movimento que está fortemente relacionado com as circunstâncias históricas em que se insere.

Surge no contexto da Contrarreforma e também no cenário colonialista, com as muitas riquezas das realezas em novos territórios. Suas obras incluem, sobretudo, temas religiosos.

Contexto Histórico: Resumo

O Concílio de Trento, realizado de 1545 a 1563, causou grandes reformas no Catolicismo, em resposta à Reforma Protestante de Martinho Lutero. Assim, a autoridade da Igreja de Roma foi vigorosamente reafirmada, depois de perder muitos fiéis.

A Companhia de Jesus, reconhecida pelo papa em 1540, passa a dominar quase que inteiramente o ensino. Ela exerceu um papel importante na difusão do pensamento católico aprovado no Concílio de Trento.

A Inquisição que se estabeleceu na Espanha a partir de 1480 e em Portugal a partir de 1536, ameaçava a liberdade de pensamento. O clima era de austeridade e repressão.

Foi nesse contexto que se desenvolveu o movimento artístico chamado Barroco, numa arte eclesiástica que desejava propagar a fé católica.

Em nenhuma época se produziu um número tão grande de igrejas e capelas, estátuas de santos e monumentos sepulcrais.

Em quase todas as partes, a Igreja se associava ao Estado. Assim, a arquitetura barroca, antes só religiosa, surge também na construção de palácios, com o objetivo de causar admiração e poder.

Principais Características da Arte Barroca

A Coroação da Virgem, de Carraci
A Coroação da Virgem, do pintor italiano Carraci

Por ter se desenvolvido em diversos lugares, o estilo barroco não possui um caráter homogêneo. Existem várias diferenças entre a produção realizada por cada artista em localidades distintas.

Apesar disso, algumas característica marcantes se repetem:

  • Predomínio de temas religiosos;
  • Riqueza nos detalhes e formas;
  • Expressões dramáticas das personagens retratadas;
  • Preferência pelas curvas e contornos em detrimento das figuras geométricas;
  • Importância da iluminação e o jogo de luzes e sombras;
  • Uso de contrastes a fim de evidenciar a proximidade do divino com o humano.

Arte Barroca no Brasil

Coroa de Espinhos, de Aleijadinho
Coroa de Espinhos, de Aleijadinho

Estudiosos afirmam que foi no estilo barroco quando surgiram as primeiras expressões de arte verdadeiramente brasileiras.

No Brasil, o Barroco tem seu apogeu no século XVIII e perdurou até o século XIX. No nosso país, em virtude da riqueza do período colonial, temos um acervo marcante de obras de expressão barroca.

Aqui, esse estilo está fortemente relacionado ao catolicismo. Existem muitas igrejas barrocas, entretanto, também é possível encontrar outros projetos arquitetônicos com tais características, por exemplo, câmaras municipais, penitenciárias e residências de pessoas ilustres.

O maior ícone da arte barroca no Brasil foi o escultor Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1730-1814). Sua produção varia de trabalhos em madeira entalhada, pedra-sabão, altares e igrejas e tem como características o uso das cores e a maneira simples e dinâmica de retratar as cenas.

Vertentes do Barroco no Brasil

Há duas vertentes dentro da arte barroca produzida em solo nacional.

mais requintada ocorreu nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco e Bahia, onde a economia era baseada na cana-de-açúcar e mineração. Nessas regiões são encontradas igrejas com trabalhos em madeira, nos quais os relevos eram cobertos por camadas de ouro. Há também janelas e portas que exibem minuciosas produções em escultura.

Nas regiões menos abastadas do país, onde não havia a produção de açúcar nem o ouro, o estilo arquitetônico barroco era mais simplificado. As igrejas não possuíam trabalhos tão elaborados, pois eram realizados por artistas menos experientes e renomados.

Cidades Brasileiras e o Barroco

Ouro Preto, localizada no estado de Minas Gerais, mantém uma riqueza cultural decorrente desse período. É a cidade brasileira que mais se destaca no que respeita ao estilo barroco.

O ouro havia sido descoberto em Minas Gerais, o que propiciou que fossem feitas construções riquíssimas.

Passos da Paixão, de Aleijadinho
Passos da Paixão, de Aleijadinho

A cidade de Salvador é outro exemplo de expressão do Barroco. Nessa altura, ela era a capital do Brasil (até 1763). Por esse motivo, além de pinturas e esculturas, abriga belas obras arquitetônicas. É exemplo o Palácio do Governador.

Arte Barroca na Europa

O Êxtase de Santa Teresa, de Bernini.
O Êxtase de Santa Teresa, de Bernini. À direita, detalhe da escultura

No continente europeu as obras barrocas são mais requintadas do que no Brasil.

Na Itália, tem destaque o trabalho de Gian Lorenzo Bernini (1598-1680). Ele é considerado o artista inaugurador do Barroco. Teve grande importância por ser arquiteto, urbanista, escultor, decorador e pintor. Suas obras podem ser vistas em Roma.

A obra O Êxtase de Santa Teresa é uma de suas esculturas mais impactantes e enaltece o sentimento e dramaticidade. Nela, é representada Santa Teresa no momento em que um anjo desfere golpes com uma flecha em seu peito, o que teria causado dor intensa, mas despertado uma experiência mística de amor à Deus.

Destacam-se na pintura, Tintoretto (1515-1549), Andrea Pozzo (1642-1709), Michelangelo Caravaggio (1571-1610) e Annibale Carraci (1560-1609).

O pintor Caravaggio teve uma produção fortemente marcada por temas mais comuns. Ele interessava-se por retratar pessoas do povo, como músicos, vendedores e ciganos. Esse artista foge do conceito de beleza clássica proposto pelo Renascimento, que relacionava a beleza com a aristocracia.

Os Músicos, Caravaggio
Os Músicos, de Caravaggio

Mais tarde, o estilo barroco foi expandindo-se para outros territórios europeus e em cada um dele, ganhou novos contornos, mais alinhados com a cultura local.

Na Espanha, desenvolveu-se na decoração de portas de edifícios civis e religiosos. Na pintura, teve influência do estilo italiano - sobretudo no uso da luz e sombra - mas manteve o realismo e domínio técnico característicos.

Os pintores de maior destaque nesse país foram El Greco (1541-1614) e Diego Velázquez(1599-1660). Sendo que na obra de El Greco, a verticalidade tem um forte apelo, as figuras são alongadas e traçam um paralelo com as imagens espiritualizadas do período bizantino.

O pintor Velásquez, tem um produção fortemente marcada pela retratação da realeza espanhola do século XVII. Entretanto, também buscou registrar o cotidiano de pessoas comuns durante certo período.

barroco espanhol
À esquerda, Espólio (1579), de El Greco. À direita, As Meninas (1656), de Velázquez

Nos Países Baixos, a pintura barroca foi marcada por um caráter descritivo, com cenas da vida cotidiana doméstica e zelo pelo realismo nas representações.

Os maiores expoentes dessa vertente foram: Rubens (1577-1640), Frans Hals (1581-1666), Rembrandt (1606-1669) e Vermeer (1632-1675).

O artista holandês Rembrandt é um nome famoso pelo uso expressivo da luz e sombra nas composições, conhecido por estilo luminista. Ele explorava todos os aspectos que a luminosidade pode oferecer, como os contrastes, meio-tons, penumbras e luzes fortes.

Já Vermeer, trabalhava mais a iluminação intensa. As cenas retratadas em suas telas costumavam ter bastante claridade e tinham como mote a vida da burguesia holandesa.

barroco holandês
Moça com brinco de pérola (1665), de Veermer. A Lição de Anatomia do Dr. Tulp (1632), de Rembrandt

Em Portugal,esse estilo também marcou presença e vigorou de 1580 até 1756, ano de inauguração da Arcádia Lusitânia e quando surge um novo estilo. O escultor português de maior destaque dentro da arte barroca foi Machado de Castro (1731-1822).

Pintura e Escultura Barroca

A pintura também focou nos temas sacros, sendo que muitos tetos de igrejas foram pintados com o estilo barroco.

Na escultura, grande parte das obras barrocas são sacras, as quais privilegiaram o usos de materiais como barro cozido, cedro e pedra-sabão.

barroco no brasil
Detalhe de Escultura do Conjunto de Os Profetas, de Aleijadinho

A característica que mais se destaca em termos de pintura é a do jogo de luz e sombra. A presença de um foco de luz sobre a figura principal da obra é feita propositalmente para direcionar a atenção dessa figurada iluminada.

Tanto na pintura quanto na escultura, o cotidiano é retratado de forma real e comovente onde são observadas as expressões dramáticas faciais.

No barroco brasileiro, não podemos deixar de citar Manuel da Costa Ataíde (1762-1830), considerado o maior pintor na área no período colonial. Na escultura, Aleijadinho ocupa o papel de maior representante.

Arquitetura Barroca

Igreja de São Francisco de Assis
Igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto

Em decorrência da Contrarreforma, nesse período a arquitetura barroca destacou-se pela construção de várias igrejas. O objetivo era propagar o catolicismo e, ao mesmo tempo, reafirmar seu poder. Isso era alcançado mediante a ostentação das obras construídas.

No Brasil, a Igreja São Francisco de Assis é considerada a obra-prima de Aleijadinho. Seu teto foi pintado por Manuel da Costa Ataíde. O início da sua construção data de 1776, mas apenas foi concluída 18 anos depois, em 1794.


3. Rococó

Rococó” é um substantivo masculino de origem francesa (rocaille, que significa “concha”) e faz alusão a um estilo artístico tipicamente decorativo.

Ele prosperou na Europa (especialmente no sul da Alemanha e na Áustria) do início ao fim do século XVIII, marcando a passagem do Barroco para o Arcadismo.

Caracterizado pelo uso de conchas, laços e flores em seus adornos, o estilo rococó predominou na esfera da arquitetura, escultura e pintura. Elas deveriam se complementar harmonicamente, muitas vezes pela união de artistas especializados em afazeres distintos.

O Rococó pode ser considerado como uma reação da aristocracia e burguesia francesa contra a suntuosidade do barroco tradicional.

Arte Rococó

Afresco em estilo rococó, no interior do Palácio de Nymphenburg, Munique, Alemanha

Rococó no Brasil

É evidente que o estilo rococó migrou para a América e no Brasil o expoente máximo foi o artista Aleijadinho.

Aqui, o estilo floresceu no fim do século XVIII, sob grande influência religiosa, ao contrário das representações da vida profana e aristocrática comuns em outras localidades.

Nelas, o rococó decorava algumas igrejas, mas foi realmente difundido para decoração de palácios que glorificavam o poder civil.

Principais Características

Considerado por muitos como uma variante “profana” do barroco, o rococó caracterizou-se, acima de tudo, pela valorização das linhas em formato de concha.

Ele abandona aquelas linhas retorcidas, típicas do barroco, para empregar linhas e formas mais leves e delicadas, vistas facilmente na decoração dos interiores, ourivesaria, mobiliário, pintura, escultura e arquitetura.

As obras deste movimento estético possuem texturas suaves que buscam expressar o caráter lúdico e mundano da vida. Assim, foi uma preferência os temas leves e sentimentais relacionados ao cotidiano e recheados de alegorias mitológicas e pastoris.

Os ambientes luxuosos, como parques e jardins suntuosos, retratam, na maioria das vezes, cenas eróticas e sensuais em paisagens idílicas e alegres, nas quais transparecem os interesses hedonistas e aristocráticos.

Estilo Rococó

Na arquitetura, o rococó criou edifícios com amplas aberturas para a entrada de luz.

Quanto às esculturas, essas passaram a possuir um tamanho reduzido e são apresentadas individualmente, por meio de figuras isoladas, além de serem feitas a partir de materiais maleáveis, como gesso e madeira.

Já a pintura, retratava o modo de vida das elites europeias do século XVIII, lançando mão de linhas curvas, leves e delicadas, preenchidas com cores suaves, sobretudo os tons pastéis.

Principais Artistas

Dentre os vários artistas deste período, destacaram-se:

  • François Boucher (1703-1770): pintor francês
  • Nicolas Pineau (1684-1754): escultor e arquiteto francês
  • Jean-Antoine Watteau (1684-1721): pintor francês
  • Juste Aurèle Meissonnier (1695-1750): escultor, pintor, arquiteto e designer franco-italiano
  • Pierre Lepautre (1659-1744): escultor francês
  • Johann Michael Fischer (1692-1766): arquiteto alemão
  • Johann Michael Feichtmayr (1709-1772): escultor alemão


Fontes:https://app.planejativo.com/ver-aula/479/material-de-apoio/resumo/artes-e-ed-fisica/maneirismo-barroco-e-rococo


Comentários