Ceci n'est pas une pipe ou "Isto não é um cachimbo" (1928)

 


: René Magritte - Ceci n'est pas une pipe ou "Isto não é um cachimbo" (1928)

A analogia é uma relação da imagem com a realidade sensível que faz que possamos estabelecer identidades entre a imagem e aquilo que ela representa . A imagem de René Magritte, Ceci n’est pas une pipe (Isto não é um cachimbo) representa um cachimbo na imagem, sendo a legenda a negação desta evidência.

 O cachimbo de Magritte é parecido com a realidade, pois assemelha-se a um cachimbo, mas não é a realidade pois não é um cachimbo. Magritte chamou a esta sua pintura A traição das imagens pois estas, por mais analógicas que sejam, são sempre imagens, logo não realidades. O pintor interrogado sobre isto declarou que os que pensam que essa imagem é um cachimbo deveriam então experimentar enchê-lo de tabaco ou fumar por ele. Ou seja, mesmo as imagens mais analógicas são expressão de convenções ao nível da expressão.


Isto não é um cachimbo. E não é mesmo. É antes a representação de um cachimbo, um signo.
Magritte responde: "Os meus quadros são imagens visíveis que contêm nada; elas evocam mistério e quando alguém vê um dos meus quadros, pergunta-se simplesmente: o que é que aquilo quer dizer? Não quer dizer nada, porque o mistério significa nada, é desconhecido». A imagem não pode afirmar a inexistência da coisa representada, mesmo brincando com esta impossibilidade ao pintar um cachimbo e sob este escrever "isto não é um cachimbo". Para afirmar uma negação, precisamos usar palavras, ou recorrer ao conceito de percepção do outro, ainda norteado pela palavra.

A sensação de contradição nos é passada pela frase que nos alerta não ser um cachimbo uma mera imagem enganosa.

http://pucartepublicidade.blogspot.com/2011/10/isto-nao-e-um-cachimbo.html

Comentários