Ilusionistas Henry e Klauss criam projeto educacional

 


Ilusionistas Henry e Klauss criam projeto educacional para educar crianças de maneira lúdica, por meio da mágica

Na "Escola Mágica", a dupla - responsável pela série "Ilusões de Risco", do "Fantástico", da TV Globo - usa o ilusionismo como ferramenta para desenvolver habilidades essenciais de crianças

Pensar em ensinar brincando pode ser algo ainda confuso na cultura brasileira, já que muitos ainda veem a brincadeira como um passatempo ou algo sem valor. Porém, cada vez mais, vem-se provando que, na prática pedagógica, as atividades lúdicas motivam e estimulam os alunos, além de ajudarem no desenvolvimento de suas habilidades essenciais. Por meio delas, as crianças aprendem de forma mais prazerosa, concreta e, consequentemente, mais significativa, culminando em uma educação de qualidade e em seu desenvolvimento integral. Pensando nisso, Henry Vargas e Klauss Durães, os maiores ilusionistas modernos da América Latina e responsáveis pelo quadro "Ilusões de Risco", do "Fantástico", na TV Globo, idealizaram e formaram a Escola Mágica, uma plataforma de ensino online direcionada para professores e alunos, criada pelo Instituto de Cultura Brasileira (ICB), organização sem fins lucrativos que tem o objetivo de aprimorar a Educação no Brasil, por meio da democratização da cultura.

Para a dupla, a educação não é, apenas, um momento da criança aprender a ler e escrever, mas também uma maneira de vivenciar outras leituras de ver e interpretar o mundo. "Por isso, é necessário pensar no lúdico como coisa séria e buscar ver a fantasia, o lazer e o brincar como complemento de todo esse processo, pois tudo que as crianças aprendem na infância é por meio das brincadeiras que realizam", comenta Henry. Criada pelo ICB, a Escola Mágica é um projeto de educação infantil com o intuito de potencializar o aprendizado nas escolas, com uma base psicopedagoga voltada ao estímulo de inteligências múltiplas em crianças do ensino fundamental. "Para isso, utilizamos o ilusionismo como ferramenta lúdica chave para promover o desenvolvimento de habilidades essenciais delas", explica Klauss.

No Kit Lúdico Educacional, disponibilizado pelo projeto, professores e crianças encontram diversas atividades interativas que os ajudam a ensinar e aprender de maneira mais divertida e lúdica e no desenvolvimento de outras habilidades e inteligências múltiplas, como inteligências interpessoal e intrapessoal, comunicação, oratória, mudança de perspectivas, disciplina, inteligência lógico-matemática, coordenação motora, percepção periférica, criatividade e inovação. "Queremos atuar como agentes transformadores da educação e da vida de crianças carentes, permitindo que elas, que têm muito pouco ou nenhum acesso à cultura, como a ida a shows de mágica, ao cinema ou ao circo, por exemplo, possam ter um pouco disso nas aulas e possam aprender brincando, tornando-as motivadas e engajadas ao longo de todo o processo de aprendizagem", comenta Henry.

Para levar o projeto adiante para todo o país, os ilusionistas - que descobriram e se interessaram pela mágica ainda na infância e que, hoje, colecionam diversos prêmios nacionais e internacionais, além de um recorde mundial por terem levitado por mais de quatro horas na Avenida Paulista, em São Paulo - contam com a ajuda de outros artistas e diversas pessoas envolvidas no projeto e no propósito do ICB. "Nosso maior e principal objetivo é transformar a educação e aprimorar o nível cultural brasileiro, para que cada vez mais pessoas tenham acesso a um ensino diferenciado e de qualidade", enfatiza Klauss. Hoje, já são mais de 20 mil alunos de escolas públicas que aprendem matemática, educação financeira, ciências e geografia por meio da mágica, através de livros didáticos e paper toys.

Henry e Klauss, que também são sócios da Ilusion, maior empresa de ilusionismo do Brasil, com grande destaque no mercado, fazendo shows e campanhas para grandes empresas, além de palestras e projetos no mundo corporativo, tem como principal propósito dentro do Ilusionismo a inovação e a reinvenção da arte mágica, mostrando como ela está muito próxima do público. "E é isso o que queremos também para a educação brasileira. Para nós, é muito gratificante fazer parte de um projeto onde podemos dar uma nova perspectiva e motivação para a vida de muitas crianças brasileiras", ressalta Henry. "Hoje, temos milhares de escolas e crianças sendo contempladas e, no futuro, queremos ter outros projetos educacionais e de fácil acesso à população, despertando, cada vez mais, essa nova e moderna perspectiva da educação que acreditamos, baseada no ensino lúdico e criativo", finaliza Klauss.

Sobre o Escola Mágica
Criado pelo ICB (Instituto Cultural Brasileiro), é um projeto de educação infantil com o intuito de potencializar o aprendizado nas escolas, com uma base psicopedagoga voltada ao estímulo de inteligências múltiplas em crianças do ensino fundamental, utilizando o ilusionismo como ferramenta lúdica chave para promover o desenvolvimento de habilidades essenciais.

Sobre Henry e Klauss
Henry e Klauss são os maiores ilusionistas modernos da América Latina. Com mais de 12 anos de carreira, colecionam prêmios nacionais e internacionais, além de um recorde mundial por terem levitado por mais de quatro horas na avenida mais movimentada de São Paulo: a Avenida Paulista. Ambos são mineiros e sócios da Ilusion, maior empresa de ilusionismo do Brasil, com grande destaque no mercado, fazendo shows e campanhas para grandes empresas, além de palestras e projetos no mundo corporativo, localizada em São Paulo. Apresentam um ilusionismo inovador, moderno e impactante, com uso de alta tecnologia, hologramas, realidade aumentada e uma linguagem moderna. A dupla já atuou com marcas dos maiores grupos e empresas nacionais e multinacionais, como Bradesco, Porto Seguro, Albert Einstein, Amil, Allianz, Assaí, Bayer, Deloitte, O Boticário, Carrefour, Comgás, Danone, GSK, Ipiranga, Pizza Hut, Positivo, Rappi Brasil, Sanofi, Medley, SPC, Xiaomi, Unimed e Polishop. Além disso, ganharam espaço em programas de grandes emissoras do Brasil, como SBT, Record TV e TV Globo.

Comentários