O GÊNERO LITERÁRIO CONTO




 CONTO - Narração breve, oral ou escrita. Esse gênero literário possui um número reduzido de personagens que participam de uma ação, em um foco temático. Sua finalidade é provocar no leitor uma única resposta emocional. Originariamente, o conto é uma das formas mais antigas de literatura popular de transmissão oral. 

(Enciclopédia Encarta 2000 - Microsoft®)



CRÔNICA - Atualmente, é um gênero literário que explora qualquer assunto, principalmente os temas do cotidiano. Geralmente escritas para serem publicadas em jornais e revistas — que, mais tarde, podem ou não ser reunidas em livro — a crônica se caracteriza pelo tom humorístico ou crítico. 

(Enciclopédia Encarta 2000 - Microsoft®) 






O CONTO MARAVILHOSO (CONTOS DE FADA)


Os contos maravilhosos costumam ser iniciados pela expressão “Era uma vez” que indica que o tempo em que o fato narrado ocorreu, num tempo impreciso e indeterminado. 

Os fatos que acontecem nos contos podem ser vividos por pessoas, animais e, às vezes, até por objetos. Quem vive os fatos de uma história chama-se personagem. As personagens classificam-se de acordo com o papel que desempenham na história. A que desempenha o papel principal chama-se protagonista. 

Nos contos maravilhosos o protagonista costuma ser um herói ou uma heroína. A personagem que se opõe ao protagonista, seja porque sua ação atrapalha a do protagonista, seja porque suas características são opostas às dele, é chamada de antagonista. Essa personagem é o vilão da história. 

No texto narrativo, há também personagens secundários. São aquelas que têm uma participação menor ou menos frequente na história. Os contos maravilhosos costumam apresentar no seu inicio uma situação de tranquilidade, que é quebrada por uma perda e/ou falta dela. E a partir dessa perda que o resto da história se desenrola. 

As características mais marcantes dos contos maravilhosos são: acontecerem no mundo da fantasia, apresentar personagens e fatos mágicos e, geralmente tem um final feliz.

A variedade linguística que predomina é a variedade padrão a língua formal sem o uso de gírias ou traços da oralidade. 

Os contos maravilhosos apresentam um herói ou uma heroína, e um vilão ou uma vilã. Os personagens são descritos no seu aspecto físico (altura, cor de cabelo, pele, olhos, beleza ou não, etc.) mostram também o seu modo de ser, isto é, como são psicologicamente (medrosos, corajoso, esperto, mal, bravo, violento, bom, caridoso, companheiro, amigo, bondoso, paciente, prudente, etc.). 

Ás vezes é o comportamento da personagem que mostra como ela é. 


Situações comuns presentes nos Contos:

 1- O herói se distancia do lar; 

2- O herói adentra o bosque ou a floresta; 

3- o herói cai numa armadilha; 

4 – Há luta entre herói e vilão;

 5 – O herói vence o vilão; 

6_ O herói é vencido pelo vilão; 

7 _ O herói volta pra casa; 

8_ O herói se casa. 


É comum haver personagens como reis, rainhas, princesas, fadas, bruxas, gigantes, príncipes, meninas, animais e objetos falantes, lugares como bosque, montanha encantada e reinos desconhecidos e distantes, assim como objetos e poções mágicas. Quem conta a história é chamado de narrador. 

Quando participa dos fatos e é também personagem, dizemos que ele é narrador-personagem

Nesse caso usa-se a 1º pessoa (eu/nós). 

Quando o narrador não participa da história, ou seja, somente cumpre o papel de contar os fatos que aconteceram sem fazer referência asi mesmo e é apenas um observador, dizemos que ele é narrador-observador.

 Nesse caso, ele usa a 3º pessoa (ele, ela/eles/elas, os jovens, a filha, as mulher, o homem, o menino, etc) 

O narrador costuma citar as falas das personagens reproduzindo fielmente o diálogo entre elas. Isso torna o texto mais dinâmico e faz uma melhor interação com o leitor que passa a interagir mais como os fatos e personagens


A ESTRUTURA DO CONTO 

  • Introdução – Começo
  • Desenvolvimento – Meio 
  • Clímax – Ápice da tensão
  • Desfecho e Conclusão – Fim

Além desses momentos, existem alguns elementos que compõe toda a narrativa, eles são:

  • Narrador e Foco Narrativo
  • Personagens
  • Conflito
  • Tempo
  • Espaço
  • Enredo único

A Agulha e a Linha - "Um Apólogo" de Machado de Assis

Comentários